Criador de Fire Force já tem uma ideia de como a história vai terminar

A adaptação para série anime do mangá Fire Force (En En no Shouboutai) de Atsushi Ohkubo (Soul Eater) é uma das grandes séries desta temporada de Verão e na Anime Expo o autor falou sobre o futuro do seu mangá e o seu final.

Atsushi Ohkubo afirmou:

Eu tenho uma vaga ideia de como vai terminar, mas, ao mesmo tempo, enquanto eu chego lá, eu trabalho com os personagens para ver onde a história e os personagens me levam.

Como podem ver pela sua declaração, embora ele tenha uma ideia do final, ele vai deixar-se guiar pelos personagens, e muito provavelmente a reação do público à série anime também vai contribuir para decisões futuras.

A série anime de Fire Force estreou a 5 de julho e vai ter 24 episódios. A animação é da responsabilidade do estúdio David Production (JoJo’s Bizarre AdventureCells at Work!), a direção é de Yuki Yase (Nisemonogatari), a história é de Gakuto Haishima e o design de personagens é de Hideyuki Morioka (Kizumonogatari).

Fire Force começou a ser lançado em 2015 na Weekly Shōnen Magazine e a história desenrola-se em Tóquio. Possuídas por demónios, as pessoas começaram espontaneamente a incendiar-se, levando ao estabelecimento de uma equipa especial de combate a incêndios: a Fire Force, pronta para rapidamente combater uma combustão espontânea em qualquer lugar que esta possa surgir.

A equipa está prestes a obter uma adição muito singular: Shinra, um jovem que possui o poder único de correr à velocidade de um foguete, deixando para trás as famosas “pegadas do demónio” (e destruindo os seus sapatos no processo). Conseguirá a Fire Force descobrir a origem deste estranho fenómeno? Ou a cidade vai ficar destruída completamente pelo fogo?

Atsushi Ohkubo ficou conhecido pelo seu mangá Soul Eater que começou a ser publicado em 2004 terminando em 2013. O mangá inspirou em 2008 uma série anime de 51 episódios pelo estúdio Bones. Em 2011 começou a lançar o mangá spinoff Soul Eater Not! que também inspirou uma série anime em Abril de 2014.