Descobre o que significam os nomes nos títulos dos jogos de Tales of Series

Mesmo muitos fãs devotos de Tales of Series, desconhecem que os seus titulos escondem uma temática e significados diferentes de jogo para jogo. Apesar de estarmos na presença de jogos de uma série principal, todos são radicalmente diferentes não só em jogabilidade como também de valores e temas. Através de breves parágrafos vamos descobrir os valores, significado e dimensão de cada uma das entradas na série principal (Mothership Series), e, porque cada é especial à sua maneira.

Tales of Phantasia: (RPG de fantasia) Neste primeiro conto apenas se faz apenas uma alusão a fantasia (fantasy), já que o primeiro jogo transborda de todos os elementos de heroic fantasy, bem característicos do início dos anos 90, e que também estiveram em voga em muitas obras como Slayers ou Record of Lodoss War. Também foi o único jogo a ser baseado numa outra obra, ou seja, o seu guião partiu do livro escrito -que não foi publicado- por Yoshiharu Gotanda: Tale Phantasia.

Tales of Destiny: (RPG do destino) As personagens principais, mesmo vivendo vidas separadas estavam destinadas reunir-se e empunhar os seus Swordians.

Tales of Eternia: (RPG de fraternidade e eternidade) Este conto revela-nos como uma família não tem de ser necessariamente biológica. Esta pode também partir de laços de amizade e respeito bem fortes. O termo Eternia neste titulo é devido essencialmente ao mundo de jogo na sua plenitude (Inferia e Celestia).

Tales of Destiny II: (RPG para fuga ao destino) Sequela direta de Tales of Destiny, na qual o protagonista viaja pelo tempo criando o mundo ideal para a humanidade e não o que estava destinado acontecer, ao contrário da sua prequela. Muitos fãs confundem este titulo com o jogo acima, Tales of Eternia. Isto porque em terreno americano, Tales of Eternia, recebeu o titulo de Tales of Destiny II, por dois grandes motivos. O primeiro e mais comum partiu de um apelo aos fãs do jogo de 1997, o segundo mais obscuro foi devido ao facto que “Eternia”, era marca registada da série He-Man, em posse da Mattel.

Tales of Symphonia: (RPG de união) Para percebermos o seu verdadeiro significado, temos de realizar uma abordagem geral ao próprio jogo. Uma sinfonia pode ser descrita como uma composição de diversos elementos diferentes unidos em harmonia. Lloyd e o seu grupo, tentam reunir culturas e mundos diferentes criando um só sem prejudicar nenhum habitante, ao contrário dos Desians que exploram a Mana de outro mundo sem considerar o seu bem-estar ou consequências. Com base neste valor podemos assim atribuir ao titulo um significado de eco harmonioso e equilíbrio entre a humanidade.

Tales of Rebirth: (RPG onde renascemos) O foco principal do jogo foi a xenofobia, as diferenças, e conflitos entre as raças Humas (humanos) e Gajumas (animais). Mesmo perante estas diferenças, no final chegam à conclusão que todos são seres vivos. O termo renascer neste titulo não é descrito como um termo físico, mas sim num termo espiritual, ou seja, de expandirmos horizontes e oportunidades.

Tales of Legendia: (RPG onde laços de sangue criam lendas) O enredo principal parte da lenda dos Teriques, do seu legado, e as suas ligações com os Ferises. Em contrapartida, o elenco principal através da procura das mesmas, descobre mais acerca de si e da humanidade.

Tales of the Abyss: (RPG para conhecermos o significado do nosso nascimento) Cair no esquecimento, sermos vistos como apenas uma cópia, e não possuirmos identidade própria pode fazer com que caiamos num abismo emocional. Este é um dos titulos mais célebres da série, e que peculiarmente possuiu muitas semelhanças narrativas com Final Fantasy VII.

Tales of Innocence: (RPG para ligarmos pensamentos e ideologias) Um dos principais elementos do jogo é o facto de as personagens serem encarnações de demónios, e mesmo que estejam inocentes, têm de lidar com as repercussões das suas vidas passadas. Também neste jogo é descrito que mesmo sendo monstros as mesmas possuem um lado terno e inocente.

