Nvidia adquire a ARM

A Nvidia confirmou que adquiriu a ARM, a arquitetura responsável por praticamente todos os dispositivos móveis do planeta.

O acordo com a SoftBank, o negócio foi fechado em quarenta biliões de dólares, ou seja, oito biliões extra quando comparado com a negociação original do grupo britânico.

Esta acabou também por ser uma via de salvação para a SoftBank, que se está a endividar de forma descontrolada desde o início da pandemia criada pelo COVID-19, ao ponto de especialistas económicos considerarem que o império de Masayoshi Son, pode estar a viver os seus últimos dias. A ARM pode ter sido a sua salvação, já que também permitiu resgatar parte do negócio original, à empresa criada e fundada por Masayoshi-san.

No campo da gigante verde, o panorama é bem mais animador, a empresa atualmente  ultrapassou a Intel e tornou-se a fabricante de chips mais valiosa dos Estados Unidos. Segundo o comunicado oficial da Nvidia, a expertise da ARM em Inteligência Artificial irá potencializar as capacidades da empresa de Santa Clara, e treze mil funcionários da divisão britânica se juntaram aos seis mil da companhia verde.

A ARM, ao contrário da Nvidia não produz chips, mas licencia a arquitetura originalmente desenvolvida pela divisão para uma infinidade de dispositivos, desde telemóveis a tablets, câmaras de vigilância, e até consolas de videojogos como é o caso da Nintendo Switch, que usa o chip Tegra no coração dos seus sistemas.

A aquisição da ARM vai permitir à Nvidia atuar num mercado muito maior, e concorrer com outros colossos como a Apple, TSMC, Samsung, Qualcomm, Xiaomi e muitas outras empresas que usam esta arquitetura nos seus sistemas. No entanto, a Nvidia comprometeu-se a manter a política de licenciamento aberto da tecnologia, logo, nada deve mudar para os parceiros comerciais e clientes finais.

Com esta aquisição, a Nvidia também irá entrar no mercado de processadores para computador, introduzindo a arquitetura ARM em computadores desktop e laptops. Quem sabe se também não acabará por reformar a arquitetura x86 criada pela Intel desde 1976 e é usada no dia a dia em qualquer computador.

Vindo de vários mundos e projetos, juntou-se à redação do Otakupt, pronto para informar todos os leitores com a sua experiência nas várias áreas da cultura alternativa. Assistiu de perto ao nascimento dos videojogos em Portugal, até à sua atualidade. Devora tudo o que seja japonês (menos a gastronomia), mas é também é adepto de grandes histórias e personagens sejam essas produzidas em qualquer parte do globo terrestre.