Criador de Gundam diz que “Japão já não é um líder em animação”

O que é assustador é que até intelectuais de universidades de renome como a Universidade de Pequim entraram no mundo do anime.

Netflix mostra nova arte conceitual do filme live-action de Gundam

Num discurso no Museu de Arte Moderna de Hokkaido na exposição “Mundo de Yoshiyuki Tomino”, que decorre em Sapporo de 17 de outubro a 23 de janeiro, Yoshiyuki Tomino, o criador da franquia Gundam proferiu duras palavras sobre a indústria japonesa de animação.

Ele elogiou os criadores nascidos em Hokkaido com quem trabalhou, como Yoshikazu Yasuhiko (Mobile Suit Gundam), Tomonori Kogawa (Space Runaway Ideon) e Akira Yasuda (Turn A Gundam), no entanto, ele também falou sobre os desafios atuais no ambiente criativo do Japão, alertando que “o Japão já não é um líder em animação”.

À medida que as técnicas digitais evoluem, sinto que a posição da indústria da animação se tornará precária. Como uma pessoa da indústria anime, irrita-me que eles tenham chegado tão longe que podem até fazer animação. Mas isso também indica como, utilizando animação digital, até mesmo um único indivíduo pode criar um todo satisfatório. A questão é como deve a produção de anime do Japão, que lida com séries e obras guiadas por histórias, considerar estes desenvolvimentos?

Ele disse que percebe uma certa indiferença na Sunrise em relação a essas inovações e que acha que ele e o estúdio têm a responsabilidade de procurar proactivamente novos talentos. No entanto, a um nível fundamental, ele espera que o fluxo de trabalho possa evoluir para que as opiniões de homens idosos como ele não sejam mais necessárias para impulsionar as coisas. Ele também espera que a geração digital, por sua vez, possa abraçar os ambientes de trabalho em equipe dos estúdios para criar coisas que não sejam apenas projetos pessoais, mas que também possam ser consideradas “entretenimento aberto” pelo público.

Tomino destacou depois o rápido desenvolvimento da animação em Pequim, dizendo que “eles estão a desenvolver trabalhos muito refinados de entretenimento comercial”. Ele disse que os amantes de anime que assistiram às suas palestras na Universidade de Pequim há 10 anos estão agora a trabalhar como profissionais na atual indústria de animação chinesa.

O que é assustador é que até intelectuais de universidades de renome como a Universidade de Pequim entraram no mundo do anime.

Além disso, ele afirmou que o governo chinês tem apoiado fortemente a sua indústria doméstica de animação como parte da sua política de estado. Ele disse que, em comparação, os políticos japoneses estão a agir como se “estivessem presos 30 ou 40 anos no passado”.

Existe o perigo de que se o Japão continuar a fazer anime com um único foco no ângulo dos negócios, sofreremos uma derrota total para os tipos de Pequim. Mas não pretendo atirar um osso para aqueles que vieram para a minha palestra. Não quero perder. Mesmo assim, quero que todos saibam que o Japão já não é um líder em animação. Apesar disso, a mídia e o mundo dos negócios não estão cientes disso.

Tomino criou e dirigiu o anime Mobile Suit Gundam em 1979. Ele fez a sua estreia na Mushi Production de Osamu Tezuka, onde trabalhou na série anime Astro Boy.

Subscreve
Notify of
guest
15 Comentários
Mais Antigo
Mais Recente Mais Votado
Inline Feedbacks
View all comments
Passuwado
Passuwado
24 , Dezembro , 2021 19:39

A indústria dos animes não anda bem das pernas, isso ficou claro no caso do presidente da ufotable, o enorme lucro que é ganho vai praticamente todo pros comites de produção e o resto da cadeia de produção fica na miséria.

Existe uma crise criativa também, toda temporada é produzida uma enorme quantidade de animes ruins, isekais genéricos, ecchi pastelão, garotinhas moe sem cérebro, protagonistas kirito face, harém vergonha alheia etc.

Animes de baixo calão feitos única e exclusivamente para ganhar a maior quantidade de dinheiro possível em cima das fantasias distorcidas dos otakus japoneses.

E se por um acaso algum destes fizer sucesso, criar continuações infinitas para deixar o consumidor preso a franquia pelo resto de sua porca vida.

Mas não se enganem, a china nunca será capaz de produzir obras verdadeiramente profundas, afinal de contas aquilo é uma ditadura e tudo que sai de lá é cuidadosamente censurado para não se opor a visão de mundo do partido.

Sem falar que a maior parte da população chinesa é doutrinada, que tipo de historia você acha que alguém que sofre lavagem cerebral vai criar ?

