Mortal Kombat 11, desenvolvido pela NetherRealm e publicado pela Warner Bros. Interactive Entertainment, foi lançado originalmente em Março de 2019 para uma receção crítica muito boa. Com o lançamento das consolas de nova geração, é agora disponibilizado numa versão “definitiva” com o nome Mortal Kombat 11 Ultimate, um pacote que inclui todas as 37 personagens lançadas até à data e a expansão Aftermath.

Mortal Kombat é uma franquia com uma história longa, tendo o primeiro jogo sido lançado em 1992. Rapidamente se tornou popular pela sua violência gratuita e estilo distinto, popularidade esta que levou à produção de filmes e séries de animação da franquia. Ao longo dos anos, o jogo tem vindo a melhorar a sua fórmula e Mortal Kombat 11 é definitivamente o melhor jogo da série, e um dos melhores jogos do género.

Uma diferença notória de Mortal Kombat 11 é que o combate foi desacelerado quando comparado ao jogo anterior. Já não há um botão para correr, os movimentos são mais lentos, e é muito mais difícil criar o tipo de combos longos a que nos habituamos em Mortal Kombat X, um jogo muito mais rápido. Para quem jogou o jogo anterior, é algo que demora um pouco a habituar, mas com o tempo esta mudança revela-se ser positiva pois coloca mais ênfase em combate tático, em vez do estilo mais rápido e orientado a combos longos encontrado noutros jogos do género. Felizmente, este jogo tem um dos tutoriais mais completos que já vi, apropriado tanto a jogadores novos como a jogadores mais avançados, pois cobre informação básica desde os controlos, cancels e combos básicos, até conceitos mais avançados, e universalmente úteis em jogos do género, como a análise de “frame data”, “advantage” e dicas para a criação de combos mais avançados. Para além disso, tem ainda tutoriais para cada uma das personagens do jogo, que ilustram os ataques especiais dessas personagens.

Voltando ao tópico de combate tático, uma das grandes mudanças neste jogo é que agora a gestão da barra de habilidades especiais foi separada em duas: uma defensiva e outra ofensiva. A barra defensiva é usada para interagir com o ambiente e para interromper combos do adversário, enquanto que a barra ofensiva é utilizada para transformar certos ataques em versões que fazem mais dano e que criam oportunidades para iniciar combos. Para além disto, o jogo introduz um novo tipo de ataque, Fatal Blows, que vêm a substituir os X-Rays do jogo anterior, um ataque que só pode ser usado uma vez por batalha quando o jogador tem menos de 30% da sua vida. Estes ataques fazem imenso dano, muitas vezes sendo suficiente para acabar a ronda. É frequente estes ataques serem guardados como carta de trunfo para o final da batalha, criando ambientes de tensão onde os jogadores estão a tentar evitar o Fatal Blow do adversário, ao mesmo tempo que tentam inflingir o seu.

Outra mecânica nova muito interessante são os Krushing Blows. Estes são ataques que ativam automaticamente – ou manualmente para um controlo mais granular – quando se reúnem certas condições, como por exemplo se o ataque for feito como contra-ataque. Para além de fazerem dano extra (e terem uma animação espetacular), estes ataques especiais também abrem oportunidades para combos aéreos sem necessidade de custo da barra ofensiva.

A nível de modos, o jogo oferece o que é esperado: um modo de história, modos de combate local, e um modo on-line competitivo. É de destacar que este jogo tem um dos melhores netcodes que já experienciei num jogo do género, oferecendo uma ótima experiência on-line mesmo quando tinha uma má ligação com o meu adversário.
São ainda incluídos os modos Towers of Time e Klassic Towers, onde o jogador escolhe um personagem e combate contra uma sequência de inimigos ao longo de várias “torres”, que são progressivamente mais difíceis.

A nível de upgrades gráficos para a nova geração de consolas, a experiência torna-se parecida à de PC. O jogo agora corre a uma resolução 4K dinâmica, que se ajusta para manter 60 FPS constantes, e tem texturas de maior resolução. Infelizmente, este upgrade não tira partido da tecnologia mais avançada disponibilizada pelas consolas como o Ray Tracing, funcionalidade esta também omitida no PC. Uma vez que este upgrade é gratuito, não podemos esperar muito, e o que é oferecido já é um melhoramente muito bem-vindo.

Para finalizar, Mortal Kombat 11 Ultimate é um pacote fenomenal para fãs do género que ainda não experimentaram o jogo. Para quem já tem o jogo original, o upgrade para consolas de nova geração pode ser obtido de forma gratuita, portanto não será uma compra essencial. Para quem tem o jogo original mas não tem o DLC, esta edição definitiva é o melhor preço para adquirir todo o conteúdo adicional do jogo.

Mortal Kombat 11 Ultimate está disponível para PlayStation 4, PlayStation 5, Xbox One, Xbox Series S/X, Nintendo Switch, e PC.