Sul-coreanos exigem censura dos brincos de Tanjirou em Kimetsu no Yaiba em todo o mundo

A Yahoo! News Japan publicou um artigo revelando que a polémica relacionada com os brincos do personagem Tanjirou Kamado na franquia Kimetsu no Yaiba (Demon Slayer) na Coreia do Sul ainda continua. Desta vez, os sul-coreanos exigem que a mudança seja aplicada pela Netflix a outras regiões do mundo, como a Austrália.

A Netflix estreou a adaptação anime de 26 episódios na Coreia do Sul, porém, o banner promocional mostrava Tanjirou Kamado com os brincos não censurados, o que causou a indignação dos sul-coreanos. É importante destacar que a Netflix foi a única plataforma naquele país que publicou a série “sem a censura”.

Tal como noticiámos anteriormente, os brincos fazem lembrar a bandeira imperial japonesa que muito países asiáticos consideram um símbolo da agressão nipónica durante a Segunda Guerra Mundial e para muito provavelmente evitar polémicas a série anime alterou o design dos brincos na China e Coreia do Sul.

No artigo podemos ler:

O protagonista, Tanjirou, usa brincos com um desenho que apontam é semelhante ao desenho da Bandeira do Sol Nascente, um símbolo do imperialismo japonês, mas devido aos protestos na Coreia do Sul via internet, o desenho foi mudado na transmissão daquele país. No entanto, ele não foi alterado na plataforma Netflix fora da Coreia do Sul, como a Austrália.

À primeira vista, os protestos contra a Netflix parecem inúteis. Isso ocorre porque a Netflix adquire apenas os direitos de distribuição das diferentes empresas de licenciamento para vários países e não tem direitos para modificar o conteúdo em outros países, como a Austrália. No entanto, protestar contra o conteúdo produzido no Japão parece ter-se tornado uma tendência na Coreia do Sul e tem atraído atenção nas redes sociais sempre que surge.

Num fórum de comentários sul-coreano, diferentes comentários podem ser lidos a favor e contra este protesto. “Japão, um aliado dos nazis, um país habitado por criminosos de guerra”, “Netflix apoiando criminosos de guerra, deve-se desculpar e garantir que nunca se repita”, e “Parece que a Netflix quer ser boicotada“.

A animação é da responsabilidade do estúdio ufotable (Fate/Zero, Kara no Kyoukai, Katsugeki: Touken Ranbu), a direção é de Haruo Sotozaki (Tales of Zestiria the X, Tales of Symphonia the Animation) e o design de personagens é de Akira Matsushima (Maria Watches Over Us, Tales of Zestiria the X).

O cenário é o Japão, era Taisho. Tanjirou é um menino de bom coração que viveu pacificamente com sua família como vendedor de carvão. A sua vida normal muda completamente quando a sua família é morta por demónios. A única outra sobrevivente, a irmã mais nova de Tanjirou, Nezuko, tornou-se num demónio feroz. Para devolver Nezuko ao normal e vingar-se do demónio que matou a sua família, os dois partem numa jornada. De um jovem talento, começa um conto de aventuras de sangue e espadas!

FONTE Yahoo! News Japan
Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.