Mais detalhes sobre o ataque ao estúdio Kyoto Animation que provocou 33 mortos

Um dia após o terrível ataque ao estúdio de animação Kyoto Animation o jornal japonês Mainichi Shimbun revelou mais detalhes sobre o que aconteceu.

Sabemos agora após o rescaldo final do incêndio que 17 pessoas, incluindo o incendiário, permanecem hospitalizadas, 18 vítimas foram para casa depois de receber tratamento médico, mas infelizmente verificou-se a morte de 33 funcionários do estúdio de animação Kyoto Animatio, 12 homens, 20 mulheres e uma pessoa de sexo indeterminado.

Um total de 76 trabalhadores estavam dentro do prédio quando o atacante, um homem de 41 anos, entrou no hall do primeiro andar pouco depois das 10h30 de quinta-feira e gritou “Morram!” para depois incendiar a gasolina que tinha com ele causando um incêndio violento e uma explosão. Apenas sete pessoas escaparam sem danos, e a equipas de resgate encontraram vítimas mortas por todo o prédio, incluindo 19 mortos cujos corpos se amontoaram numa pilha na escada que liga ao telhado, aparentemente tendo sucumbido às chamas ou fumo enquanto tentavam fugir para o topo do edifício. A porta para o telhado estava fechada por dentro e apenas dava para abrir por fora.

Foto do alegado incendiário
Foto do alegado incendiário

Tal como noticiámos anteriormente o criminoso afirmou “Eles fizeram pakirui”, sendo que Pakuri é a palavra japonesa para copiar a arte de outra pessoa ou o trabalho criativo. E sabemos agora que a testemunhas no local o homem afirmou que “Eles roubaram a minha novel, então eu ateei o fogo”.

Como muitos estúdios de animação, os trabalhos do estúdio de animação Kyoto Animation são frequentemente baseados em novels. As palavras do incendiário sugerem que ele sente que uma novel que ele escreveu foi usada injustamente, ou teve alguns dos seus elementos copiados, pela Kyoto Animation. Enquanto o nome do incendiário ainda não foi divulgado, os investigadores dizem que ele não era um ex-funcionário da empresa.

A capacidade do incendiário entrar no estúdio Kyoto Animation enquanto transporta gasolina é surpreendente, mas Hideaki Hatta, o presidente do estúdio, afirmou que isso se deveu ao facto de eles estarem à espera de visitas naquele dia, sendo que ele também afirmou que o estúdio vem recebendo ameaças de morte nos últimos anos e que todas elas foram reportadas à polícia. O estúdio tinha medidas de segurança, pois os funcionários tinham que digitalizar um cartão de identificação especial na entrada do prédio. No entanto, no dia em que ocorreu o ataque, a Kyoto Animation desativou o sistema de cartão de segurança para permitir que os visitantes entrassem nas instalações com menos problemas.

O incendiário ainda está hospitalizado por queimaduras sofridas no ataque pelo que ainda não se sabe se o ataque que aconteceu no dia em que o sistema de segurança foi desativado foi uma trágica coincidência, ou se o incendiário de alguma forma sabia sobre os protocolos relaxados e especificamente cronometrou o seu ataque para coincidir com eles.