Entrevista a loundraw, diretor de Summer Ghost

Recentemente a ANN esteve à conversa com loundraw (I want to eat your pancreas, Josee, The Tiger and the Fish, Vivy -Fluorite Eye’s Song-), o animador e ilustrador que se estreou como diretor em Summer Ghost.

Além de dirigir, loundraw também é responsável pelo design dos personagens originais, e o Flat Studio, o estúdio que loundraw fundou em 2019, é o responsável pela animação. Hirotaka Adachi, mais conhecido como o romancista Otsuichi (Stare, Goth, Calling You, Zoo), escreveu a história, e o pianista de renome internacional Akira Kosemura contribuiu para a banda sonora.

Com a sua estreia na direção em Summer Ghost, que é um curta-metragem de quarenta minutos, como você mudou o seu olhar para a direção? Anteriormente, você dirigiu trailers mais curtos de dois minutos.

Acho que para um visual de dois minutos, é mais sobre a experiência e não sobre a história. Como o tempo do som, ou o que ele faz você sentir. Mas para um filme de quarenta minutos, é sobre a intenção do diretor que está em primeiro plano. Eu tive que pensar nisso não como vinte visuais diferentes de dois minutos, mas mais como uma sequência completa. Tive que explicar também como me sinto como ser humano, como me sinto em relação a tudo na história. Foi nisso que me concentrei.

Numa entrevista anterior, você mencionou que os personagens – Tomoya, Aoi, Ryō e Ayane – são baseados em partes da sua própria personalidade. Eles refletem como você estava a sentir-se ao trabalhar em direção aos seus objetivos na indústria de animação?

Eles podem ter sido uma parte de mim, e foi assim que me senti quando estava a fazer este filme. Mas, em certo sentido, também era diferente porque Summer Ghost – além de ser a minha história – poderia ser a história de outra pessoa. Ou até mesmo uma história sobre como as pessoas superam os seus obstáculos. Quando criei estes personagens e comecei a trabalhar com eles no filme, eles estabeleceram as suas próprias personalidades. À medida que a história estava a ser escrita, eles começaram a mover-se e a assumir um papel próprio. Acho que resultou bem.

Quanto tempo levou para você e o staff completarem Summer Ghost?

Acho que levou talvez um ano para o processo de animação, mas eu estava a trabalhar na história um ano antes disso. Para a história fiz algo um pouco diferente dos padrões de fazer um anime. Eu estava a fazer a história e o storyboard, e então levei as ideias do storyboard de volta à história. Foi um processo muito colaborativo entre mim e o guionista. Esse processo sozinho levou um ano e depois a animação foi outro ano.

Você fez uma introdução em vídeo para a pré-estreia do Summer Ghost na Anime Expo no início de julho. Foi a primeira vez que você esteve em Los Angeles?

Sim, essa foi a minha primeira vez em LA. Estou muito animado e um pouco nervoso porque LA é uma cidade especial cheia de cultura cinematográfica.

Você planeia visitar algum dos estúdios de cinema enquanto estiver aqui?

Não tenho planos de ir a nenhum dos estúdios de cinema, mas adoraria um dia. Eu tive a chance de ir ao Museu da Academia e aprender sobre a história de Hollywood. Ganhei muito com essa experiência.

Mudando de assunto, fundar um estúdio ainda jovem é muito ambicioso. Considerando o grande número de desafios na indústria de animação japonesa, o que você aprendeu na criação do Flat Studio?

Realmente resume-se à razão por que decidi criar o meu próprio estúdio. Isso veio naturalmente para mim porque sem criar o meu estúdio, eu não poderia criar o que eu queria. Eu tenho este estilo que é difícil de explicar para alguém. Por exemplo, posso dizer: “tente não desenhar muito”. Mas isso é algo que eu sinto que não posso explicar bem. Tudo se resume à pessoa que estou a ensinar, como ela se sente, seu senso de estilo e como a equipa se sente. Ao ensiná-los e colaborar com eles, ganhei muita experiência e foi um processo interessante.

Você trabalhou em várias posições, como designer de personagens, guionista e storyboard. Qual você mais gosta?

Eu gosto mais de ser um ilustrador. Mesmo dentro de uma sequência em movimento, acho que uma ilustração está a cortar uma cena desse arranjo. Isso é o que se destaca para mim. Mesmo que eu me tornei um diretor agora, eu quero manter as minhas raízes como ilustrador e é para isso que eu me costumo inclinar.

Como você mencionou antes, uma das razões pelas quais você começou o seu próprio estúdio foi porque você sentiu que não podia trabalhar nas suas próprias histórias sob as restrições da atual indústria de animação. Você encontrou algum desses mesmos desafios enquanto trabalhava em outros estúdios?

Acho que se alguém tivesse uma motivação diferente sobre o motivo de estar na indústria de animação, poderia sentir que o meu estúdio tem um problema. Tudo se resume à estrutura de como a animação japonesa é criada. Quanto à minha equipa atual do Flat Studio, eles sabem que o que estão a fazer é algo novo e diferente. Eles parecem estar a divertir-se muito e têm muita paixão por ir atrás do que querem fazer. Eu não acho que o meu estúdio está a encontrar os mesmos problemas.

Dadas as reações das exibições na Anime Expo e Animation is Film Festival, o que você quer tirar da receção do público americano a Summer Ghost?

O que eu quero que o público tire ao assistir ao meu filme é ter uma visão diferente do mundo quando eles saem. Talvez o cenário ou o mundo pareça um pouco diferente. Ou eles começem a pensar sobre o que significa viver. Eu também quero que eles percebam que este filme é a minha opinião sobre como me sinto sobre a vida e a morte. Estou curioso para saber o que o público americano pensa sobre a vida e a morte depois de assistir ao filme.

Summer Ghost short visual

Sinopse de Summer Ghost

A história da curta animada tem origem numa ilustração desenhada por Loundraw. Tomoya, Aoi e Ryō são alunos do ensino médio que se conheceram online. Uma lenda urbana fala de um “fantasma de verão”, uma menina espiritual que aparece quando fogos de artifício são lançados.

Tomoya não consegue viver a vida que imaginou para si mesmo. Aoi não consegue encontrar o seu lugar no mundo. Ryō tem o seu futuro brilhante repentinamente afastado. Cada um tem o seu próprio motivo para precisar encontrar o fantasma do verão. Numa noite de verão, quando a vida e a morte se cruzam, aonde cada uma das suas emoções os levará?

loundraw ficou conhecido pelo seu talento como ilustrador ainda adolescente e como projeto final de faculdade em 2017 fez “Yume ga Sameru made” (Before you wake up), um trailer para um possível filme que podem ver em baixo.

Ele foi o responsável pelo design de personagens original da série anime (The Moon is Beautiful / A Lua é Bonita) e também foi o responsável pelo design de personagens e ilustrações da novel Kimi no Suizō o Tabetai (I Want to Eat Your Pancreas / Eu quero comer o teu pâncreas) que mais tarde inspirou um filme anime.

Em cima podem ver “Rakka-sei” (“Life of Falling”), um filme conceito original do Flat Studio.

Daiki Yamashita interpreta o herói do anime, Akari Kitō dá voz à heroína e Marie Miyake dá a voz à professora. Eve é responsável pelo tema musical “sono”.

A história segue Kaede, um estudante do ensino médio em Tóquio, que é atormentado por sonhos misteriosos. No mundo dos sonhos, onde monstros se contorcem, ele encontra o seu outro eu. À medida que este mundo espiritual se desgasta, Kaede lida com o segredo das suas emoções.

Subscreve
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments