A indústria da música no Japão teve um declínio em 2017

Tal como na indústria dos animes o streaming ainda não tem tanto peso no Japão

0

A indústria da musica no Japão teve um declínio em 2017

A Federação Internacional da Indústria Fonográfica divulgou seu relatório anual, detalhando o que aconteceu na indústria musical mundial em 2017.

O mercado japonês ainda é o segundo maior do mundo, atrás dos Estados Unidos. Houve uma queda de receita de 3% em 2017, após dois anos consecutivos de crescimento. Esse declínio está sendo atribuído em parte a um lento aumento de 8% na receita digital, que não compensou a queda de 6,1% na receita física. Dito isso, o físico representou 72% da receita do Japão em 2017.

A indústria da musica no Japão teve um declínio em 2017
Dados de 2016

Intitulado “Global Music Report 2018: Estado Anual da Indústria”, o relatório diz que a indústria musical mundial viu a receita crescer 8,1% em 2017. Este é o terceiro ano consecutivo de crescimento e um dos maiores saltos em crescimento desde a FIIF começou a rastrear o mercado em 1997. Apesar do terceiro ano consecutivo de crescimento, a indústria musical mundial absorveu apenas 68,4% do que recebeu em 1999, o pico da indústria.

As vendas digitais representam agora 54% do total da receita global. Streaming (gratuito e pago) é a maior parte do digital, crescendo 41,4% em 2017 para agora representar 38% do total da receita global. Streaming é agora a maior fonte de receita. O streaming pago cresceu 45,5% em 2017, adicionando 64 milhões de novos assinantes para um total de 176 milhões de assinantes em todo o mundo.

No entanto, a receita de download caiu 20,5% e agora representa 16% da receita global total, enquanto a receita física caiu 5,4%, representando 30% da receita. Os restantes 20% da receita são compostos por direitos de desempenho (14%) e direitos de sincronização (2%).

No geral, a região da Ásia e Austrália viu a receita crescer 5,4% no ano passado, o terceiro ano consecutivo de crescimento. A receita digital cresceu 22,4%, apesar de um declínio de 7,5% na receita de download. A receita de streaming cresceu 38,2%, aumentando rapidamente na maioria dos mercados, como a Índia (60,8%), a Coreia do Sul (47,1%) e as Filipinas (24,3%). As receitas da China aumentaram 35,3%, principalmente devido a um aumento de 26,5% nas receitas de streaming. Devido a esse crescimento, a China é hoje um dos 10 maiores mercados de música, chegando à posição # 10. Além do Japão e da China, os únicos outros países da região que alcançaram o top 10 são a Coreia do Sul (# 6) e a Austrália (# 8).