Depois do enorme jogo de exploração e criação original, e de uma fantástica aventura point-and-click no spin-off “Story Mode” da Telltale Games, chegou a altura de os suecos da Mojang explorarem mais um estilo de jogo no seu universo Minecraft, com a ajuda dos britânicos da Double Eleven.

Desta feita, em Minecraft Dungeons, entramos num dungeon-crawler para uma experiência hack-and-slash em perspectiva isométrica ao mais puro estilo de clássicos como Diablo, Torchlight e Titan Quest, mas não pensem que a tarefa será facilitada por se tratar de Minecraft.

Análise - Minecraft Dungeons: Hero Edition

O jogo-base, disponível para PC, PlayStation 4, Xbox One e Nintendo Switch, apresenta-nos com um pequeno nível que serve de tutorial e introdução à história do jogo, seguindo-se 9 níveis que podem ser jogados em sessões curtas, quer em single-player como em multi-player cooperativo, local ou online. A dificuldade dos níveis pode ser ajustada manualmente para proporcionar um maior desafio, oferecendo também melhores drops, ou reduzida para um jogo mais casual ou mais acessível aos mais jovens.

Escondidos nos 9 níveis encontram-se bastante segredos, incluindo a possibilidade de abrir 6 níveis secretos. No entanto, chegar ao final da história do jogo-base e derrotar o Arch-Illager não é o fim, muito pelo contrário, apenas abre um novo nível de dificuldade – Adventure, que por sua vez oferece aos jogadores novos drops de equipamento e recompensas ainda melhores, e repetindo o feito na segunda dificuldade, desbloqueia ainda uma terceira – Apocalypse, abrindo o acesso a todos os drops do jogo.

Todos os níveis do jogo são gerados processualmente, o que faz com que duas runs da mesma dungeon nunca sejam idênticas, assim como todo os items que o jogador adquire, levando a uma busca constante por melhores armas, melhores armaduras ou simplesmente uma arma com o encantamento específico que procuramos.

Ao contrário de muitos jogos do género, a Mojang decidiu não bloquear os jogadores com classes de personagem, estando o estilo de jogo inteiramente dependente do tipo de equipamento e sua customização que o jogador decidir utilizar na sua personagem, sendo o aspecto básico da mesma dependente de um catálogo de skins (que inclui o clássico Steve para os veteranos, claro).

Para os jogadores que decidirem comprar a Hero Edition, edição que inclui o Hero Pass (disponível separadamente), é oferecido o acesso a conteúdo exclusivo a skins, uma capa e uma pet chicken, assim como acesso aos dois DLC’s anunciados (Jungle Awakens e Creeping Winter), onde cada um adiciona 3 novos níveis com novos mobs, novos bosses e claro, mais equipamento para os jogadores.

Minecraft Dungeons consegue assim ser um jogo completamente à parte do Minecraft original, oferendo uma jogabilidade desafiante dentro de um género clássico extremamente bem executado, mas consegue ao mesmo tempo manter o ambiente e visuais que certamente agradarão aos fãs do universo que a Mojang tem vindo a construir, o jogo é extremamente fluido nas suas animações, mesmo com o ecrã cheio de mobs e os vários efeitos dos ataques (pelo menos na versão testada) e a sua aparente escolha reduzida em termos de níveis não se fez notar em várias horas de jogo, quer a jogar para subir a dificuldade, quer no grind para encontrar aquela arma específica com o enchantment que procurava.

Análise por Tiago Vasconcelos.