6 meses depois a Kyoto Animation recebeu 30 milhões de dólares em doações

6 meses depois a Kyoto Animation recebeu 30 milhões de dólares em doações

Já passaram 6 meses depois do terrível ataque ao edifício nº1 do estúdio Kyoto Animation que resultou em 36 mortos e 33 feridos. Muito rapidamente os fãs se organizaram para ajudar as vítimas e agora com o fim da angariação de fundos o balanço final é de 3.34 bilhões de ienes, cerca de 30.4 milhões de dólares.

Numa conferência de imprensa a 17 de janeiro, o governador de Kyoto, Takatoshi Nishiwaki, explicou que foi criado um comité para distribuir o dinheiro efetivamente entre todas as vítimas e as suas famílias a partir da conta bancária de doações criada pela Kyoto Animation, fechada a 27 de dezembro de 2019.

Nishiwaki afirmou que ele quer “entregar os sentimentos recebidos do Japão e do exterior o mais rápido possível” ao dar o dinheiro e que “leva tempo reunir informações sobre as vítimas”.

Foram enviados questionários às vítimas e famílias para ajudar o comité a determinar o valor alocado a cada vítima numa série de questões, incluindo crianças que ficaram sem os pais, ferimentos duradouros ou salários perdidos. Nishiwaki disse que “as circunstâncias individuais de todos são diferentes e há muitos itens a serem considerados”. Até agora, a “maioria” dos questionários das famílias já foi devolvida ao comité e a próxima reunião será realizada no início de fevereiro.

Fora das doações, a Kyodo News informou que já começaram as compensações às famílias das vítimas falecidas, com as aprovações a serem enviadas já em novembro passado. Esses pagamentos são baseados na compensação dada às vítimas e às suas famílias do ataque com gás sarin de 1995 em Tóquio por serem “crimes relacionados com o trabalho”. Por motivos de privacidade não foi revelado nenhum detalhe sobre o que as reivindicações incluíam ou quanto foi distribuído.

A demolição do edifício da Kyoto Animation está programada para ser concluída em abril de 2020. Não foi anunciado o que será construído no site.