O Japão tem um festival onde atiram literalmente homens para o fogo

A faceta cultural do Japão é enorme e muito rica, preenchida por eventos em santuários, peregrinações, festivais de fertilidade, e muito mais… e claro, aquele evento onde literalmente atiram homens para o fogo!

O evento, chamado de Dondoyaki, acontece no bairro de Godo, na cidade de Isehara, na província de Kanagawa (que faz fronteira com o lado sul de Tóquio). Os habitantes locais reúnem uma pilha de shimenawa (cordas usadas nas cerimónias e santuários xintoístas) e daruma (usadas para fazer desejos), acendem a pilha em chamas e, em seguida, representantes da Organização da Juventude Godo começam a atirar jovens para o fogo.

No entanto, não é qualquer um que pode ser atirado para o fogo. Em vez disso, a honra é reservada para os rapazes que terão algum desenvolvimento auspicioso na vida durante o ano, como casar ou dar as boas-vindas a um novo bebé na família. Pode parecer um ritual estranho, mas acredita-se que o ritual Dondoyaki afaste qualquer espírito maligno ou energia que pode estar à volta do jovem, eliminando qualquer impedimento para um futuro auspicioso.

A pessoa que está a ser atirada para o fogo, assim como as que o atiram, estão vestidas com roupas grossas para evitar queimaduras, e geralmente têm a metade inferior do rosto coberta por uma toalha. Representantes do corpo de bombeiros local também participam na cerimónia.

Na maioria dos anos, cerca de meia dúzia de pessoas são atiradas para o fogo, e nenhum dos cinco participantes deste ano ficou ferido.

Um dos rapazes atirados para o fogo com 33 anos comentou:

Honestamente, eu estava com medo… mas desejei a felicidade da comunidade local.

Vale a pena notar que Godo não é o único lugar em Kanagawa onde o Dondoyaki ocorre. No entanto, em outras comunidades, é basicamente um evento culinário comunitário de mochi, com bolinhos e não pessoas a serem incendiadas.

Ninguém sabe ao certo por que Godo faz o Dondoyaki desta maneira. As razões da sua singularidade foram perdidas para as brumas do tempo, mas é uma tradição local que deve continuar, mesmo que seja improvável que ela se destaque em outras partes do Japão.