O que estamos a ver – 15 de Janeiro de 2023

De uma forma resumida, falamos um pouco sobre o que vimos e deixamos o convite para em baixo nos comentários dizerem o que viram e jogaram na última semana.

Bruno Reis

Vinland Saga Season 2 (01)

A segunda parte de Vinland Saga abre com um novo protagonista e julgo que já se passa em Vinland -antigo Canadá -devido aos campos de trigo e cravos. Independentemente de onde tenha lugar, esta localização vive aterrorizada por invasores que pilham, matam e violam os cidadãos de uma pacata aldeia que vive através da agricultura. É notória a experiência e consequente herança de Attack on Titan: The Final Season. A energia é essencialmente a mesma, visto que relata uma realidade cruel onde o humano é descrito sem filtros, quer seja pelo melhor como pelo pior. Sublinho que este arco é muito mais pausado e com menos ação que o anterior, mas a história será uma das mais belas e humanas.

Urusei Yatsura (2022) (13)

Os alunos do liceu de Tomobiki preparam-se para a mais dura das batalhas, sair para petiscar durante o período de estudo. Como não podia deixar de ser, os professores formam uma aliança para impedir que os estudantes saiam para fazerem uma verdadeira gourmet tour pelos restaurantes de Tomobiki. Em seguida, Ten-chan revela a todas as beldades da cidade os seus futuros esposos através de um artigo interplanetário. A primeira história foi essencialmente o elemento Rumiko em toda a sua glória. Muita confusão, muita diversão e muita aleatoriedade. Nesta história podemos constatar que Lum, é uma Party Oni dado que flui ao sabor da loucura e diversão. Na segunda história os elementos que mais sobressaíram para mim, foram as fantásticas atuações dos seiyuu. Aoi é uma perfeita Ten-chan. A atriz de voz conseguiu captar na perfeição, atriz transmite o misto de ternura e diabrura característico do pequeno monstro. Também claro tenho de citar a Miyuki Sawashiro decomposta e o vendedor intergaláctico, Tomokazu Sugita.

SPY x FAMILY dos Chineses (BUDDY DADDIES) (02)

Enquanto os “pais” da Tanya procuram pelo paradeiro da verdadeira mãe, a criança não para de fazer traquinices. As mesmas são de tal forma intensas que até fazem com que o Iori saia de casa e deixe os seus videojogos favoritos de parte. Como não fosse bastante, a Tanya segue o Royd para uma missão mortal. Há uns tempos referi que a Anya de SPY x FAMILY se comportava como era esperado de uma criança. Contudo, de certa forma começo a acreditar que a Miri neste contexto consegue ser ainda mais orgânica. Embora a Anya aja bastante como uma menina de cinco anos, a Miri consegue estar uns pontos ligeiramente acima por ser mais credível. A sua inocência, hiperatividade, e desejar ser o centro de atenções a todas as horas parecem-me mais próprias das que esperávamos uma criança de 4 anos, e como não possui elementos sobrenaturais consegue ser orgânica e credível. Também acho interessante o pequeno enredo que se tece nos bastidores com os pais da Miri e o vulto que assistimos no final deste divertido episódio.

The Legend of Heroes: Trails of Cold Steel: Northern War (02)

O início de The Legend of Heroes: Trails of Cold Steel – Northern War abriu com uma localização e personagens que decerto não são desconhecidas para nenhum fã dos jogos. Rufus e Osborne, o Chanceler de Ferro anunciam a anexação de Crossbell. Como não podia deixar de ser, o mundo todo assistiu a este histórico evento. Enquanto uns acreditam que este momento vai trazer prosperidade, outros acreditam que este movimento irá desencadear uma nova guerra. Como base neste elemento, North Ambria reuniu as suas maiores figuras. Para contra-atacar, o governo confia uma missão secreta a Lavi e um trio de outros Jaegers, invadir Erebonia e descobrir o segredo de Rean e o seu Panzer Soldar, Valimar. O segundo episódio da adaptação da guerra de North Ambria emulou na perfeição o clima político dos seus jogos. Realmente é uma pena que a produção seja tão mediana. As lutas de Lavi foram intragáveis e o CGI dos veículos e do Valimar foram, no mínimo, vergonhosos. Não tenho dúvidas que a Tatsunoko vai fazer com que esta adaptação seja recordada pelos piores motivos. Prece mesmo que o único interesse desta adaptação será mesmo a história.

