Steam Deck recebe verificação para indicar a sua compatibilidade com jogos

Uma forma simples e imediata para demonstrar a compatibilidade com a nossa biblioteca Steam na portátil

Steam Deck, a nova consola da Valve está quase a chegar aos consumidores. Contudo, um dos assuntos mais pertinentes é a sua compatibilidade, afinal estamos perante a maior biblioteca de jogos alguma vez criada, e que dia após dia continua a receber uma chuva de novos lançamentos.

Para esse efeito, a empresa lançou uma nova página dedicada na Steam Deck para demonstrar que jogos foram testados e serão compatíveis com o dispositivo. Todos os jogos vão receber um emblema de verificação que poderá ser visto quer na loja, como na nossa biblioteca de jogos. Os titulos terão quatro categorias. “Aprovado”, “Jogável”, “Incompatível” e “Desconhecido”.

Para um jogo ser aprovado na consola, primeiro será necessário corresponder a quatro requisitos principais de sistema. O emblema de “aprovado” permitirá que o utilizador tenha total certeza que o jogo está otimizado para ser utilizado no portátil, facilitando a aquisição de novos jogos na plataforma sem arriscar no seu desempenho. Nesta categoria todos foram testados e serão compatíveis com controlos, dispõem de teclado virtual, suportam a resolução padrão do produto (1280×800 ou 1280×720 pixels), e possuem configurações que permitam uma jogabilidade agradável e textos legíveis no ecrã da consola. Por sua vez, os jogos classificados como jogáveis, exigirão dos jogadores, alguns ajustes nas configurações para o seu funcionamento, tais como redução de efeitos visuais. Por fim, os jogos marcados como incompatíveis não correspondem aos requisitos do aparelho, por exemplo, os “jogos VR” (nesta fase), e os que possuírem o emblema de “Desconhecido” ainda não foram testados/passaram pelas rigorosas avaliações da Valve.

A Steam Deck chega aos mercados em dezembro.

Vindo de vários mundos e projetos, juntou-se à redação do Otakupt em 2020, pronto para informar todos os leitores com a sua experiência nas várias áreas da cultura alternativa. Assistiu de perto ao nascimento dos videojogos em Portugal até à sua atualidade, devora tudo o que seja japonês (menos a gastronomia), mas é também adepto de grandes histórias e personagens sejam essas produzidas em qualquer parte do globo terrestre.