O fenómeno da “abertura enganosa” na indústria de anime

Que outros animes têm sequências de abertura que não correspondem ao conteúdo real da história?

O fenómeno da "abertura enganosa" na indústria de anime

O site japonês MAGMIX colocou online um artigo onde aborda o fenómeno da “abertura enganosa” na indústria de anime, ou seja, sequências de abertura que pouco ou nada têm a ver com o conteúdo real da história da série. O artigo apresenta três exemplos desse fenómeno e convida os leitores a compartilhar suas próprias experiências.

No seu site podemos ler, a sequência de abertura (opening) de uma animação é um elemento importante no início da obra, o que pode influenciar a impressão do espectador sobre a obra, mas existem algumas obras em que o conteúdo da abertura não corresponde ao da obra principal, o que é conhecido como “abertura enganosa”. Por exemplo, o anime “Grand Blue“, que estreou em julho de 2018, é uma das obras que foi apelidada de “Abertura Enganosa”. É baseado no mangá com o mesmo nome, que vendeu mais de 5,55 milhões de cópias em todo o mundo, e um filme live-action protagonizado por Ryo Ryusei que estreou nos cinemas em agosto de 2020.

Sobre o que é Grand Blue? Simplificando, é uma história de amadurecimento sobre um clube de mergulho universitário. A abertura mostra ainda uma série de cenas refrescantes, como o mar azul e o fantástico cenário subaquático. Se olharam para a história principal, é na verdade um anime de comédia sem roupa, cheio de bebida e risos. O mergulho fica um pouco em segundo plano, e há mais cenas dos protagonistas a beber do que a nadar no lindo mar.

Existem mais animes com uma abertura enganosa. “Asobi Asobase” é um anime da vida quotidiana sobre três estudantes do ensino médio que pertencem a um “grupo de estudo de jogos”. A sequência de abertura mostra Olivia, uma linda menina loira, Kasumi, uma menina de óculos, e Hanako, uma menina de rabo de cavalo, a dar-se bem, e o vídeo fofo torna difícil acreditar que se trata de um anime enganoso.

Porém, ao contrário da imagem inocente da sequência de abertura, o que se desenrola no anime é um desfile de situações cómicas em que as meninas são tudo menos bonitas na maioria das vezes. Além disso, cada uma das três personagens tem as suas próprias peculiaridades, como uma menina bonita com axilas fedorentas ou uma estudante de honra com resultados académicos devastadores. Mesmo em fóruns de comentários, era um tópico de discussão na época.

O anime “Mukuro Naru Hoshi Tama Taru Ko (Narutaru)“, escrito por Mohiro Kitoh, não é menos chocante. O título é na verdade uma abreviatura da frase que soa sinistra (cunhada pelo autor), embora muitas pessoas possam confundir-se com o belo som de “Narutaru”.

Quando virem de verdade o anime, verão que o conteúdo é bastante brutal em comparação com a sequência de abertura que inclui uma música cativante. Porém, se olharem atentamente para a abertura, verão que existem alguns elementos que se referem a uma história mais sombria, então, se estiverem interessados, deem uma olhadela.

FONTEMAGMIX
Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.