Trigun Stampede (02)

O segundo episódio de Trigun Stampede adaptou o quarto da versão clássica. Vash e o seu grupo são perseguidos devido à enorme recompensa que o pistoleiro loiro tem na sua cabeça. Contudo, a pacata aldeia não é a única que planeia capturar o Vash, dado que os irmãos Nebrasca também visitam a aldeia com esse propósito e o de adquirir a plant, uma enorme fonte de energia. Para já estou a adorar esta adaptação de Trigun. Sinto cada vez mais como uma versão alternativa que retira e continua os acontecimentos que conhecemos e adoramos da obra de 1998. Porém, este elemento também contribui para destruir o clima de mistério da série. Desde muito cedo descobrimos que Vash é oriundo de outro planeta, esse planeta não é a terra e a personalidade cómica e séria é completamente unificada, sem dar espaço para uma mudança entre uma e outra, um efeito que conquistou a audiência e colocou Vash no pedestal de personagens mais amadas pelos seus fãs.

Ijirinaide, Nagatoro-san: 2nd Attack (02/03)

Nesta dose dupla de episódios Nagatoro e o seu Senpai visitam o jardim zoológico para desenharem macacos e elefantes, Nagatoro perde o telemóvel, reúne-se com as suas amigas e todos participam numa maratona. Finalmente assistimos aos efeitos de tanto bullying, dado que o Senpai se impõe perante à injustiça. Gradualmente também assisto a um afastamento da fórmula original, o que a longo prazo pode ser um elemento pejorativo.

NieR Automata ver.1.1a (02)

No segundo episódio da adaptação anime de NieR Automata assistimos à procura da humanidade pelos androides e a falta de humanidade pelos humanos. Quem conhece os jogos sabe que os humanos não já existem fisicamente no planeta, dado que viajaram para a lua e apenas foram relatados em documentos e outras conversas pelos androides. Não tenho dúvidas que esta adaptação vai começar a tecer uma linha diferente da que conhecemos até porque muito cedo introduziu as gémeas Popola e Devola. Por favor, produção, parem como CGI penoso mais vale transportarem 2B e 9S para as localizações sem recorrerem aos mechas.

Helder Archer

Lá vi o primeiro episódio de Trigun Stampede, o espírito da série está lá, o ambiente parece estar bem trabalhado, mas em algumas situações o 3DCG continua a quebrar alguma da imersão, e definitivamente lá vou ter de tolerar o péssimo design de personagem do Vash. Já Vinland Saga 2, arrancou com tudo, a transição para o estúdio MAPPA não se traduziu numa perda de qualidade, bem pelo contrário e foi um ótimo primeiro episódio.

Felipe Soares

My Hero Academia 6 (15)

Apesar deste episódio ainda estar na calda dos acontecimentos anteriores, fiquei com gosto amargo com a possibilidade do retorno de antigos vilões da série. A não ser que eles sejam usados para mostrar uma evolução dos alunos da escola de heróis (ou do próprio Deku), não vejo como o retorno destes vilões possam agregar de outra forma para a história. O episódio me pareceu ainda meio incompleto, mas, como este arco parece ter um escopo maior, creio que teremos mais desenvolvimento a ser feito, principalmente sobre as mudanças dentro da sociedade.

Trigun Stampede (02)

Apesar de ter gostado deste segundo episódio do anime, senti um gosto amargo neste episódio. Diferente do episódio anterior, que trouxe uma apresentação de universo e personagens, este episódio me pareceu andar em círculos e não chegar em lugar nenhum. Os vilões deste episódio foram bem artificiais e nem para desenvolver o plot sobre pais e filhos eles serviram.

Em questão de animação eu achei bem interessante a forma diferente como a montagem do episódio me pareceu mais em um estilo americano do que japonês. Isso é um ponto positivo, pois existem muitos animes criados usando o mesmo molde (isekais, por exemplo) e isso trás um diferencial dentro da indústria anime.

