Xiaomi 12 – Análise

Review ao Xiaomi 12

No início deste mês chegaram a Portugal os Xiaomi 12 Series, são eles o Xiaomi 12 Pro, Xiaomi 12 e Xiaomi 12X, os novos topos de gama Xiaomi e aqui no OtakuPT testamos o Xiaomi 12.

Para além de uma evolução natural dos smartphones Xiaomi estes Xiaomi 12 Series representam a colocação na mão do utilizador de um centro multimédia, seja no seu consumo como na criação de conteúdo.

O Xiaomi 12 Pro (1049,99€) é a proposta mais cara da Xiaomi e o Xiaomi 12X (699,99€) a mais em conta, pelo que este Xiaomi 12 (849,99€) representa o meio termo da geração Xiaomi 12 Series que a Xiaomi oferece ao consumidor.

A primeira coisa que reparam mal pegam no Xiaomi 12, para além claro do seu diminuto peso (179 g), é a sua elegância. Esteticamente mostra ser um smartphone que recebeu muita atenção no seu desenvolvimento, passando pela sua cor Violeta com tons metálicos de cinzento que refletem a luz (da qual fiquei verdadeiramente fã) ao seu ecrã que curva ligeiramente ao encontro da lateral, dando um aspecto mais sofisticado ao Xiaomi 12. Sem esquecer claro os seus bordos metálicos que para além de lhe darem uma maior rigidez também contribuem para tornar o Xiaomi 12 num smartphone com linhas mais arredondadas que graças à sua proporção de 20:9 fica confortavelmente na nossa mão.

Xiaomi 12 é um smartphone muito elegante

Falando ainda do formato do ecrã, gosto desta abordagem que a Xiaomi teve, apesar do vidro ser curvo o ecrã não vai completamente até ao bordo lateral significando que não será um smartphone propenso a muitos toques sem querer por parte do utilizador no seu manuseamento.

No que diz respeito a dimensões o Xiaomi 12 tem 152.7 x 69.9 x 8.2 mm sendo que graças ao seu design mais elegante muito facilmente aparenta ser um smatphone mais pequeno do que na realidade é. É também um smartphone muito bem protegido pois para além do seu ecrã ser protegido por Gorilla Glass Victus a sua traseira em vidro é protegida por Gorilla Glass 5.

O ecrã tem 6.28 polegadas com uma resolução de 1080 x 2400 pixels e uma densidade de pixeis de 419 ppi, o que se traduz numa grande nitidez e definição, com uma leitura muito agradável de texto no ecrã. Para isso contribui também o facto de ser um ecrã AMOLED com 68 mil milhões de cores com uma frequência de 120Hz permitindo HDR10+ com 1100 nits e Dolby Vision.

Na parte superior e inferior encontramos 1 altifalante para dar aquele som Stereo mais envolvente sendo que no Xiaomi 12 a configuração do som tem a assinatura da Harman Kardon, conhecida pela sua gama de dispositivos áudio Premium, e que já anteriormente fez parceria noutros dispositivos da Xiaomi. O Som é nítido e mesmo em volumes elevados não apresenta grade distorção.

Na parte superior encontramos ainda uma port de infravermelhos para poderem controlar vários dispositivos. Na parte inferior para além da entrada USB-C encontramos o slot para dois cartões (Nano-SIM) sendo que o Xiaomi 12 não suporta cartões de expansão de memória. No seu lado direito temos os botões de volume e ligar/desligar.

Falando em memória, o Xiaomi 12 vem em duas versões, uma 8GB de RAM +128GB de memória e esta que testamos com 8GB de RAM e 256GB de memória. Arrancando com o Xiaomi 12 do zero sem adicionarmos qualquer ficheiro ou app, a memória possui logo 28.9GB ocupados com o sistema operativo e algumas apps pré-instaladas.

