Vizinhos do estúdio nº1 da Kyoto Animation não querem memorial

"se muitas pessoas continuarem a visitar [o local], a vida pacífica dos moradores do bairro será destruída"

Vizinhos do estúdio nº1 da Kyoto Animation não querem memorial

Após o terrível ataque ao edifício nº1 do estúdio Kyoto Animation que resultou em 36 mortos e 33 feridos, o seu presidente afirmou que estavam a pensar se voltavam a reconstruir o edifício ou faziam ali um memorial às vítimas, no entanto, essa última opção não é do agrado dos vizinhos do estúdio.

Durante uma reunião da associação do bairro a 14 de dezembro, um porta-voz, que representa 23 famílias no subúrbio de Fushimi City, disse que “se muitas pessoas continuarem a visitar [o local], a vida pacífica dos moradores do bairro será destruída”. Diferentemente do resto de Kyoto e Uji, Momoyama-cho em Fushimi é apenas um subúrbio comum, com o seu maior edifício a ser o estúdio nº1 da Kyoto Animation. O pedido para não fazer um memorial foi formalmente enviado à Kyoto Animation a 23 de dezembro.

A associação do bairro também pediu para se manter informada sobre as propostas do estúdio para o uso do local e que todos cheguem a um acordo antes que o estúdio seja totalmente demolido em abril de 2020. A Kyoto Animation reiterou a 25 de dezembro depois de receber o pedido formal, que continuarão a “consultar as famílias enlutadas das vítimas, a comunidade local e outras partes interessadas para garantir que todas as considerações de todos sejam tomadas ao tomar uma decisão” sobre como usar o local.

Podem conhecer aqui mais detalhes sobre o ataque e ler aqui o comunicado do presidente do estúdio Kyoto Animation.