Destaques “Seisaku” da Semana #4 – Adeus Verão, Olá Outono (Parte 1)

Destaques “Seisaku” da Semana #4 - Adeus Verão, Olá Outono (Parte 1)

Chegamos ao fim da temporada de verão e ao início da temporada de outono, este artigo vai servir para finalizar a temporada com os últimos comentários e impressões finais de alguns dos animes que mais se destacaram na temporada agora terminada. No segundo artigo irei escrever sobre as minhas primeiras impressões sobre as estreias que já ocorreram da temporada de outono.


Fire Force S2

O 13º episódio Fire Force S2 é o perfeito exemplo de uma harmonia quase perfeita e todos os aspetos, direção, storyboards, trilha sonora e animação, o que fizeram com que tivéssemos um dos melhores episódio da série e certamente o mais brilhante desta segunda temporada.

Como já podem adivinhar, este foi mais um episódio dirigido pelo incrível diretor Shuntarō Tozawa acompanhado pelos storyboards de grande nível de Yasufumi Soejima. Os storyboards de Yasufumi Soejima cheios de profundidade e o jogo de cores distinto de Shuntarō Tozawa deram uma incrível atmosfera de suspense e mistério ao longo do episódio. Só pela direção este episódio valeu muito apena assistir! Mas, não foi só…

Yasufumi Soejima x Shuntarō Tozawa

O episódio contou com a presença também com alguns dos melhores animadores de ação que veem participando na série como, Yuki Sato, Riki Matsuura, Kazuhiro Miwa e Yasuto Hirohara. Yuki Sato foi responsável por esta incrível sequência usando toda a sua habilidade de desenhar personagens variando entre traços normais e traços de desenho mais grossos para adicionar “volume”.

Riki Matsuura desenhou esta cena de “insanidade” do Joker cheia de personalidade e criatividade artística.

Yasuto Hirohara animou esta cena extremamente fluída de combate de corto alcance, repleta de “smears” e movimentos rápidos.

Por último, queria destacar a cena brilhante do principal animador de efeitos 3DCG da série, Ryo Ohashi, que tem sido responsável por grande parte dos efeitos CG extremamente realistas que temos visto ao longo da série, e no episódio 13 não foi diferente.


Sword Art Online – Alicization
War of Underworld Parte 2

SAO terminou em boa nota a sua melhor adaptação da franquia até ao presente, neste episódio onde se reuniu grande parte dos supervisores regulares da série como Go Suzuki, Yumiko Yamamoto, Akiko Itagaki, entre outros. Hirokatsu Maruyama supervisor de ação deste segundo cour fez supervisão de animação e também animou algumas cenas de ação, tal como, o animador ace da produção Yoshihiro Kanno que foi o supervisor de ação do episódio. O episódio tem início logo com uma cena muito bem animada por Ayaka Minoshima com grande fluidez e gestos naturais.

Diga-se de passagem, que a primeira parte do episódio foi repleta de cenas bem animadas de animação de personagens com grande personalidade e fluidez. Já a última parte do episódio foi bem excitante com algumas uma sequência de luta com destaque para as cenas de Yoshiro Kanno e Hirokatsu Maruyama

Em nota de despedida, este segundo cour de War of Underworld teve uma produção mesmo muito acima das melhores expectativas, muito se devendo à paragem que foi feita entre os dois cours o que permitiu que o staff pudesse fazer uma rotação de staff mais eficiente sem a perda da qualidade de produção.


The God of High School

Para surpresa de ninguém, Sunghoo Park continuou a ser o pilar da produção na sua reta final em todos os aspetos. Mesmo com a presença de animadores de renome como Toshiyuki Sato, Keiichiro Watanabe, Shinsaku Kozuma, entre outros, Park acabou tendo influência direta em todas as sequências de ação mesmo quando o animador responsável pela cena fosse outro.

Apesar da direção de ação de Park ter tido um grande impacto na primeira parte da série, especialmente a técnica de rotação de câmera e coreografia de luta, é efeito meio que acabou por desfalecer um pouco e causou muito menos impressão nos últimos episódio. A partir de um certo ponto, passou a ser difícil de seguir as sequências de luta, especialmente para mim, que esperava um pouco de mais realismo em termos de artes marciais,em adição, a direção do enredo que foi, digamos que, muito questionável e extremamente confusa.