Já o ocidente sofre de outro problema, a imbecilização que as ideologias identitárias causaram nas pessoas, ocidentais não querem mais contar uma historia, eles querem lacrar e fazer propaganda política.

Resumindo, você que só quer consumir um negocio legal ta ferrado

Carlos santos
Carlos santos
Reply to  Passuwado
25 , Dezembro , 2021 18:24

kkkkkkkkkkkkkkkk Só rindo mesmo desse povo que sabe na de economia e banca o PHD nas redes sociais

Japão é um país socialista, com as suas políticas keynesianas do governo ao longo de décadas,acabarm mutilando a economia do Japão, muita coisa no país é censurado como,por exemplo os eventos da segunda guerra mundial que os japonês assassinaram milhões de pessoas com suas política eugenistas e ainda tem todo o coletivismo que deixaram a população japonesas problemática senpai e kouhai

Sakura Hibiki
Sakura Hibiki
Reply to  Carlos santos
27 , Dezembro , 2021 0:19

No Japão tem sim muita censura… Eles basicamente não podem criticar governos estrangeiros aliados em obras artísticas. Também não citam os atos bélicos que eles tiveram para com a Coreia e a China durante os últimos 150 anos.

As obras de lá, assim como na China, focam na própria história patriótica ou em fantasia ou sci-fi além de comédias e romances padrão. A única diferença entre a produção artística japonesa e chinesa é que no Japão é normal colocar muita sexualidade nas obras e na China é proibido. Mas no Japão ainda é muito tabu entrar em temas como homossexualismo explícito nas obras, fora que a PTA tem ganhado força e por isso a violência em animes pra TV também foi muito suavizada. Nesse quesito a Coreia do Sul é mais liberal.

Likou
Likou
Reply to  Carlos santos
26 , Dezembro , 2021 21:05

“Japão é um país socialista” HUEHEUHAEHAEUHAEHAEHEAUHAEUHAEHUAEH

Samurai
Samurai
Reply to  Passuwado
25 , Dezembro , 2021 0:15

Eu acho que o buraco do Japão é mais fundo até do que as péssimas escolhas de adaptação ou criatividade e onda de remakes, a indústria está em colapso, centenas de animes pra um indústria que não está aguentando a demanda do mercado e falta mão de obra e um pagamento justo, uma hora vai romper.

Dá China pode ser verdade a limitação por motivos óbvios, mas eu acho que vamos conseguir encontrar coisas legais como The Legend of Hei foi um longa animado muito interessante, também tivemos outras doutrinas e ditaduras em outros tempos em outros países e mesmo assim artistas conseguiam burlar de certa forma esses sistemas. Sem falar que querendo ou não um estúdio chinês pode ajudar sendo tercerizado e servir de suporte nas animações (como os coreanos são) ajuda bastante na qualidade das produções mundialmente, não é só sobre criar obras.

Poxa tava indo tão bem, que imbecilização tu tá falando? Espero que não seja sobre os cartoon, não use o termo lacrar pra propor para discorrer sobre o tema, é vazio e vago demais cara. Toda obra é uma peça política, precisamos entender o contexto histórico que está mídia está ligado, os recente casos de determinadas discussão que estamos vendo é só um fruto do nosso tempo, precisamos entende-la neste contexto não crucificar como se não pudesse existir/abordar ou como se fosse algo criado atualmente, isso vem desde que isso tudo é indústria, faz parte do jogo cultural e social.
Toda mídia do Japão é político, faz uma representação das estruturas sociais, humanas e uma visão de um país, então ele é político como toda obra de qualquer país (Americano, socialista, francês, brasileiro, italiano, escandinávia) este termo de “propaganda” no que aprendi na faculdade de cinema só é utilizado como forma de não crítica, diminuindo o valor artístico e visões sem comentá-los e discuti-lo (que inclusive existe artistas identitárias até no Japão, não dá pra afirmar que os japoneses são unanime de apenas um pensamento político, isso não existe em nenhum lugar no mundo).

Carlos santos
Carlos santos
25 , Dezembro , 2021 18:32

A grande maioria dos animes é esquecivel,são produtos clichês e
genéricos como isekais e shounen que seguem a mesma formula a décadas, se tornando mega previsível de se assistir.

Produtos enlatados desse tipo que muita gente nem vai pagar para assistir,vai ver na pirataria mesmo.Ainda mais que o japão tem uma mentalidade ludista e não fez uma plataforma propria de animes mundial para exibir suas produções simultaneamente com várias linguas

Likou
Likou
Reply to  Carlos santos
26 , Dezembro , 2021 21:07

Você é bom em falar bosta, hein?

