Os quatro grandes autores que a Weekly Shonen Jump rejeitou

Hajime Isayama
Hajime Isayama

A japonesa MAGMIX publicou um artigo onde descreve os casos de quatro grandes autores de mangá que foram rejeitados nos seus primeiros dias quando apresentaram as suas ideias ao departamento editorial da revista Weekly Shonen Jump.

Entre as muitas revistas de mangá, a Weekly Shonen Jump é a campeã de vendas há muitos anos no Japão. Para muitos artistas de mangá, a serialização na “Jump” é um sonho. No entanto, apenas um punhado de artistas vê as suas obras publicadas na revista. Após a apresentação ao departamento editorial, apenas os escritores cujas histórias são avaliadas em termos de interesse, capacidade de desenho e “estilo Jump” são elegíveis para a serialização. Atrás de cada nova série, há um grande número de obras rejeitadas.

Em baixo encontram 4 autores de mangá que foram rejeitados pela Weekly Shonen Jump e que viram as suas obras tornarem-se num sucesso noutra revista.

Hajime Isayama – Shingeki no Kyojin

Hajime Isayama: O autor do mangá Shingeki no Kyojin (Attack on Titan). O próprio Isayama deixou claro que foi dispensado pela Jump. Depois de ser rejeitado pela Jump, o mangá foi apresentado à redação da Weekly Shonen Magazine da Kodansha, onde ganhou o prémio “Artista Novato” por “Shingeki no Kyojin”. A série foi posteriormente publicada na Bessatsu Shonen Magazine, e juntamente com a adaptação anime, a popularidade da série disparou, com o número total de cópias vendidas a ultrapassar os 100 milhões. Olhando apenas para os resultados, a equipa editorial da “Jump” pode ter falhado, mas mesmo se aprovasse, não era certo se seriam capazes de traduzir uma história tão profunda numa série semanal. A mudança para a ‘Bessatsu Shonen Magazine’ mensal pode ter sido um fator de sucesso.

Rumiko Takahashi – Ranma 1/2, Inuyasha

Rumiko Takahashi: Autora de muitos best-sellers, contou em entrevistas que costumava apresentar os seus trabalhos à Jump quando estava na faculdade. O editor responsável na época era Kazuhiko Torishima, um famoso editor que mais tarde descobriu Akira Toriyama (Dragon Ball). No entanto, ela não conseguiu uma serialização na “Weekly Shonen Jump” e foi para a “Weekly Shonen Sunday” da Shogakukan. A sua primeira obra, “Katte na Yatsura“, foi publicada na revista Weekly Shonen Sunday. Essa comédia romântica com elementos de ficção científica foi uma novidade na época e foi muito elogiada. Essa reputação levou à serialização de “Urusei Yatsura“, que foi um grande sucesso. Mais tarde, ela tornou-se uma autora que continuou a apoiar a “Weekly Shonen Sunday” por muitos anos com “Ranma 1/2“, “Inuyasha“, “Kyoukai No Rinne” e “MAO“. Se Takahashi-sensei tivesse começado a sua história na ‘Jump‘, a história do mangá teria sido muito diferente.

Tomohito Oda – Komi Can’t Communicate

Tomohito Oda: Komi-san wa, Komyushou desu (Komi Can’t Communicate), um mangá de comédia publicado na revista Weekly Shonen Sunday, vendeu mais de 5,5 milhões de cópias e tornou-se uma série anime e live-action em 2021. O autor, Tomohito Oda-sensei, começou com o mangá “Sunday hi Kagaku Kenkyuujo” na “Weekly Shonen Sunday”. Segundo ele, tinha submetido o seu trabalho à redação da “Jump” no passado, mas foi rejeitado por ser “enfadonho”. Muitos recusaram as suas obras, mas foi bem recebido pelos editores de “Jump Square“, e no final recebeu uma crítica muito positiva na “Weekly Shonen Sunday“, dizendo “Isto é muito bom!”. Ele submeteu o mangá ao “Shogakukan Newcomer Comic Award” e ganhou o grande prémio. Depois disso, estreou-se oficialmente em 2014.

Wataru Watanabe – Yowamushi Pedal

Wataru Watanabe: “Yowamushi Pedal”, serializado na “Weekly Shonen Champion” desde 2008, é um mangá de desporto emocionante sobre ciclismo de estrada. O número total de cópias vendidas ultrapassou as 25 milhões, tornando-se um grande sucesso. O autor, Watanabe-sensei, deu o salto com este trabalho no final dos trinta. Na verdade, mais de vinte anos antes, em 1986, aos quinze anos, Watanabe já tinha recebido uma menção honrosa no 22º prémio Hop*Step da Shueisha. No início, Watanabe era um grande fã da Weekly Shonen Jump e achou que poderia estrear-se lá após ganhar o prêmio. No entanto, embora ele tenha continuado a receber menções honrosas e segundos prêmios, ele não conseguiu serializar o seu trabalho de sonho na Jump e foi forçado a desistir. Watanabe-sensei diz sobre aquela época: “Foi uma falta de esforço da minha parte”. Talvez tenha sido a experiência de ficar isolado da Jump que fez de ‘Yowamushi Pedal‘ o que é hoje.

FONTEMAGMIX
Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.