Microsoft vai vender Xbox Series X e Xbox Series S com prejuízo

Microsoft vai vender Xbox Series X e Xbox Series S com prejuízo

A Microsoft sempre perdeu dinheiro com a venda das suas consolas recuperando depois o dinheiro com a venda de software, mas segundo analistas nesta geração a perda será maior, principalmente com a Xbox Series S.

Com a Xbox Series X a custar 499 € e a Xbox Series S a custar 299 €, os analistas Benji-Sales e Jeff Grubb afirmaram que como habitual a Microsoft vai perder dinheiro com as novas consolas, mas que desta vez o esforço financeiro será ainda mais notório com a Xbox Series S.

Benjin-Sales: Pergunta aleatória, mas você concorda comigo Jeff que a Microsoft está a perder na Series S por $299, certo? Eu acho que eles estão. O que é OK, pois eles esperam que o dinheiro volte por meio do Game Pass / digital.

Jeff Grubb: Certo, mas qualquer dinheiro economizado é dinheiro ganho, e isso é mais importante do que nunca para a Sony como um todo, que agora conta com a PlayStation como o seu pilar central. E está acostumada a não perder muito no hardware. E mesmo a US $500, a PS5 estaria tendo prejuízo.

A Microsoft não é a única empresa de jogos que tem prejuízo com o seu hardware pois tanto a Sony como a Nintendo perdem dinheiro com as suas consolas, embora deva ser notado que a Nintendo consegue começar a ter lucro muito mais cedo do que as outras empresas. No entanto, as companhias sempre compensaram a diferença nas perdas através dos lucros nas vendas de software e s a Microsoft realmente está a vender a Xbox Series X e a Xbox Series S com perdas significativas nesta geração, a empresa terá que compensar com as vendas de jogos como Halo Infinite, Fable, The Gunk e Gears Tactics.

Vai ser agora interessante ver por quanto a PlayStation 5 vai custar. Ao longo dos anos, o hardware da PlayStation vendeu consistentemente melhor do que o hardware da Xbox, mas as duas opções da Microsoft podem ser uma ameaça nesta geração se a console da Sony não vier a um preço competitivo.

Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.