Casos de bullying escolar atingem recorde no Japão em 2018

Casos de bullying online representaram cerca de 20% do bullying nas escolas secundárias.

Casos de bullying escolar atingem recorde no Japão em 2018

Avançado pela Kyodo, o número de casos reportados de bullying nas escolas japonesas atingiu as 543,933 queixas no ano fiscal de 2018, representado isto uma subida de 31,3 % em relação ao ano anterior e marcando o nível mais alto já registado, de acordo com uma pesquisa do Ministério da Educação japonês.

Um total de 80,8% das escolas pesquisadas afirmou ter identificado pelo menos um único caso de bullying no ano-fiscal, um aumento de 6,4 pontos percentuais.

O número de casos de bullying “sérios”, envolvendo coisas como ossos fraturados e a ausência da escola por 30 dias ou mais por ano, subiu para um recorde de 602, um aumento de 128, comparativamente ao ano transato.

A pesquisa abrangeu escolas públicas e privadas, escolas primárias e secundárias, bem como escolas especiais para crianças com deficiência.

Funcionários do ministério afirmaram que o “reconhecimento ativo” dos professores, mesmo de casos menores, nos seus estágios iniciais, está por trás do aumento do registo do número de casos de bullying nas escolas.

As autoridades afirmaram que consideram esses desenvolvimentos positivos e que são o primeiro passo na luta contra o bullying.

Dos cerca de 540.000 casos, 425.844 envolveram escolas primárias, um aumento de 108.723, segundo a pesquisa. Os casos de bullying nas escolas secundárias chegaram a 17.709, um aumento de 2.920.

Os casos de bullying online, usando computadores pessoais e smartphones, aumentaram 3.702, para 16.334, e representaram cerca de 20% do bullying nas escolas secundárias.

Um total de 332 estudantes cometeu suicídio no período coberto pelo relatório, um aumento de 82. Nove deles envolveram bullying.

O número de atos violentos nas escolas, com exceção das escolas especiais, atingiu um recorde de 72.940, um aumento de 9.615.