71% dos sul-coreanos veem o Japão de forma desfavorável

71% dos sul-coreanos veem o Japão de forma desfavorável

As relações do Japão com os seus países vizinhos nunca foram as melhores, mas segundo uma recente pesquisa nunca estiveram tão más com a Coreia do Sul desde a Segunda Guerra Mundial.

Cerca de 71,6% dos sul-coreanos veem o Japão de forma desfavorável, um aumento de 21,7 pontos percentuais em relação ao ano anterior, sendo que as relações diplomáticas entre os vizinhos asiáticos caíram para a níveis históricos.

Os sul-coreanos que têm bons sentimentos em relação ao Japão caíram 19,4 pontos, para 12,3%, perto do recorde de 12,2% em 2013, de acordo com a pesquisa realizada em setembro e outubro pela Genron NPO e o East Asia Institute de Seul.

A pesquisa anual, que começou em 2013, reflete uma forte deterioração do sentimento entre os sul-coreanos em relação ao Japão. Aqueles que consideram as relações bilaterais extremamente más ou muito más subiram 22,3 pontos em relação ao ano anterior, para um recorde de 88,4%, segundo o relatório.

Os laços Tóquio-Seul caíram após uma ordem do tribunal sul-coreano em outubro de 2018 para que uma empresa japonesa pagasse a quatro homens pelo trabalho forçado que sofreram durante o período de 1910-1945 do domínio colonial do Japão na Península Coreana.

O Japão argumenta que a decisão vai contra um acordo bilateral de 1965, segundo o qual forneceu ajuda financeira à Coreia do Sul com o entendimento de que a questão da compensação foi resolvida “completa e definitivamente”.

Entre os japoneses, as opiniões sobre a Coreia do Sul melhoraram ligeiramente em relação ao ano passado, com 46,3% a dizer que têm sentimentos desfavoráveis, uma queda de 3,6 pontos, e aqueles com bons sentimentos a subir de 20% para 25,9%.

Yasushi Kudo, responsável pela Genron NPO disse em comunicado:

Diz-se que 2019 foi o pior ano para os governos japonês e sul-coreano. A disputa sobre os seus pontos de vista sobre a história também se espalhou para questões económicas e de segurança.

Kudo estava a referir-se à aparente retaliação do Japão à decisão da Coreia do Sul que viu Tóquio apertar os controles de exportação de materiais usados para fabricar semicondutores e painéis de exibição e à ameaça de Seul em encerrar um pacto bilateral de partilha de inteligência militar que ajuda os países a responder às ameaças de mísseis da Coreia do Norte.

Possibilidade do Japão voltar a ter exército provoca protestos na Coreia do Sul

Kudo afirmou ainda:

Embora ambos os governos não tenham demonstrado intenção de melhorar a difícil (situação), movimentos para boicotar produtos japoneses e viagens ao Japão aumentaram entre o público sul-coreano. Além disso, a nova pandemia de coronavírus praticamente interrompeu as trocas bilaterais.

A principal razão pela qual os sul-coreanos veem o Japão sob uma luz negativa foi porque “Tóquio não está a refletir corretamente sobre a sua história passada de agressão” à Coreia do Sul em 61,3%, seguido pela existência de uma disputa territorial por um par de ilhas no Mar do Japão com 45%.

Do lado japonês, na pesquisa 55,7% disseram ter uma visão má da Coreia do Sul porque ela continua a criticar Tóquio em relação à história do tempo de guerra.