O que estamos a ver – 5 de Dezembro 2021

O que viram e jogaram na última semana?

Conversa Otaku #163

De uma forma resumida falamos um pouco sobre o que vimos e deixamos o convite para em baixo nos comentários dizerem o que viram na última semana.

Bruno Reis

The Vampire Dies in no time

Parece que o Alex Kidd não foi o único a ressuscitar a versatilidade do Janken numa sociedade, visto que um vampiro à solta também recorreu à mesma. Contudo, ao contrário do antecessor de Sonic The Hedgehog, não a utilizou para praticar o bem, pois as suas práticas levaram às suas vítimas a tirarem uma peça de roupa no final de cada derrota. Felizmente para grande deleite de muitos uma freira destemida sem tento na língua decidiu fazer-lhe frente. Poucas vestes foi mesmo a palavra de ordem deste episódio, pois noutro episódio um vampiro adepto de minibikinis fez mais vítimas numa praia. The Vampire Dies in no time, não parece evadir-se da sua zona de conforto, apenas o cómico persiste, e o Draluc curiosamente morre cada vez menos, e cada episódio (ou blocos) parece ter como foco um Hunter diferente.

Kyoukai Senki

Lembram-se de umas semanas atrás indicar-vos que via a série da Sunrise iria seguir? Pois, bem parece que temos a resposta. O último elemento que faltava em destaque numa obra que parece honrar os grandes clássicos mecha fez finalmente a sua estreia. A política, as suas intrigas e revelações foram o grande destaque deste episódio. Uma das personagens principais reencontra-se com um amigo de infância e descobre nem tudo é preto no branco, mas sim cinzento. A grande pergunta que paira aqui é: “será a misteriosa figura o piloto do intimidante Ghost?” Kyoukai Senki decidiu dedicar dois dos seus episódios para se debruçar na sociedade japonesa e nos horrores da guerra, veremos se produzem o efeito desejado.

Caça-Fantasmas: O Legado

O regresso dos caça-fantasmas convidaram-me a sentar numa sala de cinema junto dos meus amigos num domingo ao início da noite. Porém, como o titulo português indica não estamos perante os heróis de Nova Iorque que salvaram o mundo em 1984, mas sim de uma nova geração que numa vertente muito juvenil e complemente inocente seguiu as suas pegadas e consequentemente o seu legado. O humor característico de Peter Venkman (Bill Murray) e os seus colegas exterminadores de espetros foi deixado em segundo plano, pois o filme enveredou para uma via mais séria, embora contenha picos de uma maior comicidade. Os easter eggs também abundaram, por isso estejam até ao fim dos créditos para assimilarem o filme na sua totalidade. Surpreendentemente foi um filme com um ótimo ritmo que ainda teve tempo para relatar as dificuldades de uma mãe solteira, que acabou julgar o seu pai sem saber das suas consequências, e colocar a vários elementos de pop culture, desde as “Beam Struggles” de Dragon Ball Z, à unilateralidade dos vilões de Power Rangers. Sem dúvida foi um filme que surpreendeu pela positiva e abre portas para uma nova geração de heróis e para o surgimento de novas linhas de produtos.

Takt.OP Destiny

Cosette, é oficialmente uma alma do passado no Takt e na Anna, e este episódio debruçou-se sobre as dinâmicas da jovem renascida como Destiny. O trio chega finalmente à sede da Symphonica em Nova Iorque, e lá além de conhecer a família da Anna, a Destiny encontra o seu espaço no seio do grupo e no mundo. Após estabelecer uma promessa com o seu adorado Maestro, eis que chega o momento deste conhecer os horrores de uma década atrás e o mistério da morte do seu pai. Um dos apontamentos mais interessantes, foi descobrirmos que Schindler era apenas uma pequena engrenagem numa máquina industrial envolta em mistério e acontecimentos perturbantes. Enquanto o episódio anterior fechou o primeiro ato, este preparou os instrumentos para a orquestra final.

JoJo’s Bizarre Adventure: Stone Ocean (01-12)

Em pleno feriado a Netflix disponibilizou a primeira porção de episódios da sexta parte da obra de Hirohiko Araki. Sendo uma das minhas séries favoritas mergulhei a fundo neste oceano de pedra e consumi de rajada todos os doze episódios disponíveis. Esta é possivelmente a série JoJo mais estranha até a data, pois o que achávamos de bizarro é multiplicado em doses industriais nesta prisão. As situações, o body horror, os combates e acima de tudo as excentricidades das suas personagens são muito diferentes do que presenciamos outrora. Esta vai ser uma série extremamente censurada quando for transmitida no Japão, pois temáticas adultas, corpos desmembrados e deformados, e alguma nudez marcaram o destaque nesta produção da David Production. Relativamente ao último elemento, esta também é a série JoJo mais erótica até ao momento, principalmente nos episódios iniciais, aliás abre com uma cena bem polémica até para este mundo bizarro e envolvente. Sem dúvida é uma série mais que recomendada (por favor vejam as anteriores 5 partes antes), e mal posso esperar para devorar a próxima fatia de episódios, a espera vai ser dolorosa. A propósito já vos disse que adoro o tema do Padre Pucci?

