Ser autor de Banda Desenhada!

Ser autor de Banda Desenhada!, quem nunca pensou um dia enveredar por esta carreira?

Aqui no OtakuPT apoiamos todas as iniciativas nacionais para a promoção desta forma de arte pelo que não poderíamos deixar de dar uma mãozita ao João Ortega, um jovem que está a tentar entrar para este mundo extremamente competitivo onde as oportunidades são escassas.

O João criou um blog (www.joao-ortega.blogspot.com) onde nos relata o progresso dos seus projectos e as suas tentativas de publicar o seu trabalho, podem a seguir à entrada ler uma pequena conversa que tivemos com ele.

 

Queres começar por te apresentar?

Sou João Ortega, nasci em 1989 no Barreiro e sou licenciado em Design de Comunicação pela U.L.H.T. em Lisboa.

Faço ilustração como freelancer há 4 anos mas sou apenas amador no que diz respeito a Banda Desenhada.


 

Porquê o interesse pela BD?

Desde pequeno que leio BD, e acho que é um género muito completo, pois pode ter narrativas tão completas como uma obra literária e ao mesmo tempo ter uma linguagem gráfica cativante para a acompanhar.


 

Quais são as tuas referências no mundo da BD?

São bastantes, tanto japonesas como americanas, mas aqui vão algumas das mais importantes: Tayio Matsumoto (Tekkonkinkreet), Yuki Urushibara (Mushishi, Water), Kohta Hirano (Hellsing), Eichiro Oda (One Piece), Osamu Tezuka (Ode to Kirihito, Astroboy), Alan Moore (Watchmen, V for Vendetta), Charles Burns (Black Hole), Jeff Lemire (Nobody, Sweet Tooth), Mike Mignola (Hellboy), António Jorge Gonçalves (Rei).

Alguns como Eichiro Oda não são propriamente arriscados e muito inovadores, mas conseguir manter uma serie como One Piece a correr tanto tempo e com tantos fãs também é de louvar, na minha opinião.

 

Como caracterizarias a industria da BD em Portugal?

Em Portugal quase não existe industria. Apenas há alguns lançamentos esporádicos por parte de editoras como a ASA e a Tinta da China que ainda têm coragem de apostar. No entanto onde se encontram projectos mais interessantes é nas associações e editoras indie, em fanzines e novelas gráficas.

Tenho esperança que a BD nacional venha a crescer, talvez através de uma nova geração de autores que são motivados por series como “Bakuman” que dão-nos vontade de meter mãos ao trabalho. Pessoalmente penso que o que nos falta é o formato revista periódica, que dá origem a series mais completas e imersivas que uma simples Novela Gráfica.

 

Quais são os teus projectos actuais e futuros?

De momento estou embrenhado na divulgação do meu Blog – joão-ortega.blogspot.com – no qual relato o dia-a-dia de um autor de BD amador a contactar editoras e a desenvolver e melhorara projectos, chamemos-lhe um “Reality-Blog”. Estou também a trabalhar nas ditas series (claro) para mais tarde as propor a algumas editoras. Em simultâneo vou fazendo algumas participações em fanzines e fazendo as minhas próprias publicações independentes, que poderão consultar no Blog (a primeira sairá brevemente).

Para o futuro… bem, sou o coordenador de um projecto que deverá agradar aos fãs de revistas periódicas japonesas como WSJ. Não posso dizer muito, apenas que se o Piloto do projecto resultar pode vir a revolucionar a dita industria de BD em Portugal.

 

O que te atrai na cultura Japonesa?

A principio foi o factor “estranheza”, fascinavam-me todos os  tiques e rituais que a cultura nipónica tem. Á medida que a fui conhecendo fui também apaixonando-me por ela, principalmente pelo contraste existente entre os centros urbanos e as zonas rurais. Enquanto que em Tóquio parece que estamos no centro de todo o mundo, onde tudo acontece, basta andar uns Kms para chegar a uma zona sossegada e de certa forma mágica.

E, como não podia deixar de ser, a sua cultura pop! Desde os videojogos, passando pelo manga e anime, e acabando na pop-art de Takashi Murakami, toda a cultura pop japonesa é “over-the-top” e levada ao extremo, conseguindo assim os maiores génios em quase todas as áreas.

