Autora de mangá fala sobre a sua entrada na indústria e quanto podem esperar ganhar

O Mipon publicou uma entrevista com a artista profissional de mangá, Ryo Katagiri, onde ela falou sobre os salários da indústria e a mecânica para se tornar profissional. Katagiri publicou o mangá Chuuganjike no Onmitsu e Tutti! pela editora Shogakukan, nos anos de 2011 e 2015, respetivamente.

Sobre a sua entrada na indústria:

Quando eu tinha 19 anos, tentei pela primeira vez apresentar o meu mangá à Shogakukan. Não obtive resultados muito bons na época, mas no ano seguinte apresentei o meu mangá numa competição. Era o Prémio Mensal de Mangá da Shogakukan, eu ganhei e ganhei uma condecoração.

Quanto à sua participação no concurso:

Enviei entre 30 e 40 páginas que formavam um one-shot mangá. Ao enviar um mangá, ele deve ser um mangá completo do tipo one-shot. Nenhum elemento pode estar a faltar. Por exemplo, se você enviar apenas texto ou apenas imagens, eles irão rejeitar o trabalho.

Depois de ser serializado, ela comentou sobre as dificuldades de trabalhar profissionalmente como artista de mangá:

Dependendo da situação, todos os meses ou todas as semanas os autores recebem respostas a um questionário que os nossos leitores respondem onde avaliam o nosso mangá. Então eu sei se o meu mangá é popular ou não. O maior problema é quando descubro que o meu mangá não é popular. É muito deprimente e tenho que pensar numa solução o mais rápido possível.

Ela também comentou sobre a forma como os autores são pagos:

Os artistas de mangá cobram por página. Por exemplo, novos artistas de mangá recebem entre 10.000 e 15.000 ienes (90 e 135 dólares) por página. Portanto, se você é um artista novo e desenha 40 páginas por mês, a editora vai enviar 400.000 ienes (3.600 dólares). Se você desenha 90 páginas por mês, custa 900.000 ienes (8.100 dólares). Outras maneiras de ganhar dinheiro para os artistas são os direitos autorais. Por exemplo, se você publicar um volume mangá, você receberá royalties pelas vendas.

FONTE Mipon
Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.