Sakugan

Um autêntico clima tropical foi o destaque deste episódio. Após um calor abrasador, a expedição é envolta numa tempestade e acaba presa sem recursos para continuar viagem.
Só mesmo com a aceitação das fraquezas e virtudes de cada um podem prosseguir caminho. Mais um episódio que se debruçou nas suas personagens ao invés de continuar a sua história, assistimos ainda aos estilhaços das desavenças da Zackletu e do Gagumber que surgiram no episódio anterior, e à Memempu retirar uma página do caderno de apontamento do Macgyver onde o vimos sair de um deserto com o auxílio de catos (interessante assistir ao texto detalhado da sua invenção todo em inglês). Só mesmo no final do episódio tivemos um pequeno avanço no enredo, espero que não chegue demasiado tarde para fluir como é suposto.

Ousama Ranking

Enquanto o pequeno príncipe continua o seu treino, viajamos até ao seu reino e não só ficamos a conhecer as origens do mesmo, como numa vertente muito Attack on Titan, descobrimos que a origem de tudo também partiu de um pacto com um demónio. Para não colocar spoilers no artigo para o Helder Archer e outros leitores que estejam com uma ou mais semanas de atraso, apenas posso dizer-vos que descobrimos quem habita no corpo do jovem rei. Não sei se sentem, mas devido às intrigas e traições no reino cada vez penso que estamos em algo muito próximo de um Game of Thrones em forma de fábula. Até o Daida é semelhante ao rei Joffrey.

Shaman King (2021)

Ren ressuscita de várias formas, Yoh leva um sopapo da Anna e parte novamente para a luta, e o Horohoro redescobre a sua coragem ao enfrentar um homem Lego gigante. Este episódio fez-me sentir que um dos grandes males desta adaptação são as suas lutas demasiado estáticas, um efeito nada equiparável à série abaixo.

Dragon Quest: The Adventure of Dai (2020)

O desenvolvimento de personagens é incrível nesta série, se tínhamos dúvidas deste elemento este episódio dissipou-as por completo. Enquanto todos colocam as esperanças nos ombros do Dai, esquecem-se de que é apenas uma criança. Entre o desespero, e a ansiedade quem vem em seu socorro? O maior cobarde que tivemos o prazer de assistir a evoluir para um homem responsável, que nesta fase está completamente ciente do seu valor e coragem, mas que mesmo assim não nega o seu passado. Cada semana que passa faz-me ter mais confiança em colocar Dragon Quest: The Adventure of Dai (2020) no mesmo patamar de Hunter X Hunter (2011) embora sensivelmente uma década as separe, uma adaptação de luxo, um enredo que evoluiu de complexidade e personagens dotadas de uma humanidade incrível, as une. Concordo como o Felipe Soares, é incrível como temos este grau de qualidade numa série semanal produzida pela Toei Animation.

Helder Archer

Ousama Ranking

Episódios 7 e 8. O nosso pequeno príncipe termina o seu treino. Qual será a sua arma? Afinal o seu pai está vivo e no corpo do seu filho mais novo, agora sim faz sentido o que ele disse anteriormente em ter sacrificado outro filho. Já sabemos finalmente a razão pela fraqueza de Boji e também tivemos a oportunidade de conhecer a sua mãe.

Continuo a achar que em termos de história a série continua a tornar-se cada vez mais complexa, sendo que será preciso grande mestria para no final não deitar tudo a perder como vemos em algumas séries.

Platinum End

Episódios 8 e 9. Finalmente uma explicação para o estranho comportamento da Saki e a demonstração do “Peer pressure” sobre os membros individualmente e as suas nefastas consequências.

No episódios 9 temos o inicio de uma das situações mais tensas envolvendo um rapto.

Ricardo M.

Ousama Ranking Ep. 6 e 7

Ainda no sexto e sétimo episódio, o pequeno Bojji começa por fim o seu treino no submundo. No meio deste evento, é retratada a força de vontade e a verdadeira natureza do protagonista, uma faceta inesperada do fiel companheiro Kage, incluindo a identidade do reflexo de dentro do espelho. Em particular, estou a gostar de como a história de Ousama Ranking continua a revelar-nos as diferentes facetas dos personagens e como tem vindo a realçar com subtileza o real objetivo da vilã.

