Samurai X – O Final | Análise

Longa foi lançado nos cinemas japoneses em abril e recentemente chegou ao catalogo da Netflix.

O primeiro dos últimos filmes live-action de Samurai X (Rurouni Kenshin) chegou na Netflix. Originalmente o longa foi lançado nos cinemas japoneses em 23 de abril de 2021 e adapta o arco final do manga original criado pelo mangaka Nobuhiro Watsuki

Este filme possui direção de Keishi Ōtomo, produção de Hiroyoshi Koiwai e Satoshi Fukushima, roteiros de Keishi Ōtomo, musica de Naoki Satō, fotografia de Takuro Ishizaka, edição de Tsuyoshi Imai e distribuição pela Warner Bros. Pictures dentro do Japão e pela Netflix no restante do mundo.

O longa possui no elenco Takeru Satoh como Himura Kenshin, Emi Takei como Kamiya Kaoru, Mackenyu Arata como Yukishiro Enishi, Yōsuke Eguchi como Saitō Hajime, Munetaka Aoki como Sagara Sanosuke, Yū Aoi como Takani Megumi, Yusuke Iseya como Shinomori Aoshi, Riku Ōnishi como Myōjin Yahiko, Tao Tsuchiya como Makimachi Misao, Ryōsuke Miura como Sawagejō Chō, Takuma Oto’o como Woo Heishin, Shingo Tsurumi como Chefe Uramura, Takeo Nakahara como Maekawa Miyauchi, Shinnosuke Abe como Kujiranami Hyōgo, Shuntaro Yanagi como Otowa Hyōko, Joey como Inui Tenmon, Eiki Narita como Yatsume Mumyōi e Ryūnosuke Kamiki como Seta Sōjirō.

Este filme apresenta o inimigo mais terrível da saga: Enishi, que lança um ataque em grande escala a Tóquio para se vingar de Kenshin. Em “O Final”, todos os astros dos filmes anteriores reúnem-se para enfrentar a batalha final por Kenshin e por uma nova era.

Uma adaptação do arco final de Samurai X sempre foi um desejo dos fãs da série. Nos OVAs da franquia tivemos um pouco da adaptação deste arco, porém ele nunca havia sido adaptado de forma completa para nenhuma outra mídia, um pedido feito a muito tempo por aqueles que desejavam ver uma adaptação digna deste arco em versão anime. Isso não veio a ocorrer em uma versão animada, mas os fãs da franquia agora possuem uma oportunidade de ver a história do arco final em live-action.

Samurai X – O Final funciona como adaptação do arco final criado para o manga de Nobuhiro Watsuki. Mesmo possuindo diversas mudanças em comparação com a história do manga, o longa consegue passar um tom mais sombrio e pesado que o arco possui. Existe pouco espaço para piadas como ocorreu nos filmes anteriores, neste longa o clima tenso e melancólico dos acontecimentos imperam no longa como um todo. Ainda assim, ele conseguiu fazer uma ligação direta com os filmes anteriores. Outro ponto positivo são os diversos acontecimentos originais que ocorrem no filmes, estes acontecimentos dão destaques a alguns personagens secundários dos filmes anteriores.

Quem conhece a história completa do mangá de Samurai X com certeza vai entender as motivações de Enishi e o que faz ele querer se vingar de Kenshin a qualquer custo mesmo envolvendo todas as pessoas relacionadas ao antigo retalhador. Ao mesmo tempo os fãs sabem do peso que Kenshin carrega envolvendo o seu passado como retalhador. Porém, o filme peca justamente em tentar passar de forma clara o peso dos acontecimentos que envolvem os dois personagens para o público que não leu o manga e conhece a franquia apenas pelos filmes. Praticamente a escolha de lançar O Final antes de A Origem acaba fazendo com que quem não conhece o que ocorre no passado dos personagens neste arco no manga fique apenas com um flashback de pouco tempo que possui uma história maior que será contada em um longa que ainda será lançado, sendo assim impossível mostrar todo o peso envolvendo estes acontecimentos do passado de Kenshin e Enishi.

Os três primeiros filmes de Samurai X tinham um tom mais pé no chão mesmo diante de lutas exageradamente grandes e saltos impossíveis, mas desta vez a caracterização de alguns dos antagonistas do longa ficou bem mais exagerada e isso me tirou do filme em alguns momentos. Outro ponto que achei desnecessário foi uma cena inteira criada apenas para dar um fanservice envolvendo um personagem que já tinha encerrado o seu arco nos filmes anteriores.

Em questões técnicas os filmes de Samurai X permanecem sendo os melhores longas baseados em animes/mangas e neste filme não é diferente. As cenas de luta do longa são muito bem coreografadas e a fotográfica gera cenas com contrastes muito bons e com formas de filmagem que fazem com que não percamos os protagonistas mesmo eles correndo ou lutando no meio de uma multidão. A edição de som também é outro ponto positivo dentro do longa, com músicas novas, trilhas dos filmes anteriores e um ótimo uso da falta da trilha sonora que deu um peso maior durante a luta entre Kenshin e Enishi.

No geral, Samurai X – O Final funciona como adaptação do arco final do manga criado por Nobuhiro Watsuki. Se por um lado o filme ira agradar muito os fãs da franquia, por outro existe a possibilidade daqueles que só conhecem a história da série pelos filmes não sentirem o peso dos acontecimentos envolvendo o passado de Kenshin. O longa possui diversas cenas originais que funcionam muito bem com alguns personagens secundários, mas a caracterização de alguns antagonistas são exageradas demais e podem tirar o público do filme, sem falar da cena criada apenas para gerar fanservice. Ainda assim, o filme possui cenas de luta com ótimas coreografias, fotografia bem trabalhada e trilha sonora que satisfaz com temas novos e antigos da franquia.

Um fã de animes, cinema, games, séries e com um gosto musical incomum. Membro brasileiro do OtakuPT e estudante de Processos Fotográficos.