🎅 Pico 🦌
🎅 Pico 🦌
24 , Dezembro , 2021 22:47

Se eu entendi certo.
Ele disse que animação digital será o futuro, no caso cg, se foi isso realmente Japão tá cada vez mais usando cg, digital Etc. Em seus animes.
E que a China tá cada vez melhor em produzir animações, isso também é verdade a qualidade das animações chinesas tá absurdamente insana e ao contrário dos que alguns acham é possível sim eles dominarem o mercado.
Pelo menos foi isso que entendi.🎅🍦

Likou
Likou
Reply to  🎅 Pico 🦌
26 , Dezembro , 2021 21:06

Animação digital não é o mesmo que CG. Ela comporta várias técnicas para animação em 2D também e nisso a China é sim a campeã atualmente.

Samurai
Samurai
25 , Dezembro , 2021 0:31

Bom pra mim é ótimo que o digital torno acessível o aprendizado para fazer animações, eu só estou no mercado de animação hoje por ter aprendido no digital, jamais chegaria aqui se tivesse que depender de ter universidade de animação (que é raro no Brasil) ou entrar em estúdio pra aprender na marra como esses velhos anciões da indústria.

O japão ter sido tanto tempo fechado em si não ajuda (hoje a indústria tá recebendo bem mais animador, músico e etc de fora) oq é legal pq o mercado deles cresceu demais, é impossível darem conta de tanta demanda e acharem que está okay, sabe a equipe de Wonder Egg Priority foi hospitalizada pela produção apertada, essa temporada de janeiro eles estão com dois animes mega bem produzidos (Sono Bisque Doll e Akebi-chan) e eu já estou mega preocupado pela condição de saúde deles, nem saíram direito da produção de Egg, custaram entregar e parte da equipe da CloverWorks já pegaram 2 animes pra fazer em seguida, isso não é normal.

É difícil dizer sobre liderança de animação de um país quando tipo, toda essa indústria de animação vive se ajudando, essas produções não são só pessoas de um país, é um trabalho coletivo.

Likou
Likou
24 , Dezembro , 2021 18:22

Dependendo do contexto ele tá correto. Se for quanto a dinheiro, obviamente o mundo inteiro está atrás da China, pois eles tem investido pesado em tudo, e isso naturalmente se reflete nas técnicas de animação.

Agora se for quanto a qualidade e variedade das obras, não. A China no fim das contas é muito limitada por conta do Partido comunista ditando regras então o Japão permanece no topo do mundo nisso. Japão dificilmente perderá a relevância por conta disso.

Sakura Hibiki
Sakura Hibiki
Reply to  Likou
27 , Dezembro , 2021 0:09

Acho que você não conhece muito bem as obras artísticas da China atual. Realmente os autores não batem na cara do governo, mas em várias obras há várias críticas indiretas e escondidas, isso em animes chineses, dramas, filmes etc.
Mas como as críticas são de certo modo genéricas da própria situação humana e também valeriam pra governos estrangeiros, passam fácil pela censura.

As únicas coisas que realmente você não vai ver se modo algum em produções chinesas é conteúdo sexualizado (principalmente homossexualismo) e conteúdo tido como antipatriotico (no que entra críticas ao governo). Isso a censura chinesa não perdoa.

Marcelo Bastos
Marcelo Bastos
27 , Dezembro , 2021 20:39

Nada de novo. Há muito que aguardo a china e a coreia dominarem o mercado. Sinceramente, há obras que eu gosto japonesas claro, mas há muito que sinto que grande parte está presa no passado com os estereótipos japoneses que sinceramente já cansam. Entrei no mundo de manwha com Tower of God e fiquei “apaixonado” pela forma moderna como eles abordam o tradicional “manga”. Muito mais atual e de forma gratuita, a cores e de fácil leitura digital (embora prefira livros). Sem dúvida o futuro é sorridente para o mercado fora do japão e um pouco sombrio para o japão, mas sinceramente não tenho pena. Há muito que o Japão domina e pouca originalidade trouxe. De facto, ultimamente até tem surgido com obras menos “tradicionais”, mas já vem um pouco tarde e talvez um retrato do medo que eles têm pelo facto de estarem a perder o mercado internacional para a coreia e china. No fundo, espero que isto sirva para nós consumidores uma melhor qualidade de obras e menos tempo para obras clichés e preguiçosas a que os japoneses tanto nos andam a habituar.

Orcbolg
Orcbolg
28 , Dezembro , 2021 16:35

Na minha opinião o cara falou merda. Não vejo concorrentes para o Japão nesse mercado. A China passa longe.

Nuno Alves
Nuno Alves
31 , Dezembro , 2021 9:41

Acho que mesmo assim o Japão ainda está bem colocado nisso. Os EUA é muito fraquinho em termos de animação.