Anime e Wrestling Profissional dois mundos tão diferentes tão iguais

Campanha o Melhor do Japão

Anime e Wrestling são dois mundos que parecem totais opostos. Para muitos apenas se baseiam em duas formas entretenimento. No entanto, o sub-género que conhecemos atualmente como Battle Shounen, e muitos outros valores da cultura pop foram baseados nas lutas festivas destes homens de tanga. À lupa descobriremos como estes dois mundos tão distintos se assimilaram de tal forma que hoje em dia é quase difícil os dissociar.

Tudo partiu do falecido Mitsuhiro Momota, ex-praticamente de sumo que se celebrizou como Rikidozan, e foi o primeiro wrestler profissional moderno do Japão. Através de uma força bruta e de um espírito de luta bem nacionalista, este senhor não só se tornou famoso em todo o mundo, como inadvertidamente semeou os campos do que mais tarde seria conhecido como Battle Shounen.

Após a Segunda Guerra Mundial, a produção de papel não abundava e os livros eram escassos. O mundo vivia numa época depressiva, pois praticamente não existiam formas de entretenimento e razões para ficar entusiasmado ou acreditar num amanhã melhor eram quase nulas. Foi com base nesses valores que Rikidozan se destacou. Este apresentou-se como um herói nacionalista que derrotava os grandes invasores conhecidos como os Big Bad Americans. Facto é que Rikidozan era de origem coreana, mas com base nos seus valores nacionalistas, a sua vertente japonesa era quase sentida, e aos olhos dos seus espetadores era um herói nacional. Numa época moderna tivemos um exemplo parecido com o Wrestler da WWE, Jinder Mahal. Este evocava valores do médio oriente, quer na sua caracterização como na sua personagem, mesmo sendo oriundo do Canadá.

Rikidozan era a personalização do que mais tarde se veio a conhecer como “Face“, um termo no Wrestling profissional que ocorre quando um lutador combate de maneira justa e é adorado pelo público, sendo que por vezes até se torna numa voz ou na extensão do mesmo, como vimos nestes últimos anos com Daniel Bryan e o seu YES! Movement. No que lhe concerne estes americanos do Mal (oriundos do Canadá), ficariam conhecidos como Heels. Este é o termo adverso ao Face, ou seja, quando um lutador é odiado pelo público, e através de trapaças e batotas consegue atalhos para o conduzir à vitória. Contudo, existem casos onde um Heel, pelo seu carisma consegue cativar o público, como foi o caso dos lendários Triple H (atual CEO da WWE) CM Punk e Stone Cold Steve Austin, mas esse é um assunto demasiado extenso para ser debatido entre linhas.

Tal como as lutas atuais, as contemporâneas também eram previamente planeadas e seguiam um enredo. Estas colocavam Rikidozan, contra a dupla malvada em todas as situações possíveis e imaginárias, não importava qual a fosse a humilhação causada pelos seus inimigos trapaceiros, Rikidozan, conseguiria sempre sair vitorioso e sorridente. Com o passar do tempo, e aos olhos do seu público, o lutador começou a ser uma extensão de esperança, para acreditar para lutar e para fazer do Japão um país de grandiosidade. Para ficarem com uma ideia é o mesmo sentimento que Mr. Satan/Hércules (que tirou moldes do wrestler Count Dante) transmitia aos terráqueos em Dragon ball Z.

A carreira de Rikidozan, atingiu contornos massivos quando os televisores se espalharam nos lares, ou seja, em meados dos anos 50. Para o povo japonês, assistir às lutas deste, aos sábados à noite passou a tornar-se quase um ritual, pois além de serem emocionantes seguiam a já referenciada linha narrativa. Com o passar do tempo o plantel do balneário também se expandiu, e depressa Rikidozan, conquistava amigos como inimigos. O seu carisma era tal forma tremendo que mesmo os seus inimigos iniciais, em certas ocasiões se uniram para enfrentar ameaças maiores e crescentes, para mais tarde se converterem em poderosos aliados.

Para a maioria que esta a acompanhar este testemunho, certamente que associará o parágrafo anterior, a Dragon Ball e muitos outros Battle Shounen. Nestas obras, o fluxo narrativo gere-se por batalhas, e devido ao carisma ou valores dos protagonistas, os seus inimigos muitas das vezes decidem transitar para o lado do bem. O tão célebre anunciar de movimentos (calling your attacks) e momentos descritivos ou introspetivos durante uma batalha também partiram do Wrestling profissional. Isto porque os seus comentadores eram uma extensão dos olhos do público, o que via ou o que sentia, e esse valor mais tarde se expandiu e se assimilou não só nos Manga e anime, como também em várias formas de entretenimento na cultura pop.