 

Quais são os teus Animes e Mangas favoritos?

Quanto a animes sou grande fã dos mais estranhos, como os criados pelos estúdios “Studio 4º” e “Shaft”, mas também gosto de alguns mais normais como: Neon Genesis Evangelion, Bakemonogatari, Casshern Sins, Claymore, Death Note, Genshiken, Mushishi e mais alguns que não me lembro de momento. Quanto a filmes de longa duração de anime tenho que mencionar Mamoru Oshi, tanto os seus trabalhos de animação como live-action são muito bons, o seu anime “Sky Crawlers” é provavelmente o meu filme favorito de todos os tempos, apesar de ser seguidor incondicional de realizadores como Quentin Tarantino, David Lynch e Stanley Kubrick.

Falando de manga tenho que confessar que tento seguir a WSJ o mais possível, apesar de não gostar muito de series como Naruto tento sempre estar a par do que se vai passando. Principalmente porque a Shueisha é a mais importante empresa de manga do momento.

Mas é importante referir que os manga que realmente mexem comigo muito raramente são Shueisha. Os melhores que já li até hoje foram: Mushishi, Tekkonkinkreet, Ode to Kirihito e Hellsing.

 

O que fazes nos teus tempos livres?

Normalmente depende do dia, tenho tantos hobbys e actividades que acabei por tentar encaixa-las numa rotina. Agora que acabei o curso e estou a tirar algum tempo para recuperar, passo a maior parte do tempo a escrever ou desenhar BD, no entanto aos fins-de-semana costumo estar a compor música ou em estúdio com os Amarionette (myspace.com/amarionette), dos quais sou guitarrista. Além destas actividades fixas também é frequente ir ao cinema, ler (livros ou BD), jogar videojogos, montar Gunpla, etc.

 

O que achas do OtakuPT?

O OtakuPT veio literalmente revolucionar-me a vida! E não estou a ser lambe-botas! Antes do OtakuPT existir eu vagueava incessantemente pela net todos os meses à procura de um “chart” ou lista com as estreias de anime do mês, agora simplesmente sigo o OtakuPT. Além das noticias diárias, que são bem estruturadas e actuais, também gosto bastante da comunidade que se está a começar a formar em volta do site.

E devo também dizer que é de louvar que dê oportunidade a pessoas como eu de divulgarem o seu trabalho e tentar chegar aos fás do género: aos nossos tão fofinhos Otaku (dos quais eu faço parte xD).

 

Queres deixar algum conselho aos nossos leitores?

Em relação à BD o único conselho que tenho a deixar é que comecem pelo principio, não tentem ir directamente ter com a Shueisha e ser aprovados para a WSJ, isso é muito improvável de acontecer mesmo com um grande background em BD quanto mais para alguém que nunca fez nada na área. Eu não estou a dizer que devem desistir dos vossos sonhos nem nada do género, aliás eu qualquer dia também hei-de entrar pela Shueisha a dentro com 20 manuscripts prontos para lhes mostrar debaixo do braço, mas se não começarem por fanzines e por publicar alguma coisa por aqui e terem algum feedback e criticas da parte do publico provavelmente é muito mais difícil, pois não têm oportunidade de aperfeiçoar o vosso trabalho.

Quanto ao modo de vida Otaku em geral só tenho a dizer que nunca vou deixar de apreciar um bom anime ou manga, nem nunca vou crescer ao ponto de ver a animação e BD como um meio secundário de narração, pois isso são preconceitos sociais infundamentados. Apesar de não ser propriamente um dos mais fanáticos que compra todas as action-figures e assim, não tenho nada contra. Se se sentem bem com o vosso modo de vida nunca deixem que ninguém vos mude, porque no final das contas vamos estar todos debaixo da terra e a única diferença é entre quem aproveitou a vida e quem se levantou ás 6h durante 40 anos para receber uma reforma miserável e ser tratado como estrume.

Visitem o blog – joão-ortega.blogspot.com – e deixem feedback! Ajudem-me a melhorar e qualquer tipo de critica e divulgação é bem vindo.