Worms Rumble vai partir para a batalha na Nintendo Switch a 23 de junho

Toda a ação e carisma na híbrida da Nintendo

A Team17 anunciou que o jogo Worms Rumble, vai receber lançamento para a Nintendo Switch a 23 de junho. A versão digital já pode ser pré-reservada e oferece um desconto de 25%. Este lançamento vai coincidir com a disponibilidade de uma arena gratuita intitulada Spaceport Showdown para as restantes plataformas.

O Spaceport Showdown, situa-se muito acima da estratosfera e apresenta uma nova mecânica de baixa gravidade gerada aleatoriamente. Também vamos poder contar com este efeito nos mapas: Deadly Dockyard, Battlegrounds Bank, Missile Mall, Portal Park e Transforming Towers. Novas skins extraterrestres premium, banners, e emotes também poderão ser adquiridas e certamente transmitirão maior dinamismo nos caóticos combates. O fato Patchwork Bear, é exclusivo para os jogadores da Nintendo Switch, e vai estar disponível gratuitamente.

Principais características:

  • Ação frenética: conquista seis arenas variadas em combates em tempo real com a participação de 32 jogadores em cinco modos de jogo a solo ou em equipa, incluindo Deathmatch, Team Deathmatch e o modo battle royale, Last Worm standing.
  • Em todas as Frentes: enfrenta amigos, inimigos e desconhecidos em qualquer plataforma, com matchmaking cross-play.
  • Cria a tua própria Worm: Escolhe e desbloqueia mais de 1.000 opções para personalizares a tua personagem, desde roupas e chapéus até a cor dos olhos e formato dos dentes; personaliza também as suas armas com skins adicionais desbloqueáveis.
  • Todo equipado: os caixotes nas arenas contêm uma série de armas e itens, que incluem o Sheep Launcher, a Holy Hand Grenade ou a Grapple Gun.
  • Eventos semanais: o modo de laboratório fornece mapas predefinidos, armas e mecânicas de jogo para os jogadores dominarem e desbloquearem novas skins.
Vindo de vários mundos e projetos, juntou-se à redação do Otakupt em 2020, pronto para informar todos os leitores com a sua experiência nas várias áreas da cultura alternativa. Assistiu de perto ao nascimento dos videojogos em Portugal até à sua atualidade, devora tudo o que seja japonês (menos a gastronomia), mas é também adepto de grandes histórias e personagens sejam essas produzidas em qualquer parte do globo terrestre.