Cloudflare ordenada a revelar a identidade dos autores do site pirata mangá Manga1000.com

Cloudflare ordenada a revelar a identidade dos autores do site pirata mangá Manga1000.com

A Shogakukan, uma das maiores editoras de mangá no Japão, conseguiu permissão para obter os detalhes pessoais dos operadores de um dos sites mais populares de mangás piratas. A intimação de DMCA obriga o Cloudflare a revelar o que sabe sobre as pessoas por trás do Manga1000.com, um site próximo no TOP 500 no Japão.

Milhares de sites piratas usam os serviços de CDN da Cloudflare e, como uma entidade sediada nos EUA, a Cloudflare é obrigada a cumprir as ordens do tribunal. Portanto, com as alegações de violação de direitos autorais em mãos, os detentores de direitos autorais solicitaram a intimação DMCA para forçar a Cloudflare a entregar os dados pessoais dos operadores do site.

Na intimação à Cloudflare  podemos ler:

Recentemente, foi chamado à atenção da Shogakukan que determinados utilizadores dos seus serviços publicaram ilegalmente determinados conteúdos no site localizado em [manga1000.com e manga1001.com].

Exigimos que desativem imediatamente o acesso à obra infratora [detalhada na imagem abaixo] e interrompam qualquer uso, reprodução e distribuição da obra original. Especificamente, solicitamos que removam ou desativem o trabalho de infração dos [sites] ou de qualquer sistema ou serviço.

Tanto o manga1000.com como o manga1001.com recebem cerca de 5 milhões de visitas por mês.

A intimação DMCA, que foi devidamente assinada pelo tribunal, agora obriga a Cloudflare até a 5 de junho a entregar informações altamente detalhadas.

Isso inclui todas as informações suficientes para identificar o operador e / ou proprietário de ambos os sites que “fazem upload, hospedaram e / ou contrataram com outro provedor para hospedar o conteúdo infrator” de propriedade da editora. A Shogakukan também exige registos administrativos e de cobrança que revelem os nomes dos infratores, endereços físicos, números de telefone, endereços de email, números de cartão de crédito e provedores de hospedagem, além de todo e qualquer registo de endereços IP.