Blue Period já tem data de estreia

Blue Period será a primeira transmissão "semiparalela" da Netflix fora do Japão

O site oficial da adaptação para série anime do mangá Blue Period de Yamaguchi Tsubasa revelou que a série vai estrear no Japão dia 1 de outubro. Ficamos igualmente a saber que o tema de abertura é “EVERBLUE” por Omoinotake e o tema de encerramento é “Replica” por Mol-74.

Num outro comunicado a Netflix confirmou que transmitirá a série fora do Japão a partir de 9 de outubro, aproximadamente uma semana após a sua transmissão no Japão, e adicionará um novo episódio semanalmente. Esta é a primeira vez que a Netflix exibe um anime de forma semiparalela ao Japão, já que os lançamentos anteriores chegaram ao catálogo após o fim da transmissão japonesa.

A animação foi entregue ao estúdio Seven Arcs Pictures (Basilisk: The Ouka Ninja Scrolls), o diretor chefe é Koji Masunari (Kamichu!, Kokoro Toshokan, Saber Marionette R), a direção é de Katsuya Asano (Yu☆Gi☆Oh! VRAINS), o argumento é de Reiko Yoshida (Arte, Girls und Panzer, High School Fleet, K-On!) e o design de personagens é de Tomoyuki Shitaya (Bakuman, Hatsukoi Limited, Kiss x Sis, Oshi ga Budoukan Ittekuretara Shinu).

Temos como seiyuu:

  • Mayu Aoyagi como Maru Mori.
  • Fumi Hirano como Masako Saeki.
  • Masaya Fukunishi como Sumida.
  • Shinichirou Kamio como Koigakubo.
  • Tatsumaru Tachibana como Utashima.
  • Mika Hiratsuka como Umino.
  • Ikumi Hasegawa como Shirai.
  • Yuna Nemoto como Shirota.
  • Aoi Koga como Yamamoto.

Blue Period começou a ser publicado na Monthly Afternoon da Kodansha em junho de 2017 e o seu 9º volume foi lançado a 21 de janeiro de 2021.

Sinopse de Blue Period

Yatora é um estudante perfeito do ensino médio, com boas notas e muitos amigos. É uma performance sem esforço e, em última análise… uma sem graça. Mas ele vagueia pela sala de arte um dia, e uma pintura solitária captura o seu olhar, despertando-o para um tipo de beleza que ele nunca conheceu. Compelido e consumido, ele mergulha de cabeça – e está prestes a aprender como a arte pode ser selvagem e implacável!

Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.