O crescimento da indústria de anime desacelerou em 2019 para um mínimo de 11 anos

"futuros pontos problemáticos para a indústria incluem deficits de mão de obra e treino que podem ser incapazes de acompanhar o aumento da demanda"

O crescimento da indústria de anime desacelerou em 2019 para um mínimo de 11 anos

A empresa de pesquisa financeira Teikoku Databank divulgou esta semana o seu relatório sobre a indústria anime sobre o ano de 2019. O relatório revela que a receita da indústria de anime (com base na receita de 273 empresas) atingiu 242,749 bilhões de ienes (cerca de 2,30 bilhões de dólares) em 2019. Embora a indústria ainda esteja num período de crescimento desde 2011, o aumento de 0,5% na receita de 2019 é o menor aumento anual em 11 anos.

O relatório indica que, embora 2019 seja o quinto ano consecutivo em que houve mais de 300 produções de anime num único ano, é também o segundo ano consecutivo de queda no total de produções desde o pico de 356 produções em 2017. O ano de 2018 viu 340 produções e 2019 teve 332. A indústria teve um total de 322 produções em 2015.

A receita média de uma empresa anime foi de 899 milhões de ienes (cerca de 8,53 milhões de dólares) em 2019. A receita média das empresas anime atingiu o pico em 2007 – antes do estouro da “bolha do anime” – quando chegou a 1 bilhão de ienes (9,48 milhões de dólares na conversão atual).

A terceirização e os contratos principais totalizaram 174,2 milhões de ienes (cerca de 1,65 milhões de dóares) da receita total da indústria anime em 2019, um aumento de cerca de 3,7% em relação ao ano anterior. Entre os estúdios especializados em trabalho de subcontratação, a receita média das empresas foi de 337 milhões de ienes (cerca de 3,19 milhões de dólares), um aumento de 5,8% em relação a 2018, e o terceiro aumento consecutivo em relação ao ano anterior.

O relatório também mostrou uma tendência para acordos de capital, colaborações e aquisições para facilitar a produção de anime, especialmente no estrangeiro. Em particular, o relatório mencionou os investimentos da Netflix na produção de anime, bem como os trabalhos das subsidiárias da empresa chinesa Tencent, Haoliners Animation League e Colored Pencil Animation.

No ano de 2019 apenas duas empresas de anime declararem falência e uma dissolução, em comparação com 12 empresas que deixaram a indústria em 2018. O relatório mostra que essa redução se deveu em grande parte à escassez de mão de obra, custos de mão de obra e custos de subcontratação que se começaram a nivelar em 2019, embora também tenha citado a falta de pagamento ou pagamento atrasado aos animadores como o principal motivo da falência.

As previsões do relatório para futuros pontos problemáticos para a indústria incluem deficits de mão de obra total e treino que podem ser incapazes de acompanhar o aumento da demanda, apesar do investimento estrangeiro do exterior. Neste estado, é provável que as produções tenham cronogramas de produção apertados e a correspondente diminuição da produtividade, o que pode resultar em diminuição da receita a muito longo prazo. As perspetivas para 2020 e além provavelmente incluirão mais ajustes para melhores condições de trabalho dos animadores. Isso reflete a crescente consciencialização sobre as condições do local de trabalho e a mudança nas empresas japonesas de médio porte para reduzir o excesso de trabalho, mas tudo equilibrado em relação ao custo de implementação dessa mudança.

A curto prazo, o COVID-19 acelerou a mudança para permitir que o staff realize certos aspectos da produção remotamente. Algumas animações importantes e gravações de voz já estão a ser feitas a partir de casa, mas a eficiência da produção caiu na transição, o que inevitavelmente levará a atrasos na produção e aumentos inesperados de custos. O relatório prevê que a eficiência da gestão será, em última análise, o maior fator de impacto nas receitas das empresas de anime em 2020.

Subscreve
Notify of
guest

4 Comentários
Mais Antigo
Mais Recente Mais Votado
Inline Feedbacks
View all comments
Pico Disqus Official?
Pico Disqus Official?
16 , Outubro , 2020 11:31

Um meio de resolver isso talvez, seria melhorando as condições de trabalho e esse sistema, também acho que diminuir a quantidade de animes e aumentar o cronograma de produção seria uma boa, mas se não quiser diminuir os animes é só aumenta a quantidade de trabalhadores porém só depois do sistema estar melhorado.??

Lucas Mucilon
Lucas Mucilon
16 , Outubro , 2020 11:31

Ou seja, um resultado ruim num periodo antes da pandemia. imagine como serão os relatorios de 2020

toygame
toygame
16 , Outubro , 2020 11:31

A questão não é só falta de mão de obra e outros problemas tecnicos dos estudios.Os anime em sua maior são cliches e genericos demais,por que ficam segundo as mesma formulas padrões que mudam nunca,os shounen são os piores.

Os estudios americanos começaram a produzir muitas animações adultas e adolecentes e estão cada vez ficando bons como final space e Magos: Contos da Arcadia

Leonardo Pereira
Leonardo Pereira
Reply to  toygame
24 , Julho , 2021 15:14

Cara,para de falar besteira!americanos so fazem filmes e séries lacradoras.entretenimento americano morreu faz tempo já. Os próprios americanos estão de saco estão procurando entretenimento estrangeiro.