Entrevistámos Yasuhiro Fukaya (Tales of Berseria)

8

Recentemente tivemos a oportunidade de estar à conversa com Yasuhiro Fukaya, um produtor com mais de 10 anos de experiência na franquia “” que nos falou sobre o seu mais recente jogo, . Podem ver em cima um vídeo com uma breve parte da nossa conversa.

Tal como noticiámos anteriormente vai ser lançado no Japão para , e PC a 18 de Agosto mas Fukaya disse-nos que o lançamento no ocidente para e PC apenas vai acontecer em 2017.

Na apresentação de  foi confirmado que pela primeira vez na franquia temos uma personagem principal feminina, a bela Velvet, envolta num conflito entre a emoção e a razão num mundo devastado pela Deamonblight, uma misteriosa doença que transforma humanos em monstros.

Velvet era uma mulher clama que amava a sua família mas que após se abater sobre ela a tragédia parte numa jornada pessoal de vingança armada com o seu braço esquerdo monstruoso (Berserker) sob o qual poderá residir a salvação ou destruição do mundo.

Fukaya afirmou que a ação se desenrola numa área bem maior que os jogos anteriores e que vai de facto decorrer no mesmo mundo de , mas num espaço temporal diferente, ou seja, num passado distante de  onde está presente um continente em Wasteland que mais tarde se viria a chamar Glenwood.

Infelizmente não tivemos a oportunidade de jogar  mas pelo gameplay que nos foi mostrado os gráficos estão bem superiores aos de , com paisagens deslumbrantes e bem distintas, fieis à franquia , o hype não poderia ser maior.

O sistema de controlo também foi alvo de melhorias sendo que Fukaya nos exemplificou o funcionamento do Liberation Linear Motion Battle System, o novo sistema de combate que permite movimentos mais fluidos, a atribuição da ações a cada botão e com isso implementar um sistema altamente personalizável de combos. O novo sistema foi também arquitectado para ser mais fácil para os iniciantes no mundo de .

O Liberation Linear Motion Battle System (ou LLMBS para os amigos) para além da facilidade em fazer combos tem mais duas características, o Soul gauge e o Break soul. O Soul gauge “rouba” as alma dos inimigos que se vão acumulando, o Break soul, é uma ação especial que dá vantagem ao jogador em batalha e que permite ultrapassar os limites das artes por combo. O LLMBS introduz assim uma componente mais tática a .

Claro que como amantes de anime não deixamos de perguntar a Yasuhiro Fukaya como é trabalhar com o estúdio de animação , sendo que este elogiou o trabalho do estúdio afirmando mesmo que não imagina a franquia  sem o estúdio .

Para finalizar Fukaya revelou que  terá uma longevidade bem superior à de , com a inclusão da história principal, missões secundárias e mini-jogos, algo que não estava presente no jogo anterior.

Em jeito de conclusão, pelo estúdio de animação a qualidade está garantida, ficamos impressionados com os gráficos e jogabilidade ficando apenas a dúvida se vão conseguir explorar todo o potencial desta história de Velvet que promete ser um marco de viragem na franquia .

Ongame CDZ
  • Eduardo Faria Guimarães

    Tô com alto hype nesse jogo,pena que provavelmente não vai sair esse ano,Kingdom Hearts 2,8,Final Fantasy XV e Persona 5.Esse ano eu vou falir.

    • /B/

      Eu já sou pobre mesmo estão to de boa . . . . não, pera.

  • GrimStar

    Não entendi o que vocês quiseram dizer com “espaço temporal diferente”, ele vai se passar no mesmo mundo, só que em uma linha temporal diferente (tipo coisa de viagem no tempo saca?), ou é em outra época (mil anos antes de tales of zestiria, ou coisa do tipo)?

    • OtakuPT

      “num passado distante de Zestiria”

      • GrimStar

        Ah, obrigado por responderem 😉

    • Eduardo Faria Guimarães

      Ele vai se passar milhares de anos antes de Zestiria.

  • /B/

    Primeiro, protagonista feminina. Depois, protagonista Yuri! ( •̀ᄇ• ́)ﻭ✧

  • Não estou com um hype para esse jogo, vai ser o primeiro Tales que eu vou jogar – se eu conseguir acesso a ele. E… que demais, hein, Helder? Caraca, isso foi demais. Ter a oportunidade de entrevistar alguém com tanto tempo de experiência dentro do ”meio”.

    Que demais. <3