Os Donos do Universo: Revelação – Parte 2

A segunda parte de Os Donos do Universo: Revelação estreou recentemente com mais cinco episódios na Netflix. Com o destino do reino e do universo em jogo, os cenários sombrios de Eternia dão lugar a mais batalhas excitantes que continuam destacar as protagonistas femininas tal como podemos observar na temporada anterior. Tendo em conta que hoje em dia as mulheres estão a ganhar protagonismo nos grandes ecrãs e a tornarem-se as favoritas do público, em Os Donos do Universo, o enredo de Kevin Smith mantém a atenção para o campo feminino, por sua vez, a presença de Teela e Evil-Lyn são as que mais surpreendem pela determinação e pela visão concreta sobre as coisas.

A animação da mítica série é outro aspeto que ressalta a experiência do estúdio de animação Powerhouse. Nesta continuação é mantida o nível de produção que assistimos anteriormente, nomeadamente durante os novos momentos de combate.

Felipe Soares

Shiroi Suna no Aquatope

O arco dramático envolvendo a personagem Kukuru Misakino pode parecer que chegou ao fim, mas este episódio serviu para colocar mais dúvidas sobre qual será o destino da personagem na reta final da série.

Apesar da série levar uma possibilidade da protagonista conseguir conquistar seu objetivo como cuidadora do aquário, eu pessoalmente penso que ela se mantendo e crescendo em seu cargo atual no aquário pode trazer uma quebra de expectativa mais interessante para esta reta final do anime.

Mesmo o anime tentando passar pequenas informações sobre a vida marinha, foi no episódio desta semana que foi abordado de forma mais incisiva sobre o assunto da preservação ambiental. Foi muito bom ver uma cena completa falando sobre a preservação de tartarugas marinhas, sobre os elementos que podem atrapalhar o momento de nascimento dos filhotes e da importância de se manter praias e os mares limpos de resíduos plásticos.

Komi Can’t Communicate

Estou gostando como aos poucos a série está desenvolvendo a desenvoltura da Komi-san. Apesar da personagem ainda não falar (pelo menos não por som), é interessante como agora algumas situações envolvendo a personagem ocorreram por iniciativa dela.

A principal surpresa para muitos, incluindo eu, neste episódio foi provavelmente as diversas referências a outras séries anime de sucesso e a uma franquia de jogos de luta da Nintendo.

Hawkeye

A nova série do universo Marvel e com lançamento semanal na Disney+ chegou com três episódios e com um clima bem diferente do que vemos de outros heróis. É bem interessante ver o quanto o Gavião Arqueiro é o herói mais humano entre os Avengers e que está humanidade acaba fazendo dele bem mais próximo das pessoas comuns.

Diferente de uma aventura no espaço-tempo tipo Loki, ou de uma aventura internacional como The Falcon and the Winter Soldier, Hawkeye parece ser uma série mais urbana e mesclando comédia com cenas de ação. Um ponto que achei legal é que a série faz questão de brincar com coisas que são literais nos quadrinhos, tipo os membros da gangue do agasalho vestirem literalmente um agasalho.

A apresentação da personagem Kate Bishop acaba servindo como um contraponto interessante para a história de Clint Barton e creio que ela será o ponto de partida para que os heróis urbanos e sem poderes possam ganhar destaque no futuro da Marvel.

Kill Bill – Vol. 1

Eu pretendia assistir alguma coisa nova na noite deste sábado, mas me deparei na TV com um dos melhores filmes do diretor Quentin Tarantino e que eu não assistia há bastante tempo.

Prestes a completar 20 anos de seu lançamento em 2023, o primeiro filme de Kill Bill continua muito bom. Por utilizar muitos artifícios de Tokusatsu em algumas cenas e ainda muitos efeitos práticos, o filme parece que não datou quase nada. As cenas de luta do longa ainda são muito incríveis, a trilha sonora é impecável e conhecer as referências transforma a experiência do filme ainda melhor.

Vindo de vários mundos e projetos, juntou-se à redação do Otakupt em 2020, pronto para informar todos os leitores com a sua experiência nas várias áreas da cultura alternativa. Assistiu de perto ao nascimento dos videojogos em Portugal até à sua atualidade, devora tudo o que seja japonês (menos a gastronomia), mas é também adepto de grandes histórias e personagens sejam essas produzidas em qualquer parte do globo terrestre.