Tales of Vesperia: (RPG para aplicarmos a nossa justiça) No jogo, Vesperia é o nome de uma estrela conhecida por brilhar mais intensamente num céu noturno. Eventualmente a guilda também adota este nome, e Yuri Lowell, o protagonista, deambula durante o jogo entre o bem e o mal, entre ser um herói e um criminoso, mostrando que a justiça pode ser apenas uma linha ténue ideológica. O nome Vesperia em latim tem o significado de (evening star) estrela do anoitecer.

Tales of Hearts: (RPG de encontros emocionais) Hearts, no titulo pode ter o significado de reunirmos a força no nosso coração para ultrapassarmos adversidades. Também durante este conto as emoções de Kohaku separam-se e temos de reuni-las. Cada uma é referente a um estado de espírito e juntas na totalidade formam o seu “coração”. Hearts neste titulo também partiu do apelido desta personagem. Como todos sabemos, este jogo recebeu um remake para PSvita onde terminou com um “R”. Pois, bem essa simples letra conotou logo à partida também o significado de revistar, renascer ou reviver.

Tales of Graces f: (RPG para conhecermos a força para proteger quem amamos) Este é um dos contos que pode conter diversos significados. Graces pode ter o significado de vossa alteza. Isto porque quase todas as personagens principais são nobres neste jogo, e pertencem a altos cargos na sociedade, Richard até é um Rei. Graces também pode ter o significado de bênção, as personagens pela interação com Sophie foram abençoadas e perdoadas, seguindo em frente em alguns casos. O “f” no titulo tem o significado de futuro, já que o jogo é uma port vista e revista do jogo para a Nintendo Wii, expandido-se também para uma realidade futura. Quanto a proteger quem amamos, bem, basta conhecermos um pouco o Asbel e chegamos lá.

Tales of Xillia: (RPG de convicções) Xillia pode vir do termo milhão ou bilião na língua inglesa. O “X” no titulo tem o significado do desconhecido ou quando dois caminhos cruzam-se e permanecem intimamente ligados para todo o sempre. A interação e encontro de pessoas, diversos eventos com as mesmas, e como moldam as nossas vidas, pode ter também ter essa conotação. A convicção como tema, parte da personagem Milla Maxwell, que não recua por nada nem ninguém até cumprir a sua missão enquanto líder dos quatros grandes espíritos.

Tales of Xillia 2: (RPG onde as nossas escolhas fazem o mundo girar)
Sequela direta de Tales of Xillia e que continua a ligar a importância de eventos e encontros (desta vez num termo familiar). A segunda parte de Tales of Xillia, também mostrou diversas realidades alternativas como tiveram impacto sobrepondo-se umas com as outras.

Tales of Zestiria: (RPG de paixão para iluminar o mundo) O Zest no titulo refere-se ao tema de paixão de conhecer o teu “eu” numa batalha segundo o ex-produtor do estúdio, Hideo Baba. Também é conhecido que Sorey é um jovem com uma enorme paixão pelo mundo passado e a sua história.

Tales of Berseria: (RPG do conflito entre a razão e a emoção) Berseria, neste conto refere-se a um sentimento de fúria e cólera (Berserk) que pode encobrir a nossa forma de agir. Neste jogo a personagem com o decorrer da sua história deambula entre um estado emocional humano e selvagem, contudo, na sua conclusão abraça a razão, e a sua principal motivação para viver enquanto humana deixando o seu lado selvagem finalmente de lado.

Tales of Arise: (Desconhecido) Ainda não sabemos que temáticas Tales of Arise, se irá debruçar. Contudo, segundo o que sabemos da sua produção este será um título para elevar o patamar destas maravilhosas histórias em todo o mundo, e produzir um jogo com uma qualidade nunca antes vista na série. Então pode ser que Arise também respeite essa ideologia no seu titulo.

Como vêm os jogos têm mais do que um titulo estranho que para a maioria apenas está presente por “rimar” e criar uma identidade. Espero que com este breve resumo de cada série, estejam mais informados, e descobrirem o que faz com que Tales of Series permaneça num mercado competitivo, sem negar ou renunciar as suas raízes, valores e legado.

Vindo de vários mundos e projetos, juntou-se à redação do Otakupt em 2020, pronto para informar todos os leitores com a sua experiência nas várias áreas da cultura alternativa. Assistiu de perto ao nascimento dos videojogos em Portugal até à sua atualidade, devora tudo o que seja japonês (menos a gastronomia), mas é também adepto de grandes histórias e personagens sejam essas produzidas em qualquer parte do globo terrestre.