Kaiju No. 8 volume 4 cover
Capa do volume 4 de Kaiju No. 8

Yuta Momiyama, o Editor-chefe adjunto do serviço digital Shonen Jump+ no Japão e elemento do serviço internacional Manga PLUS para regiões internacionais, numa entrevista à ITmedia revelou que ele entende que “as vendas de mangá no resto do mundo representam cerca de 10 a 20% do mercado geral de mangá”.

No entanto, ele acrescentou:

Se o clima para a distribuição de mangá digital no resto do mundo melhorar, em cerca de 10 anos, as vendas no resto do mundo e no mercado interno podem ser divididas igualmente 50-50.

O editor explicou que isso ocorre principalmente porque “o anime está a ser assistido em sites de streaming, tornando mais fácil vender o mangá graças ao anime” e que “o mangá é interessante e de alta qualidade, contando que possamos fornecer uma forma ideal para as pessoas lerem, com certeza crescerá”. Ele espera que o Manga PLUS ajude “a popularidade de uma série a espalhar-se [internacionalmente] ao mesmo tempo que no Japão. Com o MANGA Plus, os leitores serão capazes de se empolgar ao mesmo tempo que no Japão”.

Ele continuou afirmando:

Sinto que é semelhante à minha experiência quando comecei a trabalhar no lançamento digital ds ‘Weekly Shonen Jump’ no Japão. Quando a versão para smartphone da revista foi lançada, a presença digital ainda era fraca, mas isso parece ter mudado rapidamente.

Momiyama faz parte da equipa que ajudou a dar vida a séries como Spy x Family e Kaiju No. 8, que são populares em todo o mundo apesar de ainda não terem sido adaptadas para anime.

Apesar disso, Momiyama diz que existem alguns lados negativos na expansão internacional, incluindo a “falta de recursos para administrar o serviço em cada país” e que cada região tem a sua própria “forma de censura“. Ele admite que a Shueisha “ainda não tem conhecimento suficiente sobre essas áreas”. Outras questões incluem o processo de passar do papel e caneta para digital, com Momiyama a afirmar que quando “pensamos sobre o que é mais desejável para leitores, obras e escritores na era digital, precisamos de fazer ajustes nos modelos de negócios existentes, que torna difícil acelerar o processo de criação de novos serviços”.

Ele termina ao afirmar que “neste momento, o custo da tradução é muito alto, tornando a distribuição simultânea muito difícil” e “a qualidade da tradução automática ainda é relativamente baixa, mas vai melhorar nos próximos 10 anos. Assim que as traduções de alta qualidade estiverem disponíveis numa ampla variedade de idiomas, muitas coisas vão melhorar”.

Embora as traduções sejam difíceis, o Manga PLUS tornou-se recentemente disponível em português em abril de 2021, com o russo a ficar online em agosto. O serviço está agora disponível em inglês, espanhol, tailandês, indonésio, português e russo em muitos países ao redor do mundo.

Subscreve
Notify of
guest

5 Comentários
Mais Antigo
Mais Recente Mais Votado
Inline Feedbacks
View all comments
Admmi
Admmi
16 , Setembro , 2021 23:38

Oq é bom e mau, por um lado é ótimo q a indústria esteja a crescer, por outro os mangas podem começar a adaptar-se para serem mais “apelativos” ao público em geral e caso isso aconteça os mangas podem mudar completamente (completamente também não, mas pelo menos um pouco) de estilo, provavelmente para pior…

Satoshi7601
Satoshi7601
Reply to  Admmi
17 , Setembro , 2021 0:28

mangas ruins não são novidade, mas isso também abre margem pros autores serem mais criativos, e em 10 vem terceira guerra mundial mesmo

Ronoroa Zoro
Ronoroa Zoro
16 , Setembro , 2021 23:29

já era esperado

CF
CF
17 , Setembro , 2021 0:46

Isso é óbvio.

RafaelCupim
19 , Setembro , 2021 3:03

Fico pensando se antes do capitulo ser lançado, modificações propositais vão ser uma decisão para lançar em tantos países, mudanças nas escolhas de palavras ou algo até mais longe, como símbolos ou conteúdos de onomatopeias e paginas serem feitas pra certos lugares, como a china sendo birrenta com quem fala de Taiwan ou o tal do polemico manji que no Twitter Brasileiro deu o que falar