O que estamos a ver – 02 de Outubro de 2022

De uma forma resumida, falamos um pouco sobre o que vimos e deixamos o convite para em baixo nos comentários dizerem o que viram e jogaram na última semana.

Bruno Reis

Orient -Segunda Temporada- (12)

Não vou adiantar muito mais do que já disse na semana passada, até porque o último episódio foi uma extensão do que assistimos anteriormente. Orient foi uma série que começou por evocar o espírito de aventura de muitas séries do início deste milénio. Infelizmente, durante esta temporada esse sentimento gradualmente, se esfumou em prol do desenvolvimento e destaque uma única personagem. A continuação dos mini arcos do trio foi completamente ignorada, sendo que o grande foco desta também foram os Bushi enquanto organização. Estes dois elementos, ou seja, o desenvolvimento do Musashi, e os Bushi deram azo a um arco extremamente entediante focado em lutas que sentimos por vezes um travo de Bleach, contudo, muito ligeiro. Se voltarmos a este oriente novamente, espero que seja com um equilíbrio mais consistente.

Mobile Suit Gundam: The Witch from Mercury- (00)

A Sunrise ponderou e julgo que criou algo de muito positivo. Ao invés de introduzir dezenas de novos conceitos como costuma fazer em séries de Gundam, produziu um prólogo que não só serviu para os colocar na narrativa como os inseriu no seu mundo antes do início de uma nova série da mesmo. O universo continua com os olhos postos nas analogias dos eternos rivais Amuro e Char. Enquanto uns anseiam libertar-se da gravidade rumo aos espaço, outros afirmam ser demasiado cedo e pode conduzir a humanidade à ruína. No meio desta tempestade conhecemos uma família que mesmo sendo pobre vive feliz. Nesta sociedade as Mobile Suits (especialmente as unidades Gundam) são vistas como muito desdém, dado que foram responsáveis por incontáveis guerras ao longo dos séculos. Um dos engenheiros é pai da já referida família, e junto da sua esposa não só desenvolvem uma unidade secreta como usam a sua tecnologia no fabrico de próteses. Assim que o governo descobre estes planos, envia um equipa de assalto para assassinar o casal que se encontra a festejar o quarto aniversário da sua filha. Contudo, desconhecem que a criança tem um índice altíssimo de compatibilidade com o novo Gundam. Além do tradicional ambiente político e étnico, a nova série possui uma arte e animação sublimes. Se continuar com este equilíbrio poderemos estar na presença de mais um clássico da perpétua série mecha.

Dragon Quest: The Adventure of Dai (2020) – (97)

Bem vos disse que o misterioso Gomechan ainda teria uma palavra a dizer no meio desta luta final. Aparentemente a Gota dos Deuses, foi responsável por uma panóplia de milagres durante a viagem do Dai e dos seus amigos. Se pensarmos foi determinante em vários momentos que tiveram um propósito muitos específico e por isso a série conseguiu unir algumas pontas soltas. Mais uma vez sentimos que este é um produto do seu tempo, visto que voltou a recorrer a outro grande apontamento de Dragon Ball Z, numa altura onde o anime o demonstrava. Realmente é incrível como um pequeno ser que não fazia mais do que dizer “piiipii pii” a todo o instante conseguiu ser produzir momentos tão emocionais.

Podem crer que iríamos comer muitos pacotes de batatas fritas!

Boku no Hero Academia – Season 6- (01)

A sexta temporada de My Hero Academia já deu para perceber que será repleta de ação, um elemento que foi ficou quase de parte na anterior. A batalha contra a força de liberação de vilões começa num hospital, dado que o grupo principal de heróis planeia caçar o cientista responsável pela criação dos Nomus e braço direito do vilão All for One. No entanto, este tem uma nova missão produzir o corpo perfeito para Shigaraki, o líder da liberação de vilões. Ainda é muito cedo, mais sinto que esta será a melhor temporada até à data quer no departamento qualitativo como no narrativo.

Pop Team Epic 2 (01)

A melhor porcaria de sempre regressa com o mesmo vanguardismo e moldes da primeira temporada. Fomos novamente introduzidos a segmentos arrancados dos lugares mais remotos da mente humana. Descobrir a nossa individualidade, o “lado B” de um sketch da primeira temporada, muita animação experimental e até um chocobo de Final Fantasy foram apenas alguns momentos que uma dupla de seiyuus masculinos e femininos (desconheço quem foram) protagonizaram num início já bem louco.

SPY x FAMILY (13)

O segundo cour da série anime desta primavera começa imediatamente onde a anterior parou. Os pais da pequena Anya decidem presentear a sua filha com um animal de estimação. Contudo, Loid recebe uma nova missão enquanto estava com a sua família numa loja de animais. Desta vez o alvo é um grupo traficante de animais. Depois de alguns eventos assistimos à nossa telepata favorita junto de um cão que supostamente consegue prever o futuro. Para já não temos a indicação de como o faz, se é uma premonição a meros segundos de acontecer, ou seja, como a Monado de Xenoblade Chronicles, ou eventos mais distantes. Para já deu a entender que este segundo cour parece ser menos episódico. Enquanto o anterior senti quase como fosse uma sitcom, neste os eventos parecem ser mais emparelhados, diria mesmo mais sérios, mesmo com algumas doses de comédia. Outro incremento que parece existir nesta segunda parte, é a arte e animação, visto que o primeiro episódio apresentou uma enorme qualidade em ambos os elementos.

