Bridge Constructor: The Walking Dead – Análise

Bridge Constructor: The Walking Dead - Análise

Os austríacos da Clockwork Games trazem-nos mais uma variante do seu puzzle baseado em física Bridge Constructor. Depois do jogo original em 2011 e algumas sequelas, incluindo o crossover com a franquia Portal em 2017, desta feita o jogador irá construir pontes no universo de The Walking Dead.

Bridge Constructor – The Walking Dead mantém a jogabilidade clássica da série, permitindo-nos construir estruturas em madeira e/ou metal de acordo com a necessidade, contando com uma simulação física da força dos matérias e estruturas, com objectivos que variam de nível para nível.

Onde normalmente nos jogos anteriores o objectivo era simplesmente mover veículos de ponto A para ponto B utilizando pontes ou rampas, desta vez temos um pouco mais de variedade, sendo necessário construir estruturas também para os nossos heróis, assim como para objectos de forma a eliminar os terríveis walkers que os perseguem, bem como outros perigos, tornando os níveis mais interessantes.

Falando dos heróis, o jogo apresenta-nos com uma pequena storyline para enquadrar os objectivos dos níveis, contando com personagens originais bem como a participação de caras familiares aos fãs da série de TV como Eugene, Daryl e Michonne, apresentados num estilo gráfico relativamente minimalista, mas facilmente reconhecíveis. E é aqui que este jogo se distancia ainda mais dos anteriores Bridge Constructor’s, com novas mecânicas que nos permitem “programar” os movimentos e acções das nossas personagens de modo a evitar ou confrontar os walkers, bem como dirigi-las para as estruturas que contruímos de modo a cumprir os objectivos.

No entanto, é de referir que em termos de quantidade de níveis, os 5 capítulos e os níveis que constam dos mesmos parecem substancialmente menos do que o que nos era proporcionado comparando aos jogos anteriores da série, pelo menos pela altura do lançamento do jogo. Podemos mencionar porém, que cada nível apresenta desafios opcionais, assim como alguma liberdade artística na maneira como executamos os objectivos, que ajudam a prolongar o conteúdo do jogo.

Desta forma, Bridge Constructor – The Walking Dead é uma entrada mais do que bem-vinda à franquia, com novas formas de jogabilidade que aprofundam as mecânicas estabelecidas da série, assim como uma estória que ajuda a incorporar o universo de The Walking Dead de forma interessante. Recomendamos tanto para os fãs de Bridge Constructor como primeiro jogo para alguém que esteja interessado em experimentar a franquia!

Análise por Tiago Vasconcelos.