Mais...
    InícioAnimeExecutivo da Crunchyroll diz que anime na Netflix é bom para os...

    Executivo da Crunchyroll diz que anime na Netflix é bom para os fãs, para a indústria e para a própria Crunchyroll

    “ótimo para os fãs, para a indústria e, em última análise, é ótimo para nós”

    Crunchyroll logo screenshot website

    Numa recente entrevista ao Deadline, o vice-presidente sénior de comércio global da Crunchyroll, Mitchel Berger, revelou que acolheu com satisfação a presença da Netflix no mercado de streaming de anime, alegando que é “ótimo para os fãs, para a indústria e, em última análise, é ótimo para nós”.

    Quando questionado sobre a presença de série anime na Netflix e se isso complicava a vida à Crunchyroll, Berger afirmou:

    A forma como vemos as coisas é que a Netflix obviamente tem uma grande plataforma, um grande público endereçável. Sempre que pudermos expor as pessoas ao anime, acho que é melhor para a indústria, é melhor para nós. O que descobrimos é que os fãs de anime sabem instantaneamente se são fãs ou não. Ou você é realmente um fã ou pensa: ‘Eu realmente não tenho ideia do que está a acontecer aqui’. Então, dar às pessoas uma oportunidade de experimentar numa plataforma como a Netflix e verem, acho que é ótimo para os fãs, para a indústria e, em última análise, é ótimo para nós.

    Helder Archer
    Helder Archer
    Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 50 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.

    Artigos Relacionados

    1 COMENTÁRIO

    Subscreve
    Notify of
    guest

    1 Comentário
    Mais Antigo
    Mais Recente
    Inline Feedbacks
    View all comments
    RonanfalconD
    Ronanfalcon
    2 , Julho , 2024 16:53

    Estranho, já que neste contexto ele perde.
    Para além disso, está formando uma malta bem burra na forma de consumir animações, em todos os sentidos que consegui entender – já que fico longe -, e não consigo entender que “gente mais burra” em algum contexto, seja algo positivo.
    Para políticos, e para Netflix, sim, mas não para nós – nem para esse executivo.

    - Publicidade -

    Notícias

    Populares