Dances With Dragons — Ep. 1: Estou Genuinamente… Surpreso!

10

E dando procedimento a apostas que eu estava disposto a realizar nessa temporada e uma delas acabou me pegando de surpresa legitimamente foi o primeiro episódio de Dances With Dragons. Apesar de muitas coisas parecerem confusas de antemão dado que ele optou por apresentar os personagens em um contexto de ação direto e jogar conceitos desse mundo, conceitos dos inimigos, a situação dos humanos contra os Dragões e coisas que ele poderia ter dado uma espaçada de tempo mais longa e proveitosa para si mesmo no futuro mas que de maneira nenhuma acabou se transformando em uma experiência negativa dado que eu honestamente consegui me diverti acompanhando esse novo mundo inicialmente.

De maneira geral, eu poderia dizer que eu estou me sentindo mais à vontade de seguir e prosseguir esse anime, continuar a acompanhar esses personagens, esse mundo e quais outros conceitos que ele tem a apresentar – por mais que eu sinta que ele não cria nada novo. Eu não tenho muito o que dizer sobre esse anime a não ser entrar em tópicos similares aos anteriores já que um pouco dele é confuso, principalmente no seu início — pequenas menções de spoilers, eu não saberia apontar o que vale ser de interessante abordar mas vamos adiante.

Nós temos a apresentação de dois personagens que já se conhecem em um mundo onde o conflito já está acontecendo e conceitos que deveriam parecer importantes são apresentados de maneira muito abrupta… as vezes eu fico pensando: Por que animes sempre optam por esse caminho narrativo em vez de darem seu devido tempo, mesmo dentro de escopos pequenos? Não demoram para algumas explicações virem, porém acaba contendo demasiada informação muito jogada que não sabemos o quão importante aquilo deve ser para o momento, já que de certa forma, o monstro que eles acabam enfrentando no começo desse primeiro episódio é algo que acaba por refletir em uma determinada caçada que está acontecendo na cidade e acabou sendo um dos pontos mais interessantes que talvez seja em si o único ponto que me faz querer continuar prosseguindo com esse anime. “O que vai se resultar disso?” ou “Quem é essa pessoa atrás deles?”

O Ritmo da história, graças a isso, acaba sendo um pouco estranho. Temos coisas acontecendo mas que não sabemos se são importantes agora, depois temos um balanceamento com algo mais leve em seguida, mostrando a cidade onde eles estão, como funciona a dinâmica deles com essa vida, problemas de gastos e custos, recompensas de missões – algo interessantes de se notar que, ao menos eu acredito que talvez possa ser abordado no anime, é o quão tenso e preocupado com relação a gastos é um dos personagens e que eu gostaria de ver isso se tornar um pouco mais notório dentre os dilemas dentro dessa dinâmica dos dois protagonistas, mas que, no entanto, podemos apenas esperar. E pelo que recebemos, os protagonistas apesar de já interagirem entre si, demonstrarem se conhecerem bem, trabalharem juntos, a química entre eles é um pouco falha para mim pois eu não senti um esforço do anime de querer desenvolver o quão conectado eles são, acabou que influenciou no que eu posso comprar desse relacionamento no futuro ou não.

Dances With Dragons é um anime que apesar de não possuir animações muito chamativas, conceitos visuais novos ou elementos de coisas que nunca vimos: nós definitivamente possuímos um bom trabalhado na execução de traços, Character Design e principalmente no trabalho em cima das cores utilizadas e a sua iluminação. Noites nesse anime possuem um tom bem mais escuro do que estamos acostumados, sentimos que os personagens se sentem preocupados quando estão dentro desse ambiente e principalmente as cores utilizadas ao redor do anime, ele não aparenta ser muito colorido e nos seus momentos de tensão ou em uma construção de uma ambientação mais opressora quando nos momentos onde estamos vendo silhuetas da caçadora, nós temos a presença de um jogo de cores mais específico onde demonstra um sentimento de pertubação, preocupação e medo – a sequência de encerramento do episódio 1 é excelente, constrói bem o clima em torno dela, apesar de contribuir para o que eu falei de: Mais confusão construída.

Eu estou um pouco apreensivo sobre recomendar ou não esse anime para ser assistido, mas assim como eu deixei claro anteriormente: É uma das minhas apostas, eu estou indo a cegas e arriscando uma experiência e dedicação em cima de algo que eu não tenho certeza sobre sua qualidade, estou incerto até o exato momento de publicação – provavelmente enquanto vocês estão lendo esse primeiro artigo, o artigo relacionado ao episódio dois já deve ter sido postado e um pouco mais das minhas opiniões devem estar contidas nele sobre recomendar ou não, mas que inicialmente, eu acreditaria que o correto é: Mede seus riscos. Inicialmente ele parece confuso e, com certeza, é, já que ele trabalha com exposição após aparência, não temos contexto muito bem sobre o que está acontecendo, como esse mundo funciona, os personagens e seus modos de falar são muito clichês, é definitivamente algo que já temos dentro desse meio mas que ainda sim, possuí um certo charme dentro dele e não somente pelo fato dele ser bem desenhado, bem traçado e com uma animação mediana para boa.

Espero poder contribuir um pouco com os próximos, eu quero saber sobre quem é essa caçadora atrás dos protagonistas, suas motivações e que por favor, o clichê dele diminua e que ele possa a vir nos surpreender no futuro. Obrigado por terem lido, deixem suas opiniões nos comentários e nos vemos no próximo artigo.

Até a Próxima.