Fundador do estúdio Ufotable admite evasão fiscal de 138 milhões de ienes em impostos

Presidente admitiu que pensava que a sua evasão fiscal "não traria problemas para o estúdio ufotable". O estúdio escondeu cerca 4 milhões de dólares em receitas.

Fundador do estúdio Ufotable acusado formalmente de evasão de 137 milhões de ienes em impostos

Depois de no passado dia 9 de julho o fundador do estúdio ufotable, o presidente e diretor representante, Hikaru Kondo, ser acusado de evasão fiscal, hoje em tribunal ele acabou por confessar que desviou 138 milhões de ienes (1.25 milhões de dólares).

Durante a mesma audiência, Kondo apresentou um pedido de desculpas, admitindo que ele pensava que a sua evasão fiscal “não traria problemas para [ufotable]”.

A acusação disse no seu comunicado de abertura que o ufotable e Kondo esconderam parte da receita dos cafés e merchandising da empresa de 2015 a 2018, para se proteger contra futuras quedas nos negócios. O estúdio supostamente escondeu cerca de 441 milhões de ienes (4 milhões de dólares) em receitas.

Quando o assunto foi tornado publico o estúdio ufotable reconheceu imediatamente a acusação do Ministério Público de Tóquio e deu garantias de que a empresa já tinha apresentado uma declaração de imposto corrigida e pago o valor apropriado.

Tal como noticiámos anteriormente o estúdio ufotable é também suspeito de apropriação indevida de fundos arrecadados de um leilão de caridade para o terremoto de Tohoku em 2011, uma violação do Código Penal que pode valer uma sentença de prisão não superior a 10 anos.

Kondo fundou a ufotable em 2000, e o estúdio é talvez mais conhecido pelas suas várias adaptações anime da franquia Fate da Type-Moon, incluindo Fate/Zero e Fate/stay night: Unlimited Blade Works, bem como a adaptação para série anime do mangá Kimetsu no Yaiba de Koyoharu Gotouge.

A ufotable também vende merchandise de vários animes que produziu e administra vários cafés através dos quais vende merchandise. A empresa também organiza o evento anime Machi Asobi em Tokushima. Os eventos tiveram mais de 1 milhão de participantes desde que começaram em 2009.

Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.