Mangá Chainsaw Man, Kimetsu no Yaiba e My Hero Academia esgotados nos USA

Problemas na cadeia de abastecimento causam escassez de mangás nos USA

cover volume 1 Chainsaw Man
Capa do volume 1 de Chainsaw Man

As livrarias e varejistas norte-americanas estão a enfrentar uma escassez na oferta de mangá em termos de demanda do leitor. Os grandes varejistas como Amazon e Barnes & Noble, bem como lojas especializadas como Comics Conspiracy, Califórnia e Comicopia, estão a vender títulos de mangá populares e ficaram em stock.

De acordo com a Publishers Weekly, a escassez de camionistas, o congestionamento generalizado dos portos e os custos inflacionados dos contentores continuarão a causar desafios na cadeia de suprimentos na indústria de livros até 2022. De acordo com o ICv2, o COVID-19 agravou problemas já existentes na cadeia de abastecimento.

O vice-presidente de vendas de publicações da Viz Media, Kevin Hamric, declarou à ICv2 que o aumento da demanda durante a pandemia e a consolidação na indústria de impressão nos últimos anos “levou as impressoras a atingirem a capacidade máxima e a não serem capazes de aceitar novos trabalhos em tempo útil”. Hamric acrescentou: “Combine isso com o fato de que as gráficas tiveram que operar sob as restrições da COVID, assim como os depósitos de distribuição de livros, e a cadeia de suprimentos começa a desacelerar”. Hamric afirmou que também há outros problemas, como falta de papel, paletes, caixas, funcionários e motoristas de camião, além de problemas em portos, contentores e envio.

Neste momento a maioria dos volumes do mangá Chainsaw Man de Tatsuki Fujimoto estão listados como esgotados na Amazon e na Barnes & Noble, assim como o primeiro volume de Demon Slayer de Koyoharu Gotouge. O primeiro volume do mangá My Hero Academia de Kōhei Horikoshi tinha uma cópia em stock na Amazon e está esgotado na Barnes & Noble.

Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.