De certa forma o Battle Shounen, continuou a celebrizar os valores deixados no oriente por Rikidozan, e pelo Wrestling profissional. Isto porque também temos personalidades que enfrentam batalhas e conquistam aliados em lutas crescentes bem contra o mal. Tal como aconteceu com o Wrestling, os episódios usavam as lutas como principal dispositivo narrativo, enquanto pequenas histórias eram usadas como fluxo e preenchimento intermédio. Certamente já devem ter notado, que em várias ocasiões em diversas séries manga e anime, muitas personagens -geralmente para efeitos de comicidade- são castigadas com manobras de Wrestling profissional, tais como German Suplexes ou Figure Four Leg Locks. Pois, esse valor se deve a mais uma vez os dois mundos se unirem. Isto porque nos jornais de Wrestling que se popularizam na altura, existia um segmento dedicado a anime, aliás era a única via de informação desta era, e os seus criadores de muitas de obras manga e anime também cresceram também com este manifesto. Isto sem contar que o anime Tiger Mask, foi baseado numa personalidade real. Numa época muito recente, o oitavo episódio da série anime Akihabara The Animation é um testemunho visual destes dois mundos em perfeita harmonia. Tudo o que eram clichés do mundo do Wrestling Profissional foram evocados, destes os “Holy Sh*t” proferidos pelo público na arena, à tradicional mesa dos comentadores mexicanos que acaba sendo desfeita.

Hoje em dia, estes dois mundos -paralelamente distintos- juntaram-se de uma tal forma que é incrivelmente difícil afirmar onde começam e acabam. Muitos dos lutadores da WWE como Xavier Woods dos New Day, Cesaro e Sheamus, Asuka, John Cena, ou Sasha Banks, não escondem e apresentam-se com elementos ou caracterizações de muitas personagens anime. Xavier Woods, e a sua equipa durante uma edição da Wrestlemania apareceram a vestir armaduras dos Saiyans, Cesaro e Sheamus, enquanto a dupla The Bar apareceram a fazerem a pose da fusão durante a sua entrada em palco, Asuka, revelou que a sua indumentaria e valores base partiram de uma Lum (Urusei Yatsura) ainda mais temperamental, e John Cena e Sasha Banks, não escondem o seu amor e apreço a Hokuto no Ken, Sailor Moon, e Attack on Titan. No outro lado da arena Kenny Omega atualmente lutador da AEW revelou que retirou e continua a retirar inspirações de anime e videojogos para construir a sua personagem, o seu finishing move é baseado em Street Fighter VV Trigger” . Da mesma federação, Shana, a nossa atleta portuguesa também fez a sua estreia vestindo uma indumentária semelhante à de Goku. Outro lutador que pode ter-se inspirado no anime para criar uma personagem foi Matt Hardy, quando se tornou no Broken Matt Hardy, numa emissão do Impact Wrestling (TNA) e através do seu galvanizante carisma conseguiu cativar o mundo. Tal como no anime, Matt foi exagerado e expressivo, apagando quem considerava obsoleto (mesmo o seu próprio irmão) e transmitia a mesma energia e comicidade que encontramos em muitas personagens japonesas.

Inadvertidamente tal como no anime, o Wrestling, também é gira em torno das expectativas e emoções dos seus espetadores, seja na forma como se apresentam, falam ou reagirem nos ringues, ambos os públicos transportam o público para uma autêntica viagem. Considero o mundo do Wrestling profissional, um mundo injusto para quem o pratica. Isto porque muitos o rotularem à partida como um género teatral, e as prestações das suas superstars não são levadas a sério. Acreditem, tal como num Battle Shounen, estes atletas também têm também duras provas a conquistar. É certo que muitos associam Osamu Tezuka a pai do anime, mas quanto a Rikidozan não restam dúvidas que foi o pioneiro do Puroresuringu e um dos pilares do Battle Shounen.

Já conheciam o deslumbrante mundo do Wrestling Profissional?

FONTEForbes
Vindo de vários mundos e projetos, juntou-se à redação do Otakupt, pronto para informar todos os leitores com a sua experiência nas várias áreas da cultura alternativa. Assistiu de perto ao nascimento dos videojogos em Portugal, até à sua atualidade. Devora tudo o que seja japonês (menos a gastronomia), mas é também é adepto de grandes histórias e personagens sejam essas produzidas em qualquer parte do globo terrestre.