Com lançamento previsto para o dia 17 de julho de 2020, Ghost of Tsushima é o último grande exclusivo Playstation 4 antes de migrarmos para a geração Playstation 5.

Anunciado que estava em desenvolvimento pela Sucker Punch em 2015, Ghost of Tsushima coloca-nos na pele de Jin Sakai, um samurai que se vai esforçar para prevenir a invasão da ilha de Tsushima durante a primeira invasão Mongol no Japão no século XIII.

Este contexto do jogo não surge por acaso e denota a atenção ao detalhe e à representação da cultura japonesa que está presente em todo o jogo. Ghost of Tsushima vai fazer o jogador mergulhar completamente na cultura e folclore japonês de uma forma extremamente fiel, vão encontrar ornamentos, termas, altares xintoístas e até haikus. A Ilha de Tsushima não foi escolhida por acaso para o palco da história, também denominada de Tsuxima ou Daemado em coreano, devido à sua localização a ilha teve um papel importante na prevenção da invasão Mongol. Para repelir os ataques foi enviada para a ilha uma força militar e construído o castelo de Kaneda que os jogadores vão encontrar em Ghost of Tsushima.

Mas a representação do Japão feudal não se fica só pelo ambiente, em todo o jogo vão encontrar elementos característicos da filosofia japonesa, desde o minimalismo presente no interface do jogo, aos momentos de reflexão e à representação do Bushido, o código de conduta dos samurai que salienta a frugalidade, fidelidade, artes marciais, mestria e honra até na morte.

Sabiam que na ilha de Tsushima a religião mais praticada é o budismo, apesar de também se praticar o xintoísmo. Existe uma pequena comunidade cristã, composta por coreanos.

Ghost of Tsushima é assim um jogo diferente de tudo o que experimentaram até agora e demonstra toda a mestria da Sucker Punch Productions em criar um mundo imersivo.

Vamos assim em Ghost of Tsushima acompanhar a jornada de Jin Sakai, na ilha de Tsushima, o último ponto de defesa entre o território japonês e a enorme invasão mongol liderada pelo implacável e astucioso general Khotun Khan.

Épica viagem ao mundo dos Samurai

À medida que a ilha queima com a primeira vaga do assalto mongol, o samurai Jin Sakai é um dos últimos sobreviventes do seu clã independentemente do preço a pagar, ele está resolvido a proteger o seu povo e a recuperar a sua casa. Mas para isso terá de abandonar as tradições que o moldaram como Guerreiro e forjar uma nova via, o caminho do Fantasma.

As 7 Virtudes do Bushido

GI – Justiça e Moralidade
YUU – Coragem, Bravura heróica
JIN – Compaixão, Benevolência
REI – Amabilidade
MAKOTO – Veracidade total
MEIYO – Honra, Glória
CHUU – Dever e Lealdade

Temos assim um protagonista superinteressante e complexo, vamos acompanhar a sua luta interna, educado desde pequeno para ser um Samurai regido pelo “Bushido” ele vai muitas vezes questionar os seus actos, até que ponto “sujar” a sua honra justifica o resultado final. E o próprio gameplay dá-nos essa abordagem, podemos ter duas abordagens distintas, uma da “honra” onde entramos nos acampamentos inimigos anunciamos a nossa presença e os desafiamos para uma luta, ou então, a abordagem pelas sombras onde os eliminamos sorrateiramente sem sermos vistos.

Os jogadores vão ter a liberdade de abordarem as missões de múltiplas maneiras e “liberdade” é mesmo um dos destaques do jogo, este é um verdadeiro jogo de mundo aberto que podem explorar livremente. Juntamente com o vosso cavalo vão poder explorar toda a ilha que é visualmente soberba. Até a mais pequena das viagens é um deleite para os nossos olhos.

Em termos visuais o ambiente criado em Ghost of Tsushima é impressionante, nunca experimentaram algo do género e só por isso este jogo vale a pena, a atenção dada à criação da ilha e ao seu ambiente é fenomenal, e chega mesmo a dar vontade de cavalgar sem destino pela bela Tsushima. Aliás, Ghost of Tsushima inspira-se claramente no cinema japonês sobre samurais, principalmente nos filmes de Akira Kurosawa como Os Sete Samurais (1954) e Sanjuro (1962), isso é claramente notório, vamos ter muitos momentos verdadeiramente cinematográficos. Os verdadeiros fãs deste género de cinema old school de samurai vão até encontrar um modo de jogo que coloca tudo a preto e branco recriado aquele estilo cinematográfico.

