Polémica à volta dos "Crunchyroll Originals", afinal o que é um "Original" da Crunchyroll

Na recente Anime Expo Lite, a versão online do maior evento de anime dos Estados Unidos, a Crunchyroll revelou muitas novidades, incluindo alguns “Crunchyroll Originals” como TONIKAWA: Over the Moon for YouKumo desu ga, Nani ka? (So I’m a Spider, So What?) e EX-ARM.

Já sabíamos há muito tempo que estes últimos dois estavam a ser adaptados para anime e surgem agora ligados à Crunchyroll o que levou alguns fãs a questionar a legitimidade destes “Crunchyroll Originals” e o uso abusivo do termo “Original”.

Para esclarecer as dívidas vale a pena colocarmos aqui a entrevista da ANN a Alden Budill, a chefe de parcerias globais e estratégia de conteúdo do serviço de streaming e a Carter Hahnselle, diretor de marketing da CR, onde é abordado o significado de “Crunchyroll Originals”.

A Crunchyroll apresentou a sua formação “Originals” em fevereiro, com três séries animadas baseadas em obras da Webtoon. Pode dizer-me como começou a parceria entre a Webtoon e a Crunchyroll?

Alden Budill: Temos conhecimento da webtoon e temos mantido contacto por um longo tempo. Eles têm uma enorme variedade de criadores aos quais dão suporte e trouxeram visibilidade. As histórias que esses criadores trouxeram à vida têm profundidade e amplitude incríveis em toda a plataforma, que são tremendamente orgânicas para a exploração da Crunchyroll em termos de IP original. A Webtoon é um parceiro muito natural e todos nós estamos muito energizados e encorajados pelos primeiros resultados da nossa colaboração.

Como você disse, a Webtoon tem um catálogo enorme; que fatores a Crunchyroll e a equipe da webtoon consideraram ao escolher obras para uma possível adaptação anime?

Budill: Sem ir muito longe, nós na CR temos muitos e muitos anos de dados de audiência e informações sobre o que o nosso público gosta de assistir, e trouxemos essas informações para as nossas discussões com a Webtoon. Com esse histórico e a sua experiência, fomos capazes de criar uma lista viável.

Existe uma diferença entre uma coprodução Crunchyroll, como The Rising of The Shield Hero, e um Crunchyroll Original?

Budill: Essa é uma pergunta muito boa. A nossa evolução em diferentes projetos, como investir em conteúdo original na plataforma, é uma que ocorre ao longo do tempo. Ainda sou relativamente nova na CR, então muito desse trabalho duro precedeu-me, então não quero sugerir que minhas impressões digitais estejam por toda parte. Este tem sido um processo que já decorre há muito tempo e o desenvolvimento de nossa abordagem para criar um CR Original cresceu a partir da experiência em coproduções.

As coproduções são, a meu ver, uma ferramenta que usamos e parceria que construímos para quando é altura de investir numa IP em que acreditamos. Também aumenta o nosso envolvimento como parte da produção. Eu acho que as coproduções realmente aprimoraram a nossa compreensão geral de construir uma série desde as primeiras fases. Em termos de originais CR, eu vejo-os como uma sensibilidade. Essas são séries que são realmente desenvolvidas tendo em vista a nossa comunidade e o que sabemos sobre elas. E gostamos de pensar que um original CR é um conteúdo que só poderia existir na CR e foi criado para nosso público-alvo com a intenção distinta de cumprir o que eles procuram de nós como marca e o que procuram no anime como uma forma de arte.

A primeira entrada na linha Crunchyroll Original foi Urahara em 2015, com base na webcomic PARK Harajuku: Crisis Team!. Como a iniciativa Crunchyroll Originals se desenvolveu nestes cinco anos desde Urahara?

Budill: A melhor maneira de caracterizar essa primeira iniciativa é realmente como um dedo na água. O nosso primeiro passo a experimentar um espaço original. Obviamente, o nosso negócio e a nossa credibilidade geral nesse espaço cresceu significativamente desde então. Eu não traçaria necessariamente uma linha direta entre essa série e agora, já que muita coisa aconteceu.

Pegando na adaptação de Tower of God é ousado; o webcomic está a ser lançado há 10 anos. O webcomic está atualmente na sua terceira temporada na Webtoon. A Crunchyroll pretende seguir a história toda? Quais fatores precisariam estar em vigor para ver uma adaptação de várias temporadas?

Carter Hahnselle: A reação dos fãs a Tower of God foi incrível e inspiradora. Estamos felizes que o público adore a história de Bam tanto quanto nós! Você terá que conferir a série para ver até que ponto seguimos Bam na Torre na primeira temporada! Não podemos compartilhar muito mais além disso agora, mas novamente estamos tão felizes que os fãs de todo o mundo tenham gostado da série.

A pandemia do COVID-19 influenciou fortemente a indústria do entretenimento no Japão, incluindo anime, e nos EUA. A produção de Onyx Equinox, prevista para estrear este verão, foi afetada?

Budill: Você está certo de que todo o setor foi impactado de alguma forma. Eu acho que há mais por vir, estamos perto de terminar. No momento, não temos nada específico para anunciar, mas vamos priorizar a atualização dos nossos espectadores.

Este é um tópico muito debatido no fandom. Os originais da CR são “anime”, “inspirado em anime” ou animação? O que você acha que faz de algo um “anime”?

Budill: O nosso portfólio é um mix. Tower of God e The God of High School são séries anime criadas no Japão. Para Onyx Equinox e High Guardian Spice eu pegaria na sua terminologia e as chamaria de “inspiradas em animes”, pois são criadas nos Crunchyroll Studios em Burbank. Dito isso, elas são criadas por uma equipa de pessoas que amam e respeitam o anime como uma forma de arte, porque são projetadas e produzidas por verdadeiros fãs que procuram infundir esse mesmo espírito no seu conteúdo, mesmo que ele seja criado fora do Japão. Eu também gostaria de dizer que a nossa credibilidade junto do nosso público é o nosso maior patrimônio. Realmente levamos isso muito a sério e aplicamos isso na nossa execução de conteúdo original, para que tragamos novas histórias para o nosso público e histórias muito firmemente enraizadas no espírito da forma de arte e na autenticidade que acreditamos ser tão essencial para os fãs.