Entrevista ao diretor de animação de Arcane

Aqui no OtakuPT entrevistámos Barthelemy Maunoury, o diretor de animação da série Arcane, produzida pela Fortiche Production em associação com a Riot Games que acabou de estrear na Netflix.

Depois de se formar na Gobelins, ele foi para Inglaterra, onde foi animador de personagens na Framestore, notavelmente no filme “Harry Potter e o Cálice de Fogo“. Durante 5 anos, ele desenvolveu a sua técnica centrada na animação realista. Desde então, ele alterna entre Inglaterra e França, ampliando as suas habilidades de design de personagens, bem como outros estilos de animação. Ele evoluiu de animador de personagens para diretor de animação, trabalhando em projetos como “A Monster in Paris”, “The Adventures of Tintin: The secret of the Unicorn”, “The Minions”, “Sing” e “Asterix – The domain of the Gods”.

Em 2012, a sua atração pela banda Gorillaz levou-o a trabalhar num de seus videoclipes dirigido pela Fortiche Production. Foi criada uma simbiose e após esse projeto os donos do estúdio Pascal, Jérôme e Arnaud contactaram-no quando nasceu o projeto Arcane.

Como acabou por se envolver neste projeto?

Eu trabalhei pela primeira vez no Fortiche há 10 anos e imediatamente adorei a vibe daquele estúdio. Depois daquele primeiro trabalho, mantivemos contacto por um bom tempo esperando o surgimento de um bom projeto para nos reunirmos. Quando Arcane surgiu, fiquei impressionado com a visão de seu criador, Christian Linke e a ambição de Pascal e Jerome, os fundadores da Fortiche e eu sabia que aquele projeto seria um “game changer”. Então eu entrei.

O que os fãs podem esperar de Arcane?

Arrepios e emoção. Esperariam que Arcane fosse uma série de ação, mas é mais como um drama com arcos intensos de personagens. Também tem essa qualidade de longa-metragem, desde a história até à animação e a imagem final, o que é muito incomum neste formato.

Arcane tem seu próprio estilo artístico, de onde veio a sua inspiração?

De todos os lugares, realmente. A Fortiche é bem conhecida pela mistura de visuais 2D e 3D, mas para mim, o que torna o trabalho da Fortiche tão especial é a direção, a encenação, a maturidade. Arnaud e Pascal, os dois diretores, não hesitam em usar referências de cultura pop tanto como artes plásticas ou filmes de autor.

Qual é o principal desafio de criar uma animação inspirada num videojogo?

Não criamos a série como uma adaptação de um videojogo. Nós apenas tentamos fazer uma série cool. Dito isto, sabíamos que estávamos a lidar com um grande lore que tínhamos de respeitar. Já conhecíamos o jogo, mas fizemos o nosso trabalho de casa estudando-o ao máximo quanto possível para não dececionar os fãs.

Quanto tempo demorou para animar os episódios?

Apenas animação, cerca de dois anos. Mas, dos storyboards à imagem final, é mais como 4
anos.

Aproximadamente quantas pessoas trabalharam em Arcane?

Algumas centenas. Eu não tenho o número específico.

Qual é a sua parte favorita de trabalhar em Arcane?

A liberdade que a Riot nos deu. Estive envolvido em muitos projetos diferentes e nunca vi uma parceria tão boa. Serei eternamente grato por essa confiança.

A Netflix tem vindo a concentrar-se cada vez mais na animação, como vê o futuro da animação?

Eu realmente não tenho ideia… Eu gostaria de ter… haha

Como somos um site muito ligado ao Japão, temos de perguntar quais são as suas animações japonesas favoritas?

Tudo de Satoshi Kon ou Koji Morimoto!

Por último, mas não menos importante, tem alguma mensagem para os fãs?

Espero que a paixão que todos na equipa colocaram ao fazer esta série apareça no ecrã. Todos nós mal podemos esperar para ver a vossa reação, ela funciona como um combustível para nós

Subscreve
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments