Temtem, desenvolvido pelo estúdio Crema e publicado pela Humble Bundle, é um RPG online de coleção de monstros que, em primeira análise, gerou muitas critícas por parecer ser uma cópia da franquia que popularizou o género em 1996, Pokémon. É fácil assumir que Temtem é apenas um “Pokémon online”, mas este não é necessariamente o caso, pois apesar do jogo claramente puxar muito da fórmula de Pokémon, faz o suficiente para se distinguir, elevando-se até em alguns aspetos sobre a franquia popular.

Em Temtem, o jogador assume o papel de um jovem “domador” que começará a sua aventura pelo “Airborne Archipelago” a colecionar “Temtem“, criaturas selvagens que o personagem pode apanhar e treinar em batalha, com o objetivo de os “domar a todos” e competir contra os 8 líderes de dojos espalhados pelo mundo. O teu primeiro Temtem é oferecido pelo Professor Konstantinos, que te dá a opção de escolher entre 3 Temtem diferentes, e depois partes em direção a outras cidades onde frequentemente terás problemas com uma organização misteriosa chamada “Clã Belsoto“, cujo objetivo é atualmente desconhecido. Esta descrição soará muito familiar a qualquer pessoa que conheça a franquia Pokémon, e estariam corretos uma vez que todos estes aspetos do jogo são fortemente inspirados pela franquia Japonesa.

Apesar de todas estas parecenças, Temtem melhora a fórmula de Pokémon em quase todos os aspetos, com particular destaque para o combate. Todas as batalhas em Temtem são feitas a pares, onde o jogador tenta explorar as fraquezas dos Temtem adversários, no entanto em vez dos clássicos “Power Points” (PP) de Pokémon, aqui todos os Temtem começam a batalha com uma barra de “Stamina” cheia e cada habilidade tem um custo associado de Stamina que o jogador tem de gerir para poder continuar a usar os seus Temtem de forma eficiente. Isto quer dizer que já não há um limite de usos por habilidade entre visitas ao hospital, no entanto o jogador não poderá usar a mesma habilidade poderosa repetidamente, uma vez que terá de gerir a quantidade de Stamina que tem ao seu dispor. Isto leva a uma combate mais tático e pensado, e adiciona uma camada de dificuldade.

Outra melhoria fundamental em Temtem é que quando um Temtem sobe de nível e aprende uma nova habilidade, apesar de aqui também só podermos levar 4 habilidades para combater, não perdemos nenhuma habilidade anterior mesmo que a substituamos. Isto quer dizer que cada Temtem aprende habilidades para sempre, e estas podem ser trocadas livremente a qualquer altura. Este é um melhoramento fenomenal, porque adiciona imensa versatibilidade ao combate, uma vez que cada Temtem pode ser customizado a qualquer altura para servir propósitos diferentes em batalhas diferentes.

Falando em habilidades, algumas habilidades em Temtem têm efeitos especiais sinergéticos com outros Temtem. Por exemplo, a habilidade “Urushiol” faz dano a um inimigo, no entanto se o companheiro de batalha do Temtem que usou a habilidade for do tipo “Tóxico“, a habilidade ganha um efeito adicional de aplicar a condição “Veneno” ao adversário, que faz dano adicional ao longo de 4 turnos. Estas habilidades sinergéticas adicionam ainda outra camada de estratégia ao combate, dando vantagem a equipas formadas com estas sinergias em mente.


Para além do combate, apesar do formato de exploração e progressão ser muito parecido ao de Pokémon, este jogo oferece mais conteúdo para fazer para além da história principal, no formato de “side quests“, pequenas missões que o jogador pode fazer para receber algumas recompensas adicionais e conhecer um pouco melhor os habitantes do Airborne Archipelago. Este tipo de conteúdo é muito bem vindo e adiciona alguma variedade à fórmula repetitiva do género a que estamos habituados.

Falta ainda falar de um dos componentes mais diferenciadores de Temtem: a componente online. Uma vantagem imediatamente notória de ter jogabilidade online num jogo deste género é que o mundo fica imediatamente mais vivo. É engraçado andar pelos mapas a apanhar Temtem, ou a explorar uma masmorra, e passar por outros jogadores que estão a fazer o mesmo. Para além disto, é relativamente fácil jogar em co-op com amigos, mesmo que estes estejam noutra plataforma, uma vez que este jogo suporta cross-play.
Os modos competitivos em Temtem também são interessantes e de fácil acesso, apesar de que só recomendaria levar estes modos a sério quando ganharem um conhecimento mais profundo do jogo, uma vez que será difícil progredir nos rankings com uma equipa pouco planeada.

Para concluir, Temtem é uma tentativa bem sucedida em melhorar uma fórmula que em quase nada tem mudado ao longo de mais de 20 anos. Está atualmente em Early Access, o que quer dizer que é um jogo que está em desenvolvimento ativo. A história acaba de forma abrupta, e só estão disponíveis para já 100 Temtem para apanhar, sendo que quando o jogo estiver completo este número subirá para mais de 160. O jogo está atualmente disponível a um preço mais baixo, que irá aumentar à medida que o estúdio lança mais conteúdo para o jogo. Claro está, quem adquirir o Temtem agora terá acesso a todo o conteúdo adicional futuramente.
A versão que nós experimentámos foi a de PlayStation 5, que de forma geral corre em 4K a 60 FPS, apesar de haver descidas notórias de framerate ocasionalmente. O jogo não tira partido das funcionalidades novas do comando da PS5, mas integra informação de progresso da história no menu de “Atividades” da PS5.
O jogo é definitivamente uma lufada de ar fresco, e é um jogo que continuarei a acompanhar ao longo dos próximos meses. É fortemente recomendado para fãs do género que querem uma experiência diferente da fórmula repetitiva de jogos do género.

Temtem está disponível em Early Access para PC (via Steam) e PlayStation 5, e está planeado um lançamento para Nintendo Switch e Xbox Series X/S em 2021.

Subscreve
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments