Uma visita ao Bairro da Liberdade, o bairro oriental na cidade de São Paulo

Criado em 1754, o Bairro da Liberdade passou por diversos nomes e diversos formatos de estrutura no decorrer dos anos até se transformar no conhecido bairro de cultura oriental da cidade de São Paulo. Foi em 1912 que os primeiros imigrantes japoneses começaram a residir no bairro, que anteriormente era habitado por imigrantes portugueses e italianos, mas foi nos anos de 1940 que o bairro passou a ter comércios e cinemas com produções trazidas diretamente do Japão. A partir do final dos anos de 1960 o bairro sofreu uma nova urbanização, incluindo a construção da estação de metrô, passando a ser procurado também imigrantes e descendentes de chineses e coreanos, fazendo com que o bairro se tornasse o “bairro oriental” da cidade de São Paulo.

O Bairro da Liberdade atual possui toda uma arquitetura focada em lembrar que estamos andando em um local que possui muito da cultura do leste asiático, principalmente da cultura japonesa. No decorrer de várias ruas do bairro temos diversas estruturas de luminárias japonesas, os semáforos de pedestres tem desenhos remetendo a luminárias japonesas e ao Torri, tradicional portão que fica na entrada de templos xintoístas. No bairro também há a tradicional feira semanal aos sábados e domingos, onde é possível adquirir diversos itens e degustar alimentos.

Semáforo de pedestres com desenhos remetendo a luminárias japonesas.

Minha visita ao Bairro da Liberdade foi no período de final de ano, um período em que o bairro estava fervendo de pessoas (incluindo muitos adolescentes) buscando presentes e alimentos. Logo na saída da estação de metrô Japão/Liberdade temos um arranjo de flores em estilo Ikebana dentro da estação. Foi possível se divertir bastante em um passeio pelo bairro e por muitas das lojas que permeiam toda a localidade. A maioria das lojas que passei foram de produtos tradicionais, sendo a sua maioria de enfeites para casa ou roupas, mas no bairro também têm muitos locais voltados ao público otaku com produtos como figures, mangas (em japonês e em outras línguas), adereços para cosplay e diversos produtos analógicos e eletrônicos.

O bairro também possui muitos locais com alimentos vindos diretamente da Ásia, isso possibilita que no decorrer do passeio seja possível adquirir alimentos que podem ser consumidos na hora, levados para serem consumidos durante o passeio ou para serem feitos diretamente em casa. Este acaba sendo um ponto extremamente positivo, já que produtos como onigiri e diversos tipos de bebidas estão disponíveis em diversos estabelecimentos. Outro ponto a favor, é que os alimentos para serem consumidos rapidamente não custam muito caro e possuem tamanhos relativamente satisfatórios para uma alimentação rápida.

Infelizmente não foi possível visitar alguns locais turísticos do bairro, como a Bunkyo (que possui um grande acervo da história da imigração japonesa no Brasil), o Jardim Oriental e o Maid Café Chest of Wonders, o que possibilita a oportunidade para um futuro retorno ao Bairro da Liberdade.

Arranjo de flores em estilo Ikebana que fica na Estação Japão/Liberdade.
Estruturas de luminárias japonesas que estão por muitas ruas do Bairro da Liberdade.
O desenho de um Samurai grafitado em um prédio na Praça da Liberdade.
Um fã de animes, cinema, games, séries e com um gosto musical incomum. Membro brasileiro do OtakuPT e formado em Processos Fotográficos.
Subscreve
Notify of
guest

1 Comentário
Mais Antigo
Mais Recente Mais Votado
Inline Feedbacks
View all comments
RonanfalconD
Ronanfalcon
27 , Janeiro , 2023 0:48

Curioso ver vocês falando disto.
Aliás, eu moro no Brasil, e mesmo assim nunca fui ao local, hehehe