bilibili adquire a Emon Animation Company

bilibili logo

A bilibili, da plataforma de streaming chinesa que recentemente se envolveu numa polémica, anunciou que adquiriu totalmente a empresa de animação Haoliners Cultures Media Co., Ltd., com sede em Xangai, incluindo a subsidiária japonesa da Haoliners a Emon Animation Company a 3 de fevereiro.

A Emon foi fundada em outubro de 2015, com o cofundador do estúdio GONZO, Shouji Murahama, a trabalhar como diretor operacional da companhia. O estúdio trabalhou desde então como o principal estúdio de animação para títulos como A Centaur’s Life, To Be Hero, Hitori no Shita – the outcast, Spiritpact e The Silver Guardian, a companhia assistiu na animação de Flavors of Youth, Attack on Titan e Ulysses: Jeanne d’Arc and the Alchemist Knight.

A Emon comprou anteriormente 51% da participação maioritária do estúdio de animação Artland em 2016, mas a Artland acabou por fechar em 2017 e a Emon acabou por vender a sua participação maioritária para a empresa LEVELS, com sede em Tóquio.

A bilibili foi fundada em 2009 e é a maior plataforma de streaming de animação japonesa da China, acima da TencentVideo e iQIYI. A empresa transmite títulos anime e também investe em produções de anime. O site também inclui animação chinesa e conteúdo enviado pelos utilizadores. O serviço obtém receitas através de publicidade e taxas de assinatura de pay-per-view.

A Funimation e a bilibili anunciaram uma parceria para adquirir licenças de anime em março de 2019. Para a parceria, as duas empresas estão a adquirir licenças em conjunto “nos próximos anos”, incluindo direitos de IP para televisão aberta, vídeo sob demanda, entretenimento doméstico, jogos e merchandising nos Estados Unidos e na China.

O ano passado, a Sony Corporation of America pagou cerca de 400 milhões de dólares pela compra de 17,3 milhões de ações da bilibili, o equivalente a 4,98% das ações da empresa chinesa. As empresas pretendem colaborar em projetos no mercado de entretenimento chinês, incluindo animação e jogos para smartphones.

FONTEAnimation Business Journal
Fundou o OtakuPT em 2007 e desde então já escreveu mais de 40 mil artigos sobre anime, mangá e videojogos.