Mercado de mangás no Japão atinge um recorde de 612,6 bilhões de ienes em 2020

Mercado de mangás aumentou 23% no Japão

Campanha o Melhor do Japão

Volume 21 de Kimetsu no Yaiba vendeu 2 milhões de cópias em 3 dias

A AJPEA revelou o seu relatório do ano de 2020 referente à indústria de publicação de mangás no Japão.

O relatório revelou que a indústria de mangá ganhou um recorde de 612,6 bilhões de ienes (cerca de 5,77 bilhões de dólares), um aumento de 23% em relação aos 498 bilhões de ienes em 2019. O número é o maior desde que a associação começou a acompanhar a indústria em 1978. O recorde anterior foi em 1995, quando a indústria lucrou 586,4 bilhões de ienes.

O mercado de mangá impresso cresceu pela primeira vez desde 2014, ganhando 270,6 bilhões de ienes (cerca de 2,55 bilhões de dólares), em comparação com os 238,7 bilhões de ienes em 2019 (um aumento de 13,4%). O mercado digital continuou a crescer, ganhando 342,0 bilhões de ienes (cerca de 3,22 bilhões de dólares), em comparação com os 259,3 bilhões de ienes em 2019 (um aumento de 31,9%). Os números incluem vendas de volumes mangá e revistas de mangá.

O relatório revelou que o mercado de volume mangá aumentou 24,9% para 207,9 bilhões de ienes (cerca de 1,96 bilhões de dólares), enquanto o mercado das revistas de manga diminuiu 13,2% para 62,7 bilhões de ienes (cerca de 590,3 milhões de dólares).

O relatório revela que para este crescimento contribuíram as vendas fortes de Kimetsu no Yaiba e outros sucessos, afirmando que os serviços de streaming de vídeo estão a contribuir para a longevidade de alguns títulos. O relatório também apontou para a “fadiga do COVID-19” causando um possível aumento na popularidade das histórias de “mundo paralelo” (“isekai”).

O mercado geral de mangá está em alta desde 2018 e 2019 marcou a primeira vez em que as vendas digitais ultrapassaram as vendas impressas de mangá.

VIAYaraon!
FONTEAJPEA
Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.