The Peripheral (1° Temporada) 

Colocando algumas coisas em dia neste início de ano, terminei a primeira temporada The Peripheral, lançada em outubro com produção da Amazon Studios e Warner Bros. Television.

Achei bastante interessante como a série equilibra bem as questões de tecnologia VR e ficção científica. Esta primeira temporada foi apenas uma apresentação de universo e de conceitos que serão desenvolvidos nas próximas temporadas, sem falar nas possibilidades que são abertas para a série brincar com o conceito de viagem no tempo.

Diferente do que muitos estavam achando, principalmente por ser uma produção de Jonathan Nolan e Lisa Joy (Westworld), The Peripheral joga no seguro nesta primeira temporada, isso significa que não tem conceitos difíceis ou quebra-cabeças que o público tem que montar para entender a série como um todo.

Jack Ryan (3° Temporada) 

Baseada nos livros de Tom Clancy e com elenco de John Krasinski, Wendell Pierce e Abbie Cornish, a série retornou na Prime Video em dezembro com oito episódios.

Fui pego completamente de surpresa com essa terceira temporada da série, os acontecimentos dessa temporada me lembraram bastante da dinâmica da série 24h, mas com uma escala global. Algumas coisas nesta temporada acabaram casando com muitas coisas do mundo real, quem está de olho nos noticiários vai acabar vendo possíveis semelhanças entre os principais antagonistas desta temporada e políticos do mundo real.

Vindo de vários mundos e projetos, juntou-se à redação do Otakupt em 2020, pronto para informar todos os leitores com a sua experiência nas várias áreas da cultura alternativa. Assistiu de perto ao nascimento dos videojogos em Portugal até à sua atualidade, devora tudo o que seja japonês (menos a gastronomia), mas é também adepto de grandes histórias e personagens sejam essas produzidas em qualquer parte do globo terrestre.
Subscreve
Notify of
guest

7 Comentários
Mais Antigo
Mais Recente Mais Votado
Inline Feedbacks
View all comments
Lucius Artorius Pendragon
Lucius Artorius Pendragon
15 , Janeiro , 2023 18:46

Eu gostei da trama politica em Trails até o Ao no Kiseki. Do Coldsteel pra frente as motivações politicas se tornam mais caricatas e unidimensionais do que deveriam. A maioria são: políticos gananciosos que agem 100% do tempo como políticos gananciosos. Ou só fazem ”maldade” por estar sendo controlado por algum poder mágico. Se fosse algo de fundo para acelerar a trama eu até relevaria mas infelizmente é o ponto central em muitos momentos.

Esses 2 episódios de Trails não me agradaram nem um pouco. Eu tolero a qualidade técnica de baixa qualidade mas os momentos políticos são intragáveis e a quantidade excessiva de exposições chega a irritar. Além dos novos personagens serem bem qualquer coisa até agora. O único que parecia ser interessante é o Rogan (cara de cabelo azul) mas não chega nem perto de um Alan Richard da vida.

vitor
vitor
15 , Janeiro , 2023 21:57

no caso de buddy daddies ser chamado de “SPY FAMILY DOS CHINESES”, o anime tem alguma ligação com a China de fato? Procurei em algumas fontes mas só achei nomes japoneses na produção, ou o sufixo “DOS CHINESES” tem algum significado especifico em Portugal?

Felipe Soares
Membro
Reply to  vitor
15 , Janeiro , 2023 22:22

Essa questão apenas o Bruno poderá responder, mas no BR BUDDY DADDIES poderia ser chamado de SPY x FAMILY do Paraguai.

Samuel Silva
Samuel Silva
16 , Janeiro , 2023 11:39

O primeiro episódio de Vinland Saga 2 foi bastante bom, mesmo! Esta temporada promete muito, mesmo que não tenha tanta acção quanto a primeira. Vi o primeiro episódio do The Vampire Dies In No Time e adorei o regresso. Fortíssimo candidato a ending do ano já em Janeiro! Vi o Lupin Zero que mantém o espírito de sempre e não desaponta. Gostei de ver o Lupin e o Jigen em versão adolescente.