Horizon Forbidden West apresenta-nos as suas dinâmicas de combate

Aloy tornou-se mais forte e capaz, assim como os seus inimigos...

Sony Interactive Entertainment publicou no Blog Oficial da PlayStation novas informações sobre o jogo Horizon Forbidden West.

O trio composto por Charles Perain, Richard Oud, e Arjen Beij, da Guerrilla Games indicam que desde o final de Horizon Zero Dawn, Aloy enfrenta novas ameaças, e que o combate com humanos e máquinas nesta nova aventura atinge novos desenvolvimentos.

O combate evoluiu e continua a ser construído sobre os mesmos moldes de liberdade aclamados pelos jogadores e pelos críticos. Aloy é uma guerreira inteligente e ágil, as novas ferramentas poderão ser usadas numa panóplia de táticas para permitir mais interações com oponentes de quaisquer dimensões, sejam humanos ou máquinas.

Embora o combate continue familiar, foram adicionados novos recursos à aventureira, tais como combinações de ataques de proximidade e “Valor Sugers”. Vários inimigos só serão conquistados com a mestria destas e outras novas mecânicas. Para a auxiliar nos confrontos as suas armas e indumentárias poderão ser melhoradas, atribuindo novas opções de ataque tático. Desde as suas aventuras no Horizon Zero Dawn e Frozen Wilds, que Aloy tornou-se numa melhor guerreira, portanto foi necessário adotar novas animações e movimentos para refletir a sua experiência.

Claro que o mesmo também acontece com os seus inimigos, a nova inteligência artificial garante que estes se comportem de uma forma mais orgânica. Quer humanos como máquinas podem reagir aos ambientes, interagindo com os mesmos para atacar ou se defenderem. Através destas novas direções e mecânicas, os jogadores devem equilibrar o ritmo e táticas de combate a seu favor, tendo também atenção aos recursos gerados a partir desta e os riscos evolvidos para os adquirir. Enquanto em Horizon Zero Dawn, os inimigos humanos procuravam pelo paradeiro de Aloy individualmente, nesta nova aventura formarão bandos diante de um líder e coordenarão buscas seguindo diversas indicações deste. As máquinas continuarão a comunicar através de sons, mas em Horizon Forbidden West, foram novos para que o jogador possa distinguir cada máquina e cada animação decorrente desta com mais detalhe. As máquinas serão muito mais ameaçadoras, e será necessário investir mais tempo a analisar os seus movimentos, e consequentes sons para indicar o seu estado de espírito.

O mundo do oeste está repleto de máquinas ameaçadoras e humanos sedentos de sangue. Ambos existem em maior escala e atacam em maior número, obrigando o jogador a desenvolver novas abordagens de combate e exploração, enquanto se banha num mundo mais imersivo, orgânico e natural.

Horizon Forbidden West vai receber lançamento a 18 de fevereiro de 2022 para as consolas PlayStation 4 e PlayStation 5. A versão para a máquina mais poderosa da Sony possui inúmeros benefícios, tais como o carregamento rápido, os gráficos incríveis com 60 fotogramas por segundo onde o “Modo Desempenho” aumenta a suavidade dos movimentos, animações e controlos. Os gatilhos adaptativos através do feedback háptico do comando sem fios DualSense, permitem uma maior imersão no jogo através do aumento da tensão enquanto se usa o Pullcaster, e quando Alloy coloca tensão no seu arco.

Junta-te à Aloy na sua aventura pelo oeste proibido, uma fronteira tão perigosa quanto majestosa que oculta novas e misteriosas ameaças. Explora territórios distantes, enfrenta máquinas ainda mais temíveis e fica a conhecer peculiares tribos novas no regresso ao mundo pós-apocalíptico no futuro distante de Horizon. Tempestades implacáveis e uma destruição imparável assolam a resistência dispersa da humanidade, enquanto novas máquinas temíveis caçam entre as fronteiras. A vida na Terra caminha rumo à extinção e ninguém conhece o motivo. Aloy terá de desvendar os segredos por trás dessas ameaças e restaurar a ordem e equilíbrio no mundo. Na sua aventura, irá reencontrar velhos amigos, forjar alianças com novas fações guerreiras e descobrir o legado de um passado esquecido. E tudo isto ficando sempre atenta aos avanços de um novo e aparentemente invencível inimigo.

Vindo de vários mundos e projetos, juntou-se à redação do Otakupt em 2020, pronto para informar todos os leitores com a sua experiência nas várias áreas da cultura alternativa. Assistiu de perto ao nascimento dos videojogos em Portugal até à sua atualidade, devora tudo o que seja japonês (menos a gastronomia), mas é também adepto de grandes histórias e personagens sejam essas produzidas em qualquer parte do globo terrestre.