Uzaki-chan wa Asobitai! W (01)

A segunda temporada de Uzaki parece ter deixado o humor um pouco de lado para se focar no romance entre a menina que inflamou as redes sociais e o seu senpai. Devido a esta via senti um primeiro episódio mais fraco quando comparado com os da primeira temporada. Os acontecimentos foram demasiados muito do que estamos habituados numa romcom. O início desta temporada deu para perceber que eventos natalícios vão juntar este casal, no entanto, ainda não sabemos se vão acontecer ou a produção apenas os colocou para despistar as atenções e manter o interesse dos espetadores.

Quanto a jogos estou a tentar continuar o The Legend of Heroes: Trails from Zero, mas o tempo não estica… só encurta.

Felipe Soares

Spy x Family (13)

Spy x Family retorna em sua segunda parte logo no primeiro dia da Temporada de Outono mostrando Loid recebendo uma missão de emergência, Anya se metendo com terroristas sem querer por causa de um cachorro e Yor nervosa com a possibilidade de terem sequestrado sua filha adotiva.

A primeira parte do anime foi claramente uma introdução de universo e os personagens e organizações de importância em seu mundo, agora a segunda parte parece que ira desenvolver sua historia e mover seus personagens centrais em diversas situaçoẽs. Gostei como a situação envolvendo os terroristas foi apresentada como algo mais sério e que possibilidades de consequências, isso acaba trazendo um peso maior para a história, mesmo que ainda exista bastante do tom de comédia.

Apesar de não ter achado nada de espetacular na forma como os acontecimentos desse episódio ocorreram, sua produção foi bastante competente e sua animação muito boa. A trilha não me pareceu com grande destaque, por outro lado gostei da atuação do elenco deste episódio.

My Hero Academia 6 (01)

A quinta temporada da adaptação para série anime de My Hero Academia retorna exatamente de onde sua temporada anterior terminou, do ataque dos heróis contra a organização de vilões.

Este episódio serviu muito como uma forma de mostrar o tabuleiro e o local em que cada peça está posicionada, exatamente como no xadrez. Porém, gostei que apenas no final foi mostrado o momento em que as peças dos dois lados começaram a se mover e deixando no clímax o gancho para o próximo episódio.

A maior parte do episódio teve uma animação bem satisfatória, mas no momento da ação foi possível ver uma produção mais trabalhada. Isso pode significar que a produção desta temporada pode ganhar uma animação melhor que a anterior, que foi muito criticada entre os fãs da série.

Pop Team Epic 2 (01)

Nonsense, Nonsense, Nonsense, esta é a única palavra possível para definir o primeiro episódio desta nova temporada de Pop Team Epic.

Logo de cara o episódio apresenta referências a animes, tokusatsu e jogos do jeito mais sem noção possível. Gostei que existe a apresentação de um novo quadro da série e o retorno triunfal de um momento em que animação e bizarrice formam uma cena estranha mas que funciona perfeitamente dentro da proposta da série.

Helder Archer

Lycoris Recoil

Lá completei a série. O episódio final deixa vontade de ver mais e talvez em fevereiro seja revelada uma continuação.

Vindo de vários mundos e projetos, juntou-se à redação do Otakupt em 2020, pronto para informar todos os leitores com a sua experiência nas várias áreas da cultura alternativa. Assistiu de perto ao nascimento dos videojogos em Portugal até à sua atualidade, devora tudo o que seja japonês (menos a gastronomia), mas é também adepto de grandes histórias e personagens sejam essas produzidas em qualquer parte do globo terrestre.
Subscreve
Notify of
guest

2 Comentários
Mais Antigo
Mais Recente Mais Votado
Inline Feedbacks
View all comments
Samuel Silva
Samuel Silva
2 , Outubro , 2022 21:16

A melhor parte sobre Orient é que acabou! Depois de dois split cours que não convenceram, mesmo que haja mais temporadas vou abandonar o barco. Esta semana acabou a segunda temporada de Made in Abyss, que foi só extraordinária! Espero que não falte muito tempo para uma continuação. Também terminou o Summertime Rendering que foi mesmo muito bom. O episódio final foi tão satisfatório e o anime tão bom e sólido durante os seus 25 episódios que tem de ser equacionado para melhor do ano. Agora que venha a nova temporada, carregada de coisas boas!

ZoldyckPD
ZoldyckP
Reply to  Samuel Silva
3 , Outubro , 2022 0:20

Senão me engano tem três capitulos pra adaptar no mangá de Made. Vai demorar bons anos até uma possível nova temporada.