Animadores falam dos prós e contras do atual processo de animação digital

6

Animadores falam dos pros e contras do atual processo de animação digital

Durante o Tokyo Anime Award Festival ocorreu um painel para discutir o atual impacto do processo digital dentro da indústria de animação japonesa. O painel contou com a participação de Toshiyuki Inoue (veterano que participou da produção de Maquia – When the Promised Flower Blooms), Kiyotaka Oshiyama (diretor de animação de Devilman Crybaby) e Ryo-timo (Yozakura Quartet ~ Hana no Uta ~).

Os três animadores explicaram que atualmente dentro da indústria anime no Japão o processo de composição e coloração estão sendo realizados de forma quase que totalmente digital e que, mesmo não sendo um padrão, está se tornando cada vez mais comum a criação de storyboards e animações-chave com o uso de tablets. Isso significa que o processo de produção será agilizado e permite que a aparência final seja alcançada mais rapidamente.

Inoue, veterano com mais de 35 anos de experiência na indústria anime, disse que esta mudança na forma de produzir um anime é positiva, mas expressou preocupação para a possibilidade dos animadores digitais serem explorados por causa do formato atual de pagamento e especificações de funções que existem a muitos anos na indústria. Ele falou que atualmente os animadores recebem por corte ou por desenho, mas que no caso do desenho digital o animador acaba assumindo processos que normalmente seriam realizados por outras equipes. “Eu quero que a indústria reconheça formalmente que o trabalho de composição de um animador digital faz de forma independente também vale uma gratificação extra. Do jeito que as coisas estão no Japão não me parece que os animadores estão sendo pagos a mais pelo seu trabalho.” Já Ryo-timo sugeriu que os animadores digitais não fossem pagos por desenho ou corte, mais sim pelas horas trabalhadas. Por fim, os três concordaram que a industria anime precisa muda a forma como é realizado o pagamento pelo trabalho dos animadores.

Oshiyama chegou a apontar a possibilidade do uso das ferramentas digitais para equipes menores realizarem trabalhos que normalmente seriam feitos por grandes equipes durante uma produção anime, ele ressaltou que isso poderia aliviar os problemas relacionados a qualidade na animação, principalmente nas produções que utilizam uma grande quantidade de animadores para produzirem rapidamente um único projeto. O diretor também afirmou que fazer uso de uma equipe com especialidades em animação digital pode acabar reduzindo os custos de uma produção, mas que não significa que os animadores digitais neste caso deveriam ganhar menos.

O painel foi finalizado com os três falando sobre os problemas atuais enfrentados na indústria anime e destacaram que atualmente existe muitas produções anime mas poucos animadores qualificados para trabalhar nelas. Eles afirmaram também que atualmente o visual dos personagens anime ficaram mais complexos e que não é possível desenhar quadro de animação de qualidade de forma rápida em comparação com o passado.

Lembrando que recentemente publicanos no OtakuPT um artigo detalhado com um reporte da Japan Animation Creators Association (JAniCA), que visa defender os direitos dos animadores e integrantes da indústria.