Concluindo, foi um anime que valeu muito pela sua ação incrivelmente excitante até a um certo ponto que passou a ser algo mundana, e um enredo que foi gradualmente caindo em interesse. Ficam alguns dos destaques dos episódios 12 e 13, com grande participação de Park, Keiichi Ishida e Toshiyuki Sato:

 


Kanojo, Okarishimasu

Estaria a mentir se dissesse que Rent-a-Girlfriend foi uma produção fantástica, no entanto, não poderia deixar passar esta oportunidade de destacar os esforços do staff com recursos limitados, especialmente o diretor Kazuomi Koga e a designer de personagens Kanna Hirayama

Apesar de que em termos de enredo o anime acabou por ser o que eu esperava, protagonista incompreensível e com uma debilidade grande de inteligência, as personagens “secundárias” acabaram por se destacar mais. Responsabilidade da designer Kanna Hirayama que cometeu a proeza de supervisionar todas as cenas do anime, realisticamente falando, na indústria de anime atual isso é um feito quase impossível. Em adição, tanto o Kazuomi Koga e Kanna Hirayama participaram em outros animes/projetos como Re:Zero e Houkago Teibo Nishi em simultâneo.


 

Ahiru no Sora

Apesar de bastante limitado, Ahiru no Sora conseguiu entregar um penúltimo episódio com algumas cenas com animação interessante. Isso se deve a Sorato Shimizu que além de dirigir e desenhar os storyboards para o episódio, foi ele mesmo que o animou tudo sozinho, conseguindo assim ter o controlo total sobre o episódio e animar algumas cenas interessantes. 

A falta de recursos desta produção foi evidente desde o primeiro episódio, à excepção das aparições do supervisor de ação da série Kyousuke Maeda que mesmo assim foi capaz de corrigir e animar um número razoável de cenas dado à longevidade do anime em termos de episódio.

Tirando essas excepções de alguma qualidade, apesar da Diomedia ser o estúdio de produção principal, a verdade é que cerca de 90% do anime foi produzido e animado pelo estúdio coreano Synod, que esteve envolvido desde o primeiro ao último segundo.

Finalizando, para quem não se importa tanto por falta de animação fluída, o enredo por si só consegui atrair algum interesse e até ter momentos emocionantes. Mas se estão à procura de um anime de desporto na linha de Kuroko no Basket ou até mesmo Haikyuu, nem de perto nem de longe vão ter o mesmo produto.


Re.Zero S2

Este primeiro cour da segunda temporada de Re:Zero terminou, e a White Fox e seu staff respiram de alívio. Nem tanto no sentido mesmo negativo da palavra, mas pelas dificuldades que o estúdio tem tido para entregar esta produção com uma qualidade decente. A White Fox desde à uns 2 anos para cá que tem perdidos elementos importantes da sua staff, o que fez com que apenas um cour tenha sido um verdadeiro desafio para concluir, quanto mais fazer um temporada inteira de 25 episódios de seguida. E outro facto é que o estúdio Nexus que estava na co-produção na primeira temporada não esteve presente, por isso, White Fox teve de se apoiar nos seu próprio staff que é bem curto.

No que diz à animação infelizmente não teve o brilhantismo da primeira temporada, a presença do único animador de ação da White Fox, Kazuhiro Ota, foi essencial. Sendo que ele animou quase todas as cenas de ação e também foi supervisor de animação.

Por outro lado, em termos de direção posso dizer que com certeza esta temporada foi a melhor até agora. Muito se deve ao diretor geral Masaharu Watanabe que geriu de forma bem eficiente o pouco staff que tinha sem sobrecarregá-lo em demasia e ainda assim participando diretamente em todos os episódios mesmo quando não foi creditado. A sua influência foi visível ao longo do cour inteiro, melhor exemplo seria o facto de que a sequência de abertura apenas foi exibida em apenas dois episódios e a de encerramento em três, os episódios geralmente ultrapassam os 26 minutos chegando quase a meia hora.

Masaharu Watanabe


 

One Piece

Numa rápida nota, o episódio #943 destacou-se com a presença de um dos melhores animadores de ação regulares de One Piece, Takashi Kojima, que regressou para animar mais uma cena climática desta vez com um golpe finalizador de Sanji. O senso perspectiva e o desenhos característicos de Kojima continuam melhor que nunca! O detalhe de desenho do dinossauro é simplesmente incrível, lembrando que Kojima foi designer e supervisor principal do último filme de Doraemon “Nobita’s New Dinosaur”, pelo nome já devem adivinhar que envolveu bastantes designs de dinossauros, então podemos dizer que estamos perante um verdadeiro especialista em desenhar dinossauros…

O outro destaque do episódio pertence ao animador em ascensão da Toei, Dennis Cablao, que animou uma cena espetacular de luta de espadachins com uma excelente coreografia e efeitos visuais. Sem dúvida a melhor cena que animou em One Piece, sendo que Cablao é atualmente um dos animadores ace da subsidiária da Toei Animation nas Filipinas  que está a destacar-se cada vez mais no arco atual.