Seguindo a tendência, o Xiaomi 12 possui um leitor de impressões digitais ótico debaixo do ecrã e que utilizei sem qualquer tipo de problema. É rápido, facilmente identificam o local onde têm de colocar o dedo e o smartphone emite uma luz através do vidro para ler a impressão digital. É praticamente instantâneo e estranhamente satisfatório.

A correr o Android 12 com o MIUI 13, o Xiaomi 12 correspondeu plenamente às minhas expectativas, podem correr múltiplas aplicações e tarefas mais exigentes que é um smartphone que se demonstrou mais que capaz apresentando um muito bom desempenho. Isto tudo graças a um Qualcomm SM8450 Snapdragon 8 Gen 1 (4 nm) com um CPU Octa-core (1×3.00 GHz Cortex-X2 & 3×2.50 GHz Cortex-A710 & 4×1.80 GHz Cortex-A510) e um GPU Adreno 730.

Passando para as suas múltiplas câmaras. Na parte traseira são 3, uma de 50 MP com uma abertura de f/1.9, uma ultrawide de 13 MP (123˚) com uma abertura de f/2.4 e uma Macro de 5 MP com uma abertura de f/2.4.

Para além de imagens em HDR, o Xiaomi 12 vai permitir filmarem uns impressionantes 8K HDR a 24fps cinematográficos, 4K a 30/60fps (HDR10+) ou então 1080p a 30/120/240/960fps e 720p a 1920fps.

Com o Xiaomi 12 tão depressa estão a filmar a uns cinematográficos 8k HDR 24fps como passam rapidamente para uma super câmara lenta HD a 960fps.

A nível de software a Xiaomi também aqui deu cartas com a utilização da sua Inteligência Artificial para focar continuamente objetos em movimento, tornando a imagem dos vídeos mais nítida e sem grandes desfoques. Este nível de focagem é também alargado para a focagem automática dos olhos garantindo assim que mesmo aquela imagem que é tirada mais à pressa, tem sempre o rosto da pessoa em foco. O Xiaomi 12 disponibiliza também dois níveis de estabilização de imagem sendo que achei que o primeiro era o que resultava melhor, o segundo é um pouco mais agressivo fazendo com que o vídeo apresenta-se algum color banding.

O Xiaomi 12 tem também um novo modo de captura de vídeo noturno onde graças ao poderoso processador através de software as imagens capturadas pelo sensor são melhoradas graças aos algoritmos da Xiaomi.

Na parte da frente encontramos uma generosa câmara frontal de 32 MP com uma abertura de f/2.5. Que para além de permitir captura em HDR a 1080p a 30/60fps, permite até câmara lenta a 120fps com uma resolução de 720p. Numa altura em que cada vez mais utilizamos o vídeo como forma de comunicação apreciei esta atenção que a Xiaomi deu à câmara frontal.

Quanto a bateria, o Xiaomi 12 possui uma bateria de 4500 mAh, confesso que gostaria de ver uma de 5000 mAh, no entanto, a tecnologia de display do Xiaomi 12 compensa e aumenta ainda mais a longevidade da carga do telemóvel que dependendo da utilização facilmente chega aos dois dias. Isto porque o display (aquilo que gasta mais energia num smartphone) do Xiaomi 12 é altamente eficiente em termos de potência, o seu visor LTPO dinâmico significa que a velocidade de atualização do ecrã varia entre os 1Hz e 120Hz de acordo com o que o utilizador está a fazer. Isto significa que com os 120Hz vão ter uma experiência extremamente fluida e que quando a imagem está parada a velocidade de atualização do ecrã diminui até um impressionante 1Hz para conservar a energia da bateria.

Continuado a falar de bateria esta permite um carregamento rápido de 67W, o que significa que em praticamente 40 minutos carregam a totalidade da bateria. O Xiaomi 12 também suporta carregamento sem fios de 50W (53 minutos para a carga total) e carregamento reverso de 10W.

O Xiaomi 12 é assim um passo firme da Xiaomi em entregar ao consumidor algumas das tecnologias mais atuais num pacote aprimorado e elegante.

Subscreve
Notify of
guest

0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments