Funcionário público de 28 anos foi suspenso por 6 meses por escrever novels

Funcionário público de 28 anos foi suspenso por 6 meses por escrever novels

A NHK revelou que um funcionário público japonês de 28 anos que trabalhava na cidade de Hiratsuka, na província de Kanagawa, foi suspenso por 6 meses sem remuneração por publicar quatro novels, que lhe renderam 3,2 milhões de ienes (28 mil dólares), durante uma licença médica do seu emprego a tempo integral, infringindo a Lei do Serviço Público Local. Em vez de receber o castigo, o homem decidiu despedir-se.

No Japão, um emprego no serviço público é uma das carreiras mais procuradas, com apenas algumas vagas disponíveis por ano para recém-formados e um processo exaustivo de exame para sequer ser considerado. O plano de carreira é conhecido por ser altamente estável, com promoções fáceis baseadas nos anos trabalhados e mais na antiguidade do que no mérito, com todos os detalhes relacionados ao trabalho consagrados na Lei do Serviço Público Local.

A Lei do Serviço Público Local não permite que os funcionários do governo tenham um trabalho extra a tempo parcial, pois isso pode interferir no seu trabalho no governo, mas permite que os funcionários públicos exerçam atividades de redação e inclusive receberem por isso. Os problemas surgiram quando o jovem de 28 anos em questão estava ausente do trabalho por motivo de doença, o que não apenas dá ao homem um salário para ajudá-lo a ficar em casa a recuperar, mas não permite que ele assuma qualquer outro trabalho remunerado pois ele deve concentrar-se na sua recuperação.

A cidade de Hiratsuka recebeu uma denúncia anónima em junho de 2021, enquanto o funcionário estava de licença e iniciou uma investigação, descobrindo que ele não apenas escreveu quatro livros, mas também postou 256 histórias num site de novels na Internet e promoveu os seus livros no Twitter mais de 10.000 vezes. A cidade de Hiratsuka suspendeu o homem a 20 de outubro por 6 meses sem remuneração por violar as leis da Lei do Serviço Público Local, mas ele optou por se despedir.

O funcionário, que era gerente no local em que trabalhava, achava que não precisava obter permissão para escrever os livros, pois “há muitos escritores que escrevem novels enquanto trabalham como funcionários públicos”. A cidade de Hiratsuka pediu desculpa pelas ações do homem, declarando que “esta é uma situação extremamente lamentável e nós nos desculpamos profundamente. Faremos o nosso melhor para restaurar a confiança e evitar que isto aconteça novamente”.

FONTENHK
Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.