Ator Hirofumi Arai condenado a 4 anos de prisão por agressão sexual

Arai apareceu nos filmes live-action de Gintama, Bakuman e Space Brothers

Hirofumi Arai arrest news

O Tribunal Superior de Tóquio condenou o ator Hirofumi Arai a quatro anos de prisão, reduzindo assim a sentença inicial de cinco anos do tribunal proferida em dezembro de 2019. O tribunal explicou que reduziu a sentença porque o ator pagou um acordo de 3 milhões de ienes (29 mil dólares) à vítima depois da primeira sentença ser proferida. O juiz presidente acrescentou que o tribunal “não cometeu nenhum erro” na primeira sentença.

Arai foi indiciado em fevereiro de 2019 sob a acusação de agredir sexualmente uma massagista na sua casa. A polícia prendeu Arai no início daquele mês devido a alegações de agressão sexual envolvendo estupro. De acordo com a investigação, Arai abusou sexualmente de uma mulher na casa dos 30 anos por volta das 2h30 de julho de 2018, depois de ela se deslocar ao seu apartamento para lhe fazer uma massagem.

Após a prisão de Arai, a Nikkatsu cancelou o lançamento de Zenaku no Kuzu, a adaptação cinematográfica live-action do mangá Gedō no Uta (The Villain’s Song) de Daisuke Watanabe, onde Arai era um dos protagonistas. A agência de talentos de Arai rescindiu o seu contrato de exclusividade logo após ele ser preso. Além disso, a BS Fuji suspendeu a transmissão do programa Utsukushiki Sakenomi-tachi, apresentado por Arai.

Arai nasceu na província de Aomori em 1979. Ele fez sua estreia como ator em 2001 e apareceu em obras como o filme Blood and Bones e a série Sanada Maru da NHK. Ele foi indicado para o prémio de Melhor Desempenho de Ator em Papel Coadjuvante em 2016 pela sua atuação no filme 100 Yen Love. Arai também apareceu nos filmes live-action de Gintama, Bakuman e Space Brothers.