Nunca experimentaram algo do género

No entanto, já as texturas dos edifícios e alguns objetos deixam a desejar e já vimos jogos a implementarem soluções melhores. Em Ghost of Tsushima ficamos com a sensação de que a Sucker Punch pura e simplesmente chegou ao limite do que a Playstation 4 é capaz de fazer. Vamos encontrar belas florestas de bambu, visualmente impressionantes, mas na realidade podemos atravessa-las sem qualquer impacto ou barreira, a sua física não foi implementada, muito provavelmente não porque a produtora não o conseguisse fazer, mas porque tal implementação seria demasiado para a consola e não iriam conseguir uma boa fluidez de gameplay.

Ghost of Tsushima é a justificação pela qual temos de transitar para a Playstation 5

No que toca a gameplay, Ghost of Tsushima recria muito bem os combates de samurai, não vão ter os típicos inimigos que são esponjas de dano e em dois ou três golpes vão eliminar os vossos adversários. Vão assim ter uma componente estratégica em combate, vão aprender várias técnicas de espada que vão precisar de saber adequar ao adversário que têm pela frente. Se encontram um inimigo com uma espada, para o melhor resultado terão de agir de determinada forma, se o vosso inimigo empunhar um escudo, terão até de mudar a vossa posição de combate.

Em Ghost of Tsushima vão também encontrar a simplicidade e o minimalismo, até no próprio interface do jogo. Não vão ter os típicos kits de saúde, a recuperação será feita através da utilização de “determinação” que ganham ao derrotar inimigos ao contra-atacarem com sucesso e até para navegarem pelo mapa não terão os tradicionais waypoints a poluírem o vosso ecrã, não, a direção que devem seguir será indicada pelo vento. Vemos assim o cuidado que os produtores tiveram em proporcionar ao jogador uma experiência imersiva em que apesar do seu minimalismo tudo faz sentido. Terão até de estar atentos a raposas ou pássaros que muitas vezes vos vão levar a locais de interesse, sejam a locais de reflexão ou a estações de águas termais que aumentaram a vossa saúde.

Relativamente à progressão de Jin, terão a típica árvore de progressão não muito longa na qual vão investindo pontos e desbloqueando novas habilidades, passando-se o mesmo com a sua armadura que vão poder melhorar e trocar de roupa para habilidades diferentes.

A ilha de Tsushima é bem grande e terão um infindável numero de horas de gameplay se assim o pretenderem, a jornada do nosso protagonista será dividida em três elementos, temos a “Viagem do Jin” que são as missões principais, temos depois os “Contos de Tsushima” que são as missões secundárias e para terminar temos também os “Contos Míticos”, basicamente missões especiais que recompensam o jogador com a aprendizagem de uma técnica avançada de combate mortífera, pensem nas técnicas do Kenshin em Samurai X, ou então equipamento único.

O mais recente jogo da Sucker Punch foi Infamous First Light em agosto de 2014

A Sucker Punch revelou que em termos de luta Ghost of Tsushima seria um “jogo desafiante”, mas nem de perto, nem de longe é um jogo do género “souls”, aliás é bastante acessível para o jogador iniciante. Claro está que têm sempre a possibilidade de aumentar gradualmente a dificuldade, mas não é pela dificuldade que Ghost of Tsushima vai afastar os jogadores. O que desiludiu por momentos foi, no entanto, a inteligência artificial dos adversários que às vezes fica um pouco aquém do esperado, para terem uma melhor ideia da dinâmica dos combates, pensem nos jogos da franquia Assassins Creed, onde somos atacados por um ou dois adversários, enquanto que os outros ficam mais afastados a olhar.

O áudio do jogo também foi alvo de muito cuidado por parte da produção, está muito bem implementado e a banda sonora é excelente, perfeitamente adequada o jogo e proporcionando momentos bem impactantes.

Ghost of Tsushima está localizado para português com legendas e áudio, mas os mais puristas podem sempre optar pelo áudio em japonês e legendas em português. O protagonista, Jin Sakai, é interpretado pelo ator Guilherme Barroso e embora vá passar ao lado da maioria dos jogadores, aqueles que cresceram a ver anime vão reparar que alguns termos japoneses não transitaram da maneira mais graciosa para a nossa língua.

Em conclusão, se são fãs da cultura japonesa, de samurais e querem um jogo super imersivo, Ghost of Tsushim é Obrigatório.